Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Música / Treta

Após ataque racista à música de Negra Li, youtuber pede desculpas

Youtuber postou vídeo ofendendo os artistas da música 'Djonga'

CARAS Digital Publicado em 22/08/2018, às 20h17 - Atualizado em 23/08/2018, às 13h57

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Vídeo de React de Gustavo - Reprodução / Youtube
Vídeo de React de Gustavo - Reprodução / Youtube

A música Favela Vive 3 nasceu de uma parceria entre ADL, Choice, Djonga, Menor do ChapaNegra Li, e tem em sua letra um significado claro: o racismo que a comunidade negra da favela vive todos os dias.

Assim como diversos raps, a música tem como objeto contestar um aspecto da sociedade atual em forma de arte. Mas, para alguns, isso não passa de balela. O youtuber Gustavo Lazaro é um que partilhou dessa opinião. 

No meio de agosto, o influenciador postou um vídeo dele reagindo à canção. "Tem aquele papo de que [quem mora na favela] foi para o mundo do crime porque não teve oportunidade. Crime é oportunidade?", indagou. Mas para os críticos, o momento decisivo foi, após o verso No século XXI/ A cada 23 minutos/ Morre um jovem negro. "Espera... Só negro que morre?", indagou, ignorando o contexto. Depois, durante a crítica sobre a violência policial, o garoto ainda opinou. "Os caras falam como se fosse só policial que atirasse. Não é. É bandido", disse.

Depois disso, ele foi duramente criticado por não levar em conta o panorama da morte de negros. Então fez um vídeo de quase meia hora em que apareceu chorando, e disse estar arrependido do que falou, porque o disse sem saber do que falava.

No comentário, os seguidores não deixaram barato, e relembraram a famosa frase de Mano Brown para Cocielo, outro youtuber acusado de racismo: "Depois que inventaram a desculpa, ninguém mais morre". Ironicamente, o caso citado também está na canção.