Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Eventos / One Day Golf

AS CORES DAS SETE MARAVILHAS

ANO QUINZE

CARAS Digital Publicado em 04/01/2008, às 15h30 - Atualizado em 21/01/2019, às 16h53

AS CORES DAS SETE MARAVILHAS
AS CORES DAS SETE MARAVILHAS

A temporada 2008 da Ilha de CARAS vai enfatizar uma idéia que há quinze verões já deslumbra os convidados vips da revista. Nunca a paisagem de cartão-postal de Angra dos Reis, no litoral fluminense, mereceu tanto o termo. Inspirada nas Sete Maravilhas do Mundo Moderno, a decoração trouxe para a Ilha elementos e referências dos recantos e atrações que no ano passado foram eleitos os mais belos de todo o planeta: o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro; as Muralhas da China; o Coliseu, na Itália; Petra, na Jordânia; a pirâmide de Chichén Itzá, no México; Machu Picchu, no Peru; e o Taj Mahal, na Índia. Além delas, as pirâmides de Gizé, no Egito - declaradas Maravilha do Mundo de Honra - estão representadas em alguns dos ambientes. E não foram só os bangalôs, decks e outros espaços que ganharam com o charme e a criatividade do tema. A camiseta 2008 da Ilha de CARAS também ostenta a imagem dos ícones da beleza mundial, uma criação exclusiva de Gregory Fink, artista plástico inglês radicado em São Paulo. ILHA DE CARAS REFLETE OS ÍCONES DA BELEZA EM 2008 AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO MODERNO INSPIRAM ATUAÇÃO DE ARQUITETOS E DECORADORES EM ANGRApor Bianca Portugal Desde 1931, quando foi alçado ao cume do morro do Corcovado, a 709 metros, o Cristo Redentor abençoa o Rio de Janeiro. O monumento é tão espetacular que em julho deste ano foi eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, ao lado das Muralhas da China, do Coliseu, na Itália, de Petra, na Jordânia, da pirâmide de Chichén Itzá, México, de Machu Picchu, Peru, e do Taj Mahal, na Índia; além das pirâmides de Gizé, no Egito, consideradas hors- concours e declaradas Maravilha do Mundo de Honra. São justamente estes ícones mundiais de beleza que serviram de inspiração para a temporada 2008 da Ilha de CARAS. E foi misturando criatividade, ousadia e conhecimento teórico que um renomado time de arquitetos, sob a coordenação do produtor Claudio Lobato (60), execução da Tempore Engenharia e cores elaboradas pela Suvinil, emprestaram novos ares aos vários ambientes da 15a edição da Ilha. Para que as transformações sejam melhor compreendidas, nas páginas seguintes CARAS publica uma foto de cada ambiente na temporada anterior ao lado das imagens atuais. Responsável pelo caramanchão e a pérgula, primeiros locais que o convidado vislumbra ao pisar na Ilha, Julinha Serrado (61) exultou ao descobrir que seu tema era o próprio Cristo. "Nasci em Fortaleza, morei alguns meses na Bahia, mas desde os cinco anos de idade estou no Rio. Sou carioca de coração, não poderia ter uma motivação melhor do que esta, que já me inspira diariamente. Além do Cristo, o mar é minha outra grande fonte de idéias, de energia. E o incrível é que aqui tenho um ao lado do outro", disse ela. O Cristo foi estampado em almofadas de diferentes formatos para os sofás da pérgula. Para o estofamento, Julinha preferiu inovar e optou por tons de laranja. "Como estamos entre o mar e o verde, é comum usarmos tons frios. Preferi ir para a terra e puxei tudo para os alaranjados. No início, só pensei nisso, mas também gostei desta idéia porque ficou alegre e aconchegante. E o Cristo é isso, aconchego", disse a arquiteta. Em torno da estrutura de bambus, cortinas com barra no mesmo tom dos sofás emprestam sofisticação ao espaço. E para as noites de