Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Paisagismo

By Adriana Fonseca, inspirado na Coréia do Sul

Redação Publicado em 22/12/2010, às 18h39 - Atualizado em 07/06/2012, às 23h25

A proposta da paisagista foi a de fazer do jardim da Ilha um pedaço da Coreia do Sul. - CADU PILOTTO; PRODUÇÃO: CLAUDIO LOBATO E ANA LUIZA VEIGA
A proposta da paisagista foi a de fazer do jardim da Ilha um pedaço da Coreia do Sul. - CADU PILOTTO; PRODUÇÃO: CLAUDIO LOBATO E ANA LUIZA VEIGA
A paixão de Adriana Fonseca (47) por flores foi o ponto de partida do seu projeto para transformar os jardins da Ilha num pedacinho da Coreia do Sul. Para isso, ela abusou do hibisco, planta típica da região. "É aquela flor rosa que tem uma gama de cores infinitas, como amarelo, laranja, vermelho e roxo", contou. A profissional também utilizou a rosa do deserto. "É uma planta meio escultórica, muita vista na Tailândia. Minha ideia é mesmo fazer com que os vips se sintam dentro de um jardim asiático", emendou. Nas pesquisas, Adriana descobriu que nos primeiros 20 anos de crescimento urbano da Coreia do Sul, que começou na década de 70, poucos esforços foram feitos para preservar a natureza. Mas que, atualmente, a preocupação é grande, tanto que já existem projetos do governo como o denominado 'crescimento verde', com custo de 84 milhões de dólares direcionados à proteção ambiental. "Os coreanos estão querendo ver a vida de forma leve, a água correndo no rio, o verde de suas montanhas. Se deram conta da importância desses cuidados com o futuro do planeta", disse. Pensando no bem-estar dos convidados de CARAS, a profissional armou um espaço de relaxamento em frente ao restaurante. "Quis fazer uma composição com essa grama amendoim da Ilha, então, trouxe o bambu-mossô, que eles têm nas florestas. Com ele, montei um estrado, tipo tatame, com futtons em tom chocolate para contrastar com o verde", explicou. No espaço, utilizou ainda árvores típicas, como acer ulmeiro, choupo, além do tradicional bonsai. Também se destacam esculturas de pedra com figuras do tigre e do cão Chindo, animais símbolos da região, além de um recipiente com peixes beta fêmea. Na entrada da Ilha, foi colocado um banco de árvore para representar os bosques da Coreia. Seu foco no paisagismo é reciclar. "Não jogo nada fora, sempre procuro reaproveitar materiais. Plantar sempre, destruir nunca. Assim, o meio ambiente ganha", estabelece.