Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A procura de Carlos Vieira por um novo amor

Na Ilha de CARAS, ator, que viveu Fred em Fina Estampa, diz que dias de solteiro estão no fim

Redação Publicado em 23/01/2012, às 12h39 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Na baía de Angra, Carlos, que saiu da trama das 9 este mês, celebra sucesso do personagem e recarrega as energias. - Renato Velasco
Na baía de Angra, Carlos, que saiu da trama das 9 este mês, celebra sucesso do personagem e recarrega as energias. - Renato Velasco

Se depender dos esforços de Carlos Vieira (41), que interpretou o souschef mau-caráter Fred em Fina Estampa, seus dias de solteiro estão contados. O ator, que sempre priorizou a independência e, principalmente, o foco no trabalho, crê que o momento de se dedicar a um grande amor finalmente chegou. “Passei o réveillon com parte do elenco da novela e outras pessoas que eu não conhecia. Minutos após a meia-noite, olhei para os meus colegas e fiz um balanço do meu trabalho, me senti feliz com o resultado, a repercussão... Mas, em determinado momento, observei vários casais. Alguns com filhos, outros sem... Aquilo me fez refletir muito e perceber que falta alguma coisa. Então, cheguei à conclusão de que está na hora de encontrar alguém”, revelou ele na Ilha de CARAS.

Apesar da vontade de investir em um relacionamento, Carlos, solteiro há um ano, confessa se assustar com a ideia de um dia dividir o mesmo teto. “Tenho um senso de independência muito grande e acho que isso me tornou mais exigente. Morar em casas separadas no início de um casamento pode ser bastante interessante”, explicou.

– Você teve várias relações e se manteve solteiro. O que mudou?

– Eu sempre estava tão envolvido com meu trabalho, que a vida afetiva ganhava uma importância menor. Acho que a vontade de construir algo com uma pessoa bacana só bateu mesmo agora.

– Em sua opinião, qual é a parte mais difícil de morar junto?

– A de ter de negociar tudo. Quem vai ao mercado, levar o lixo para fora, arrumar o quarto... Mas, por outro lado, observo nos casais que vivem juntos uma soma, parceria e cumplicidade incríveis.

– Apesar de cinco meses no ar, seu personagem teve grande repercussão. Ficou surpreso?

– Sim. Esse foi o meu trabalho mais comentado. Antes, tinha feito as novelas O Rei do Gado, Uga Uga, Celebridade, Da Cor do Pecado... Mas foi graças à Senhora do Destino, em que estive sob a direção do Wolf Maia, que fui convidado por ele para este papel. As pessoas me paravam direto para perguntar o fim do Fred, se ele era o namorado secreto do Crô, vivido brilhantemente pelo Marcelo Serrado. Algumas se mostravam bravas com as maldades dele. E passei a notar como todo ator defende seu personagem. Eu sempre achava uma justificativa para as cretinices do Fred (risos).

– Já sabia alguma coisa de cozinha ou teve que aprender do zero para interpretar um chef?

– Só conhecia o básico. Hoje, é um dos meus hobbies. Depois que frequentei a oficina de culinária por conta do papel, aprendi a fazer até cuscuz marroquino! Agora estou pirado no risoto. Fiz um há pouco tempo de aspargos que todo mundo aprovou e repetiu! Ultimamente, sempre que vou a São Paulo, onde minha mãe mora, leio as receitas dela e fico ansioso para pôr em prática. Comprei até um fogão novo, com grill, timer e até chama tripla. Sensacional!

– É regrado na alimentação?

– Em geral, sim. Não gosto muito de doce. Prefiro um bom churrasco, uma feijoada e um bife à milanesa de vez em quando. São minhas fraquezas. Porém, no dia a dia, levo a sério o iogurte desnatado, o peito de peru, o suco natural, além de queijo minas e pão light.

– Como mantém a forma?

– Um pouco de musculação e caminhada. Já me dediquei à natação, mas não durou muito. Minha relação com as atividades físicas é muito mais uma questão de me sentir energizado do que propriamente pela estética.