verão ao ar livre, luminárias com cúpulas com o desenho do calçadão de Copacabana, outro símbolo do Rio. Já no caramanchão, Julinha optou por expor ainda mais o Cristo. Um biombo em tons metálicos com 3 metros de largura e 2 de altura, executado pela artista plástica Isabela Francisco (47), estampa o monumento e vários cenários cariocas. "Preferi um biombo em lugar de uma tela de quadro tradicional justamente para que ele possa ser trasnferido de lugar com maior facilidade. Assim, a cada dia, pode-se dar uma cara nova ao ambiente sem muito trabalho", explicou. Nos outros espaços do caramanchão, a arquiteta optou por sofás, poltronas e pufes de fibras naturais, criando nichos para animados batepapos. O estofamento também ganhou desenhos, com tecido de folhagens que mistura tons de laranja e de verde. Já o bar recebeu tinta dourada da linha acrílica perolada C188 e cadeiras que reclinam e possuem regulagem de altura. "Sei que este é um dos lugares mais usados na Ilha. É onde as pessoas se reúnem quando querem tomar um drinque e conversar. Por isso a prioridade tinha que ser o conforto", concluiu Julinha. O branco predomina no espaço da arquiteta Fernanda Pessoa de Queiroz (40) em seu primeiro projeto para a Ilha de CARAS. Mas nem por isso o toilette/sauna deixou de refletir sua alegria já que, além do Cristo Redentor, ela se inspirou na cartela de cores da Suvinil. O resultado é que nas paredes de fundo ela usou os tradicionais rosa para as mulheres e azul para os homens. E escolheu tons marcantes, como E 102 (AL) e D 079 (EN), ambos com acabamento acrílico fosco. "São cores vivas, que embora estejam na parte de trás, destacam os ambientes. E trouxe os mesmos tons para a frente", explicou ela, referindo-se a detalhes como o tecido que ornamenta a cesta de palha colocada debaixo da pia. Cada toilette ganhou ainda bancada de madeira rústica e cadeiras pintadas à mão. Inspirada pelo Cristo, Fernanda preferiu ser mais abrangente em seu projeto, homenageando o Rio de Janeiro. "É uma mistura de Rio antigo e Rio despojado, praiano", disse a arquiteta, encantada com luminárias que lembram os postes do início do século. O Oriente, para o arquiteto Caco Borges (52), é logo ali. Praticante de ioga e meditação, freqüentador de colônias espirituais e conhecido por sua personalidade zen, ele mergulhou a fundo na milenar cultura chinesa. Ao lado da parceira Marlyan Kenigsberg (39), Caco expõe a filosofia budista, a importância do dragão e até mesmo a cor original da Muralha da China - o bege bem clarinho -, tema do restaurante. "Usamos essas tintas porque, pelas nossas pesquisas, são as que mais se aproximam dos tons da arquitetura da China antiga. Daí partimos para o resto do ambiente", explicou Marlyan, referindo- se às tintas A032 e C 032 da Suvinil. Seguindo o "clima" oriental, a dupla usou cadeiras e estantes de bambu e vime, diferentes formatos de mesas, além de painéis com os símbolos de signos do horóscopo chinês. "Colocamos três ideogramas. O do porco, que é o ano em que começamos a obra, 2007; o do rato, que é o signo de 2008; e, no meio, o dragão, que é considerado o símbolo maior na China", explicou Caco. Mas o que mais chama a atenção é uma grande estátua de Buda, posicionada entre as mesas da varanda da residência e as do deck. "Enchemos de colares porque o Buda representa as próprias pessoas e a vaidade, em determinada dose, não é um defeito. Pelo contrário, torna a pessoa muito mais interessante", completou Caco, que este ano também assinou o badalado restaurante da mostra Casa Cor Rio. A Muralha da China, com mais de 7 000 quilômetros de extensão, remete