Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Eventos / One Day Golf

A NOVA VIDA DO ATOR SEAN GULLETTE

NA ILHA, ELE DIZ QUE POR AMOR A YTO BARRADA TROCA NOVA YORK PELA ÁFRICA

Redação Publicado em 28/03/2007, às 12h03

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O ator americano, de filmes como Pi e Réquiem Por Um Sonho, namora a mulher, a fotógrafa franco-marroquina Yto, que usa camiseta com o logotipo da Cinemateca de Tanger, recém-inaugurada
O ator americano, de filmes como Pi e Réquiem Por Um Sonho, namora a mulher, a fotógrafa franco-marroquina Yto, que usa camiseta com o logotipo da Cinemateca de Tanger, recém-inaugurada
Por amor acontecem as mudanças mais radicais do ser humano. Foi o que comprovou o ator e roteirista norte-americano Sean Gullette (38) ao conhecer a fotógrafa Yto Barrada (36), durante uma das viagens da bela franco-marroquina a Nova York. O encontro aconteceu durante uma iniciativa da Fundação Darna, organização sem fins lucrativos que trabalha com mulheres e crianças carentes para integrá-las à sociedade do Marrocos. Inspirados pela causa humanitária, que ambos apóiam - a criação de pontes de ajuda entre Nova York e Marrocos -, começou uma história de amor de cinco anos, tendo como resultado do conjunto da obra do casal a pequena Vega (1 ano e 3 meses). Ator e co-roteirista de filmes como Pi (1998) - em parceria com Darren Aronofsky (38) -, Sean há dois anos abandonou Nova York e deixou de atuar no cinema para viver a relação com Yto em Tanger, na África, onde ela mora desde a infância. "Era um cara solteiro com um pequeno apartamento em Manhattan e agora estou casado, com um bebê, em uma casa com um enorme e selvagem jardim, com dois burros e um cachorro. Acho que foi uma grande mudança", conta Gullette, com o seu sarcástico e característico senso de humor. Também foi preciso trabalhar na realização de roteiros à distância para apoiar a amada na criação da Cinemateca de Tanger, inaugurada recentemente depois de muitos anos de sacrifício e persistência da fotógrafa. "Não existia um espaço na África que oferecesse uma formação de cinema para as pessoas, ou mesmo que exibisse filmes por entradas baratas. Agora existe", explica Yto, que reestruturou o velho teatro municipal da cidade marroquina, transformando- o em um complexo cultural sem fins lucrativos com duas salas de cinema de última geração, biblioteca, arquivo de filmes e sistema de projeção na praça principal. Durante suas férias na Ilha de O casal caminha na praia e conversa sobre as conquistas pessoais e os projetos futuros. Entre eles, os próximos filmes que Sean atuará no México e na França. "Agora existe em Tanger um lugar bom e barato para assistir cinema." Sean e Yto aproveitam que a filha Vega dorme para compartilhar a leitura de livros sobre o Brasil. Abaixo, Sean relaxa depois do ioga. CARAS, onde reencontrou o casal amigo Darren Aronofsky e Rachel Weisz (36); Sean revelou que voltará a atuar este ano em dois longas: Tula Station, do mexicano Sergio Marroquin, e Lilibeth, do francês Fabien Martorell. "Tem que ser um projeto muito bom para ficar longe de casa. Vai ser muito duro, não sei se Yto terá tempo para me acompanhar na viagem ao México, serão dois meses de filmagens. Mas estou emocionado de voltar a atuar", disse ele. Apoiado pela mulher, Gullette sabe que também levará adiante um dos seus maiores projetos, a filmagem do primeiro longa como diretor, Monopolist. "É uma historia que começa em Manhattan, em 1960, e ao mesmo tempo, na floresta brasileira. Queremos filmar no Rio também. Estamos procurando produtoras brasileiras associadas para este projeto", avisa aos interessados. FOTOS:MARTIN GURFEIN