Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Gucci, Louis Vuitton e Osklen ficam fora de “lista verde”

Das 50 marcas sustentáveis reunidas no ranking da Interbrand, nenhuma é do segmento fashion de luxo

Redação Publicado em 27/06/2012, às 18h18 - Atualizado em 18/02/2013, às 06h41

Interbrand divulga ranking com as 50 marcas mais sustentáveis do planeta. Nenhuma é do segmento fashion de alto luxo. - Divulgação/Interbrand
Interbrand divulga ranking com as 50 marcas mais sustentáveis do planeta. Nenhuma é do segmento fashion de alto luxo. - Divulgação/Interbrand

Cuidar do planeta é uma atitude que a sociedade espera do poder público e das organizações privadas. Hoje, adotar medidas sustentáveis pode ser uma estratégia lucrativa, algo que norteia a produção de empresas multinacionais. No entanto, para que as ações sejam bem-sucedidas, o público consumidor e o mercado precisam saber o quanto cada organização é socialmente responsável. Para medir a efetividade da comunicação dessas práticas sustentáveis, a  Interbrand - maior consultoria de marcas do mundo – faz um relatório anual com as melhores marcas verdes internacionais.
O ranking deste ano, divulgado no último dia 26, contempla 50 marcas. Os segmentos que mais aparecem são tecnologia e automação. Adidas e Nike, que também têm roupas em suas linhas de produtos, surgem na 22ª e 26ª colocação. A gigante de fast fashion H&M fez sua estreia este ano no ranking, em 46º lugar. A surpresa é que não há nenhuma grife de luxo na lista. Nomes como Gucci e Louis Vuitton, que praticam ações sustentáveis, foram deixados de fora.
Jeferson Martins, assessor de comunicação da Interbrand, diz que as marcas precisam comunicar suas ações para que o público as reconheça como ‘verdes’. “As marcas incluídas na classificação são aquelas que refletem a mesma ideia de seus produtos. Por exemplo, Gucci e Louis Vuitton foram omitidas, já que seus esforços não podem ser vistos sem considerar seu conglomerado de produtos de alto luxo.”
Segundo Jeferson, “a lista de finalistas é então analisada para determinar a força verde das marcas.  Para estar entre as 50 maiores, as organizações devem ter um bom desempenho tanto na preocupação com o verde como na percepção”.
No Brasil, a Osklen é uma representante das empresas que adotam práticas sustentáveis, apesar de também não estar no ranking da Interbrand. A marca propõe a união de moda, beleza e sustentabilidade. Sem qualquer impacto produtivo, a Osklen cria peças com design inovador, sua característica mais marcante, a partir de matérias primas orgânicas ou recicladas. Além disso, é a fundadora do Instituto-e, que procura promover o desenvolvimento sustentável no Brasil.

Confira a lista completa aqui

Por Juliana Cazarine

jcazarine_colab@caras.com.br