Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Eventos / One Day Golf

CYNTHIA BENINI E A ENERGIA DE VALENTINA

EX-DE ANDRÉ GONÇALVES CONTA COMO VENCERAM JUNTAS ATÉ A DOR DA SEPARAÇÃO

Redação Publicado em 15/05/2008, às 18h43

Na Ilha, a atriz e jornalista, que apresenta o SBT Brasil, define Valentina como "bem resolvida", inclusive em relação ao seu namoro com Rodrigo Navarrette.
Na Ilha, a atriz e jornalista, que apresenta o SBT Brasil, define Valentina como "bem resolvida", inclusive em relação ao seu namoro com Rodrigo Navarrette.
por Leticia Rio Branco Quando os atores Cynthia Benini (35) e André Gonçalves (32) se separaram, em agosto de 2006, após quatro anos de união, tinham uma única prioridade: a pequena Valentina (4). "Queria que ela se sentisse segura, com o pai próximo. E o André sempre foi muito presente", disse Cynthia. Dois anos depois, ela festeja o sucesso da estratégia. E define a própria filha como "uma criança muito bem resolvida". "Nossa separação foi uma de cisão conjunta. Não sou daquelas mães que falam mal do pai para os filhos", completou Cynthia, que visitou a Ilha de CARAS acompanhada da própria Valentina. Durante os primeiros oito meses após a separação, a atriz se dedicou exclusivamente à filha. Somente há um ano, voltou a trabalhar, como jornalista, na bancada do SBT Brasil, e há oito meses namora o empresário Rodrigo Navarrette (30), seu primeiro relacionamento após o casamento com André. - Por que você e o André se separaram? - A separação nunca acontece do dia para a noite, é um processo.Terminamos por vários motivos: ele precisava ficar no Rio e eu em São Paulo. Mas o principal é que somos pessoas diferentes. - Valentina aceita bem o seu namorado? - Ela se dá superbem com Rodrigo e ele entende que tenho uma filha. O cara tem que compreender isso porque uma criança exige tempo e dedicação. - Como é sua rotina com ela? - Passo a manhã com a Valentina, até a hora do almoço, quando a levo na escola. Faço questão de ser motorista (risos). Depois, vou para a emissora trabalhar. E Valentina, ao retornar, fica com a babá. Mas somos bem parceiras e ela é muito ligada, esperta, inteligente mesmo. Não é ciumenta, mas, às vezes, fica carente, como qualquer criança de sua idade. - Você é uma mãe que deixa a filha fazer tudo ou é durona? - Sou muito durona, mas participativa. Fazemos aulas de patinação no gelo e andamos de bicicleta. Cinema e teatro infantil também são programas que gostamos bastante de fazer juntas. - Pensa em ter mais filhos? - Valentina pede irmãos, mas não é um sonho para mim. Por enquanto, não quero, já me sinto realizada com a minha filha e estou em um momento profissional importante. Isso é a prioridade. - Como é estar à frente do SBT Brasil dividindo a bancada com o Carlos Nascimento, um jornalista experiente? - Estou no telejornal há um ano. Ainda é um desafio, existe um caminho muito longo a ser percorrido. O Carlos é um grande colega de trabalho. Participo das pautas, produção e edição das reportagens. Faço questão de me inteirar de tudo. - Sofreu preconceito por ter sido modelo e atriz? - Sim. Quando comecei no jornal, as pessoas pensavam: "Será que ela vai dar conta?" Mas isso é natural. Depois perceberam que estava exercendo o meu ofício com toda a minha garra e humildade, que estava ali de verdade.