Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A intensidade move a top Isabelli Fontana

Top estreia na Ilha de CARAS e reforça sua faceta de mãe dedicada e carinhosa

CARAS Digital Publicado em 24/05/2015, às 13h08 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Isabelli Fontana - Martin Gurfein
Isabelli Fontana - Martin Gurfein

Dona de curvas perfeitas distribuídas em 1,77m e 55kg, penetrantes olhos azuis e sorriso contagiante que a fizeram ganhar as passarelas mundo afora, IsabelliFontana (31) também é famosa pelo lado passional. Ela é intensidade pura. “Vivo para mim. Sou verdadeira comigo e com os outros. Se a pessoa não entende, não vai mudar minha vida”, afirma a top, na primeira visita à Ilha de CARAS, em Angra. Com a avó, d. Maria Izabel Bergossi (75), e os filhos Zion (12), com o modelo Álvaro Jacomossi (36), e Lucas (8), com HenriCastelli (37), ela mostra-se uma mãe “leoa”. “Quero que cresçam com liberdade, mas estou sempre de olho. É importante ter minha avó perto, pois tenho certeza que estão bem cuidados. Ela é a matriarca, o pilar que sustenta todo mundo”, declara. Esse instinto protetor a fez deixar Nova York, onde morou 12 anos, para viver em São Paulo e se dedicar mais aos filhos. “Sempre fui uma mãe perfeccionista, mas hoje eles me ensinam muito”, avalia ela, que ainda sonha em ter uma filha. “Menina é raro na minha família, mas não vejo a hora de ter uma. Deve dar muito mais trabalho”, diz a top, estrela de marcas poderosas como Tufi Duek, Morena Rosa e L’Oréal. “Assinei uma linha de relógios com a Euro e estou focada em usar o meu nome em produtos que eu acredito e uso”, comemora. Para Isabelli, família e amor andam juntos. “Sou sentimental, tenho de estar apaixonada para tudo fluir”, conta ela,  que em setembro ficou noiva de DiFerrero (29), vocalista da banda NX Zero. “É uma relação linda, estamos muito apaixonados. É tudo o que eu sempre sonhei”, define, convicta.

– Como encara os 30 anos?
– Aos 20 anos, via os 30 como a minha aposentaria. Pensava: ‘Estarei velha.’ Mas ainda me sinto com 20. Tudo na minha vida aconteceu rápido, sempre deixei para viver depois. Agora, tento viver com equilíbrio, pois sei que a vida não pode ser só trabalho. Estou muito mais tranquila. A idade me traz paz interior.

– A questão da maternidade também mudou?
– Fui bem perfeccionista na educação do meu primogênito. Quando nasceu o segundo, relaxei. Meu menorzinho me faz pensar muito. Ele diz: ‘Mãe, por que você está falando brava?’ Respondo: ‘Mamãe só quer que você a respeite porque te ama.’ Criança não é cachorro, que você adestra. É preciso ter o momento amigo para ela evoluir mais feliz.

– Como é a relação de vocês?
– Eles são muito carinhosos e me ensinam todos os dias. Mas também me cobram o tempo inteiro, principalmente para eu estar mais presente. Morei 12 anos em NY e resolvi mudar para o Brasil porque Zion não foi aceito na escola que eu queria. Foi uma escolha fundamental porque sempre quis que meus filhos crescessem escutando o nosso idioma.

– Você tem dois meninos. Tem vontade de ter uma filha?
– Não vejo a hora, se Deus quiser me dar! Até agora estive só na ‘preparação’. Precisava ter dois meninos para saber como é, pois menina deve ser mais trabalhoso. Mas eu e Di não falamos em filhos, pois queremos curtir ao máximo nossos momentos. Meus dois precisam da minha atenção e estou focada na criação deles.

– Eles sentem ciúmes do Di?
– Não criei meus filhos para ficar embaixo das minhas asas, quero que estejam abertos a novas pessoas. Adoram Diego desde o início. Zion já o conhecia como artista.

– Como ficaram noivos?

–Foi inesperado e inusitado. Estávamos em um lugar paradisíaco, de férias, em Capri, onde víamos somente o céu e o mar. Ele fez o pedido, me deu um anel e foi um momento inesquecível. Nossa relação é maravilhosa, somos melhores amigos e estamos muito apaixonados. É fantástico, tudo o que eu sempre sonhei!

– Como será o casamento?
– Ainda não pensamos nos detalhes. Uma hora queremos, outra achamos que não é preciso. Por enquanto, estamos aproveitando ao máximo este que é o melhor momento de nossas vidas. Nunca vou deixar de acreditar no casamento. Sou canceriana, sou apegada, que só pensa em casar, tipo Elizabeth Taylor (risos).

– O que espera do amor?
– Tudo o que sempre imaginei, desde criança, era estar com meu melhor amigo, alguém em que pudesse confiar. Quando conheço uma pessoa nova, a esperança volta, parece que com esse alguém vai ser diferente. As mágoas do passado não me afetam, tiro delas um ensinamento. Digo para o Diego: ‘Quero que seja legal, maravilhoso. Enquanto for assim, a gente fica junto.’ Sofrer para quê? Ficar emburrado para quê? A vida é muito mais do que isso!

– Você é bem-sucedida.
– Não existe carreira sólida, é sempre um recomeço. Vivo de arte, preciso me renovar o tempo todo. A moda precisa disso. O futuro me preocupa mais hoje que antigamente. Sou um nome forte, uma marca da moda, tenho uma equipe que precisa de mim.

– A que deve o seu sucesso?
– Sempre tive estilo e sempre gostei de moda. Quando pequena, picotava as roupas da minha Barbie. Quando virei modelo, virei a Barbie! As pessoas me veem como comportada, bonitinha, perfeita. Eu não sou assim. Gosto do diferente e do marcante. Este é o meu diferencial e levo isso para meus trabalhos, como a parceria com a Morena Rosa. Nessa profissão, é muito fácil se deslumbrar, já que todo mundo diz que você é linda e maravilhosa. Você se sente assim e acha que qualquer foto vai ficar boa, mas é bem mais que isso. É preciso nascer com uma luz interior, ninguém pode acendê-la.

– Você é considerada uma das tops mais sexy do mundo. De onde vem sua sensualidade?
– Do amor! Eu tenho que estar apaixonada para me sentir sexy. Sou muito sentimental e isso reflete em tudo na minha vida.

– Como cuida do corpo?
– Amo nutrição. Sou amiga do meu endocrinologista e ligo para ele o tempo todo. A minha musa é a Stephanie Seymour, nos anos 1990, cheia de massa muscular. Mas não posso ser assim ou não entro nas roupas!