à grandiosidade. E foi justamente esta idéia que o arquiteto Luiz Fernando Grabowsky (48) quis passar em seu projeto para o living. "O sofá tem seis metros de comprimento. Dá para muita gente se jogar e ficar à vontade", explicou ele, sobre o espaço da televisão. "Fiz três ambientes bem definidos, mas ao mesmo tempo integrados", disse Grabowsky. Além do espaço de TV, ele criou uma área para leitura com quatro poltronas Egg. Consideradas clássicos do design de móveis, as cadeiras foram desenhadas pelo arquiteto dinamarquês Arne Jacobsen (1902-1971) em 1958 e se mantêm atuais até hoje. Para aumentar ainda mais a sensação de conforto, uma mesa-pufe no centro. "É para as pessoas ficarem à vontade mesmo e colocarem os pés", resumiu Grabowsky. O terceiro ambiente é composto por uma mesa de vidro preto com oito lugares e uma luminária de 80 cm de diâmetro. O lustre, por fora preto, internamente é folheado com ouro. Para harmonizar os três ambientes, o arquiteto cobriu todas as paredes com as tintas Suvinil R157, R112 e C 188, em tons de vermelho, dourado e preto. "Até o teto pintei de dourado com vigas aparentes em preto. Tudo remete à China. Para completar, usei muitos objetos como marmitas, estátuas chinesas, grandes fotos de princesas orientais e até alguns dos chapéus típicos dos trabalhadores da lavoura de arroz", explica Grabowsky. Símbolo maior da arquitetura do Império Romano, que teve seu auge durante os séculos III e II A.C., e hoje uma das principais atrações turísticas da Itália, o Coliseu serviu de referência para Maurício Nóbrega (48). Habitué da Itália, um de seus destinos preferidos, o arquiteto se sentiu bastante à vontade com o tema. E buscou desenvolver um projeto que reflita a cidade de Roma: uma mistura do antigo com o moderno em perfeita harmonia. "As cores das paredes, que remetem a tons de terra, foram baseadas no próprio Coliseu", explicou Maurício, referindo-se às tintas P119 e P033 da Suvinil. "Mas mixei isso com móveis de linhas arrojadas e ultramodernas, características do atual design italiano", acrescenta. Para ilustrar ainda mais o tema, o arquiteto pediu à empresa Addict para grafitar a sala. "Desenharam o Coliseu e ainda colocaram uma lambreta. Achei perfeito porque essa é exatamente a melhor maneira de visitar os pontos turísticos de Roma, de moto", disse Maurício. No quarto, que na temporada 2007 era totalmente branco, o arquiteto optou por forrar uma das paredes com madeira envelhecida, fazendo assim uma enorme cabeceira para as duas camas de solteiro. A estrutura também foi grafitada, desta vez com a palavra vacanze, férias em italiano. "É o que significa a Ilha de CARAS. Lazer, descanso, descontração...", contou Maurício, que, para "quebrar" o excesso de madeira, fez uma espécie de sanca iluminada em torno do teto. Em sua estréia na Ilha de CARAS, a arquiteta Roseli Müller (47) não se intimidou com a idéia de criar um ambiente que será utilizado por diferentes pessoas. Em 10 anos como arquiteta da Infraero, ela projetou vários aeroportos, entre eles o Terminal 2 do Antônio Carlos Jobim, no Rio. "Estou acostumada. E adorei ser sorteada com este bangalô. Foi uma ótima oportunidade para estudar e aprender sobre um lugar que não conheço", disse ela, referindo-se ao tema do espaço, as ruínas de Petra, na Jordânia. Durante a pesquisa, Rosely se impressionou com a iluminação do local. "A luz em Petra muda durante o dia e à noite usam muitas velas. Por isso fiz aqui uma iluminação dramática", contou ela, que usou lustres de linho com 1,20 m de diâmetro, spots âmbar no chão e nas paredes, que ganharam ainda tintas Suvinil P118 e