Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Eventos / One Day Golf

SILVIA PFEIFER E OS CONSELHOS DO CAÇULA

ÍCONE DE ELEGÂNCIA, ELA REVELA QUE OUVE NICHOLAS ATÉ NA HORA DE SE VESTIR

Redação Publicado em 08/05/2008, às 14h37

Na Ilha de CARAS, Silvia, mãe também de Emanuella, se diverte com as opiniões do extrovertido Nicholas, seu filho com o empresário Nelson Chamma.
Na Ilha de CARAS, Silvia, mãe também de Emanuella, se diverte com as opiniões do extrovertido Nicholas, seu filho com o empresário Nelson Chamma.
Ter uma mãe famosa nem sempre é fácil. É o que pensa Nicholas (14), o caçula da atriz Silvia Pfeifer (50), do casamento com o empresário Nelson Chamma (50). "Às vezes, realmente não gosto da fama dela. Quando vamos ao shopping, por exemplo, minha mãe tem que parar, dar autógrafo, tirar foto e eu preciso esperar. Além disso, sinto ciúmes quando ela beija outro ator na televisão. Mas também sou um grande fã", conta ele, que tem uma irmã, Emanuella (22). "Ela é preocupada com a gente. Dá bronca normal de mãe, mas não deixa de castigo. É uma pessoa muito legal", continua ele, que, segundo Silvia, é um menino extrovertido. "A Emanuella diz que não quer ter filho. Por isso, Nicholas brinca dizendo que vai me dar uns cinco netos. Mas não me imagino avó", afirma a ex-modelo, que incentiva a herdeira a ser estilista. "Ela ainda não decidiu se vai seguir a carreira na moda, mas está produzindo roupas com as amigas. Espero que tome gosto pela coisa. Dou sugestões, mas ajudo até certo ponto, ela tem que aprender a andar com as próprias pernas", explica. Apesar de ser uma das mulheres mais elegantes do país, Silvia confessa que pede conselhos ao caçula para se vestir. "Ela sempre me pergunta com que sapato ou vestido deve sair e demora muito para ficar pronta e bonita", garante Nicholas. "Mesmo com toda a experiência com roupa e moda, realmente não tenho paciência para me arrumar. Às vezes, também me falta um pouco de criatividade. Adoraria que alguém fizesse a minha produção ou que a roupa estivesse pendurada no cabide, pronta para vestir", emenda a atriz, que se acha uma mãe estressada. "Sou um pouco, sim. Não durmo quando eles saem de noite, por exemplo, por causa da violência", justifica. A supermãe ainda revela que a idéia de adotar uma criança não está descartada em sua vida. "É algo viável na minha cabeça. Mas não tenho planos agora. É uma responsabilidade bem grande", admite Silvia.