Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Renato Aragão passará o Natal e o Ano Novo em Orlando com a família

Renato Aragão diz que o Natal é um momento de reflexão, perdão e congratulação. O humorista conta que seu Natal inesquecível foi aos cinco anos de idade, quando descobriu que Papai Noel não existe

Redação Publicado em 21/12/2012, às 13h37 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Livian, Renato e Lilian Aragão - Selmy Yassuda
Livian, Renato e Lilian Aragão - Selmy Yassuda

Para  Renato Aragão (77) Natal é muito mais do que dar e receber presentes. Para o humorista, é tempo de perdoar, refletir e estar próximo de quem se ama. Como tem acontecido nos anos anteriores, o comediante passará o Natal em Orlando, nos Estados Unidos, com a mulher, Lilian (45), a filha, Livian (13) e rodeado de amigos. Animado com os novos projetos que fará em 2013, ele acredita que o novo ano será especial. “Sei que 2013 será um ano maravilhoso”, disse Renato, em sua casa, na Barra da Tijuca, no Rio, dias antes de viajar com a família.


- Qual o significado do Natal para você?

- Representa aquela época em que as pessoas se congratulam, se parabenizam, aquela poeira que fica bonita de solidariedade, alegria e principalmente família. Troca de presente é um abraço que você dá em um amigo que não vê há muito tempo, é um perdão que você dá para uma pessoa que está estremecida com você, um carinho que você procura nas pessoas que estão longe. Para mim é uma reflexão de tudo, um momento de congratulação. Esse é  o verdadeiro espírito do Natal. Hoje em dia o tempo está muito bruto para todos nós, a gente sai de casa para trabalhar, volta, tem violência aqui e ali.

- Qual seu Natal inesquecível?

- Foi quando me disseram que Papai Noel não existe (risos). Eu era criança, era iludido, acordava e olhava o que ele tinha deixado embaixo da cama. Tinha cinco anos, lá em Sobral. Aí um amiguinho me disse que Papai Noel não existia, que eram os meus pais que compravam os presentes. E quando Livinha era pequena ou com os netos eu escondia presentes em vários lugares da casa e na hora da ceia eu dava dicas para eles acharem, dizia que Papai Noel tinha deixado tudo mais cedo. Mas nunca me vesti de Papai Noel para elas. Com esse físico aqui, eu ia ser o Papai Noel do agreste (risos).

-  Como será seu Natal?

- Eu, Lilian e Livinha vamos para Orlando, sempre temos amigos nossos lá. Voltamos somente depois do Ano Novo.

- Que presente gostaria de ganhar?

- Já ganhei tantos presentes que agora eu queria dar presentes. Presente para mim é ter a paz, é ter a família toda reunida em harmonia. E o público é o maior presente que eu quero preservar.

- O que você espera para 2013?

- Muita coisa boa. Sei que 2013 será um ano maravilhoso para todos nós, para o brasileiro que está cada vez mais acreditando no seu país.