Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Ícone do samba, Almir Guineto morre aos 70 anos no Rio de Janeiro

Um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal, sambista deixa grande legado na música carioca

CARAS Digital Publicado em 05/05/2017, às 15h08 - Atualizado às 15h20

Ícone do samba, Almir Guineto morre aos 70 anos - Reprodução TV Globo
Ícone do samba, Almir Guineto morre aos 70 anos - Reprodução TV Globo

O mundo do samba está de luto: faleceu nesta sexta-feira, 5, Almir Guineto, um dos fundadores do grupo Fundo de Quintal.

+ Em show pra cima, Diogo Nogueira leva 'mensagem positiva em tempos difíceis'

O cantor faleceu após uma parada cardíaca. Ele chegou a ser reanimado, mas não resistiu.

"O cantor Almir de Souza Serra, conhecido como Almir Guineto, que estava internado desde o dia 03 de fevereiro, no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o Hospital do Fundão, na Zona Norte do Rio para tratamento de uma pneumonia e de complicações provocadas pela diabetes, morreu na tarde desta sexta-feira (05 de maio), às 12h40.  Internado há 69 dias, segundo o cantor faleceu em virtude de complicações cardíacas e insuficiência renal", diz o comunicado enviado à imprensa
Almir Guineto, nascido em 12 de julho de 1946, sambista brasileiro, cantor, compositor e instrumentista. Em 1965 começou sua carreira como diretor de bateria da escola de samba Salgueiro, fundador do grupo de Samba Fundo de Quintal, e integrou o Grupo Originais do Samba por 10 anos antes de seguir carreira solo.

Ícone do samba

Considerado um dos ícones do samba, o compositor levou uma vida toda dedicada à música. O musico deixa, esposa Regina Caetano, 3 filhos: Almirzinho Serra, Walmir Serra e Hugo Serra e 4 netos.