Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Arlindo Cruz comemora: ‘O samba está em alta’

Astro do Esquenta! canta grande sucessos e celebridades mostram sua paixão pela música

CARAS Publicado em 09/01/2015, às 09h53 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Cercado por estrelas da TV e membros da família, Arlindo mostra porque virou um dos mais populares cantores da atual música brasileira. - CADU PILOTTO, CAIO GUIMARÃES, FERNANDO LEMOS, MARTIN GURFEIN E SELMY YASSUDA
Cercado por estrelas da TV e membros da família, Arlindo mostra porque virou um dos mais populares cantores da atual música brasileira. - CADU PILOTTO, CAIO GUIMARÃES, FERNANDO LEMOS, MARTIN GURFEIN E SELMY YASSUDA

Espirituoso, carismático, talentoso, com mais de 700 canções gravadas, Arlindo Cruz (56) mostrou na Ilha de CARAS por que foi elevado ao altar dos grandes nomes do samba brasileiro. O mestre, que surgiu nas rodas do Cacique de Ramos, bloco carioca que revolucionou o ritmo nos anos 1970, e hoje é idolatrado pela juventude que lota as ruas boêmias e tradicionais da Lapa, não deixou ninguém parado em Angra.

Além do repertório recheado de clássicos e do entrosamento com a banda, estão juntos há mais de dez anos, ele acredita que há um outro fator responsável pelo sucesso dos shows. “A alegria com a que me apresento”, simplificou ele que, ao lado de Regina Casé (60), é umas das estrelas do programa Esquenta!, que ocupa as tardes de domingo da Globo.

À vontade ao lado do namorado, o artista plástico Flavio Rossi (35), Juliana Didone (30) revelou, entusiasmada, que é fã de Arlindo. “Foi incrível! Adoro tudo o que ele toca. Amo samba, são as letras mais bonitas. Falam de amor, alegria, da vida”, contou ela. As palavras da atriz terminaram por traduzir um dos segredos do cantor, que estava ao lado da mulher, Babi (44), e da caçula, Flora (12).

“O compositor popular é um pouco cronista. A gente fala bastante do cotidiano, do que está acontecendo, de determinada época. Isso tudo ajuda a escrever. A gente pega do povo e devolve para ele em forma de canção. Me realizo assim. Se ficar duas semanas sem escrever nada, começo a ficar nervoso, vai dando aquela agonia, aquela coceira”, justificou. A mesma “coceira” também deu o tom antes do início da apresentação. Mas, bastou reunir seus músicos — Flavinho Miúdo (31), surdo; Gege D’Angola (34), cavaquinho; Rafael dos Anjos (29), violão; Azeitona (32), pandeiro; Tico (42), repique de mão; e Marechal (33), tantã —, para que a ansiedade acabasse e o público não parasse quieto.

Sérgio Marone (33) e Camila Rodrigues (31), astros de Os Dez Mandamentos, novela da Record com estreia prevista para março, demonstraram isso no pé. “Não que eu saiba tão bem assim, mas adoro sambar. E já fui a vários shows dele. Demais! Gosto de tantas músicas que é difícil escolher uma só, mas O Show Tem Que Continuar é especial”, revelou Camila, citando a parceria de Arlindo com Luiz Carlos da Vila (1949–2008) e Sombrinha (55).

O sambista, que se apresentou no sábado, 3, um dia antes de saber da morte aos 28 anos de Elias, filho do grande amigo Zeca Pagodinho (55), mostrou outras pérolas de sua obra, como Sinceridade e Camarão Que Dorme a Onda Leva. Mas não escondeu que, entre as mais de 1000 canções que compôs, tem uma preferida: Meu Lugar, no qual exalta Madureira, onde fica a escola do coração, o Império Serrano, nove vezes campeã do carnaval carioca. “Foi tema de Avenida Brasil e virou a música”, destacou.

Na agremiação, já venceu dez vezes o concurso de sambas-enredos, inclusive este ano, com Poema aos Peregrinos da Fé. Na Ilha, cantou um outro clássico imperial, Aquarela Brasileira, de Silas de Oliveira (1916–1972).

A apresentação teve outras surpresas. Arlindo Neto (23), primogênito do sambista, e Andrezinho da Mocidade (44), ex-integrante do grupo Molejo, também deram uma canja, passeando por sucessos de outros ritmos, como Não Quero Dinheiro, Burguesinha e Toda Forma de Amor.

“Realizei o sonho de sambar ao som do Arlindo. Hoje, dancei tudo o que podia”, disse a atriz Juliana Silveira(34).

“Gosto de festa, de música e dança. Não tem como não cair no samba com pessoas tão animadas e tendo um mestre como protagonista”, afirmou a atriz Nanda Ziegler (33).

O dançarinoCarlinhos de Jesus (61) exaltou a apresentação. “Todo mundo tem uma música do Arlindo que se transformou em trilha sonora de sua vida”, explicou.

O cantor, que está lançando o CD Herança Popular e nas próximas segundas-feiras, dias 12 e 19, grava no Teatro Rival, Rio, o show Pagode 2 Arlindos, em parceria com o filho, demonstrou toda a sua felicidade. “O samba está em alta!”, celebrou Arlindo.