musica Música

Força feminina! DJ Samhara domina a cena da música eletrônica

Em um meio predominantemente masculino, a DJ brasileira tem conquistado cada vez mais espaço

Baárbara Martinez Publicado sexta 2 agosto, 2019

Em um meio predominantemente masculino, a DJ brasileira tem conquistado cada vez mais espaço
DJ Samhara - Divulgação

DJ Samhara é o nome quando o assunto é música eletrônica. Tomando cada vez mais o espaço dominado por homens, a morena tem lidado com essa questão da melhor forma. com o pé no chão. 

"Posso dizer que já melhorou muito mas ainda existe gente sem noção que tem preconceito, assedia ou faz gracinha. A diferença é que hoje eu não fico focada nisso, quero fazer o meu e me importar com o que realmente importa. Pessoas assim sempre [machistas] tem em qualquer meio e elas não importam no final das contas", afirma. 

Vivendo de sua paixão, a morena conta como descobriu que queria viver de arte. "Com 14 anos fui na minha primeira festa eletrônica com minha irmã mais velha, fomos escondidas da minha mãe mas foi por uma boa causa (risos). Desde lá me apaixonei pelo estilo, comecei a frequentar e 4 anos depois toquei pela primeira vez". 

Atração dos principais eventos e festas, a artista revela que os festivais de música ganham seu coração. "Eu adoro festivais! É o encontro da música com todo tipo de arte e de pessoas abertas a consumir isso! Meu sonho é tocar no mundo todo e já estou nesse caminho!", revela.

Pensando em sua parceria dos sonhos, ela escolhe Florence the Machine, que também é presença marcante nos principais shows internacionais, para dividir uma canção. 

Ativa nas redes sociais, Samhara, que tem um feed desejável, aproveita para dar dicas para quem também quer arrasar nas fotos no Instagram. "A foto perfeita é aquela que consegue transmitir quem você é, por isso que as selfies são as fotos que recebem mais curtidas! Eu amo o o nascer e o por do sol pra tirar foto porque a iluminacao fica incrível, dispensa o uso de qualquer filtro". 

Para quem acha que vida de DJ é fácil, ela garante que há muito trabalho envolvido que as redes sociais não mostram. "Fazer musicas, agradar o público a ponto de pagarem pra te ouvir, conseguir tocar depois de terem tocado antes de você todas as músicas que estão mais bombadas, viajar e ficar longe da família e amigos todo final de semana, lidar com funcionários, agência, contratantes". 

Último acesso: 07 Jul 2020 - 01:01:06 (325186).