Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Esquimós conquistam um time VIP com sua alegria

Em descontraída festa na Ilha de CARAS, família Kawaka, vinda do Alasca, mostra a sua dança

CARAS Digital Publicado em 26/02/2015, às 14h29 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Família Kawaka - Cadu Pilotto
Família Kawaka - Cadu Pilotto

A simpática família Kawaka curte ao máximo a temporada na Ilha de CARAS. Após participar de um churrasco na piscina, Kawaka, o mais brasileiro de todos os esquimós, promoveu uma descontraída festa no Deck do Ofur ô para a mulher, a sogra, a sobrinha e o cunhado. Mas desta vez, a animada família teve companhia.  Impressionados com a animação do grupo, os atores Laís Pinho (18), Raquel Fabbri (27), Sabrina Petraglia (31), Conrado Caputo (36), Gabriel Godoy (31) e Carlo Porto (33) participaram da confraternização.“Por mais que tenham vindo de longe, de um local com clima totalmente diferente do nosso, têm uma animação parecida com a do brasileiro. Sorriem o tempo inteiro. Nos chamaram para dançar. Achei todos eles muito simpáticos, apesar de sofrerem bastante com o calor”, elogiou Raquel. A modelo e os demais convidados aproveitaram para aprender passos de danças típicas do Alasca com a sogra. “Um, dois, três! Vira para o lado, agora para o outro!”, repetia a senhora. “Essa sogra é animadíssima. Conseguiu empolgar todo mundo. Só tem uma diferença, eles mexem mais as mãos e nós, os pés quando estamos curtindo uma música”, comparou Carlo, refrescando com Kaiser Radler, a combinação perfeita de suco de limão e cerveja. “Só assim para aliviar a alta temperatura no verão aqui”, afirmou a mulher de Kawaka, pedindo conselhos às atrizes sobre a melhor forma para ficar com a  marquinha de biquíni. “Com esse calor, daqui a pouco já estará morena”, comentou Laís, radiante por ter entrado em  Império, como Noely. Na confraternização, os brasileiros retribuíram o carinho e ensinaram samba à família. A sobrinha e o cunhado não fizeram feio. “Não esperava que o Brasil fosse tão bom e as pessoas, tão especiais. Eu adorei tudo”, empolgou-se a sobrinha.