Areia, que remetem a tons do deserto. Contrastando com os tons neutros das paredes, Rosely usou um pouco de vermelho e laranja nos tecidos. "Não chego a ser minimalista, mas não gosto de excessos", explicou ela. A explosão de cores típica da decoração mexicana invadiu o bangalô assinado por Mariana Indio da Costa Werlang (30). Inspirada pelas pirâmides da cidade arqueológica de Chichén Itzá -o centro político e econômico da civilização Maia - mais precisamente a pirâmide de Kukulcán, ela usou e abusou de rosas, laranjas, azuis e verdes. "Não conheço o México, mas sei que é um povo que não tem nenhum medo de misturar cores bem distintas", explicou Mariana. O projeto da arquiteta começou com as paredes claras, pintadas com a tinta acrílica fosca A019, da linha de cores tranqüilas da Suvinil. "Gosto de cores claras para quartos. Podem até mesmo ser muito vivas, mas sempre claras. Não pinto nunca um ambiente para dormir com tons escuros. São espaços para relaxar e as cores ajudam muito nessa função", disse Mariana. Em contraponto às paredes neutras, os móveis, cortinas e almofadas da sala ganharam uma impactante combinação de rosa com laranja. A mesa de centro, em madeira pintada à mão com listras coloridas, é o destaque do ambiente, que tem ainda pimenteira sobre mesa rosa e vasos de barro. Já no quarto, a cama com dossel exibe uma mistura de verde com azul. "Os mexicanos gostam de tudo muito simples, mas muito colorido e bastante confortável. E o conforto combina com o tipo de trabalho que costumo fazer. Essa é sempre minha prioridade", disse a arquiteta. A habitual criatividade de Cadas Abranches (53) atravessou o planeta e buscou inspiração no Taj Mahal. Erguido entre 1630 e 1652 pelo imperador Shah Jahan (1592-1666) em memória de sua esposa favorita, que morreu após dar à luz o 14o filho, o Taj Mahal é um suntuoso monumento indiano de mármore branco, cúpula com fios de ouro e inscrições do Corão. E, devido à sua origem romântica, ficou conhecido como a maior prova de amor do mundo. São justamente a história e a suntuosidade que Cadas quis transpor para o bangalô. "Usei dourado para lembrar da opulência do templo. Não fiz a Índia pobre", explicou ele, que também cobriu as paredes da sala com a tinta Suvinil M 022, que tem o mesmo tom da lápis-lazúli, pedra semipreciosa que decora o templo. No quarto, com estrado de madeira de 2,80 x 2,80 m, uma das paredes foi forrada com pastilhas de vidro real, que se diferencia do vidro comum pelo brilho. "Também imprimi anúncios publicitários indianos no lustre", disse Cadas, brincalhão. Veterano na Ilha de CARAS, o arquiteto Jairo de Sender (50) imprimiu mais uma vez sua marca. Conhecido por misturar diferentes estilos, mas sempre com um toque de irreverência, ele foi o responsável pelo bangalô inspirado em Machu Picchu, no Peru, conhecida como a cidade perdida dos incas. "Como várias das maravilhas do mundo são feitas com pedras, preferi jogar mais com a vegetação. Por isso escolhi o verde-água, que além de remeter às plantas combina com praia", explicou Jairo, que usou as tintas A 019 e D 055 da Suvinil. Poltronas de bambu, almofadas de palha e tapete de sisal completam a sala. "Dei o toque divertido com arandelas forradas com imagens de Machu Picchu manipuladas no computador. Até parecerem desenhos psicodélicos", disse o arquiteto, que também colou gravuras da cidade inca diretamente nas paredes do bangalô. No quarto, o destaque é o lustre de bambu e papel de arroz, que compõe o ambiente com cabideiro italiano, poltrona e cesto para roupas. "Ficou um clima bem aconchegante", concluiu Jairo. Combinar o espaço, o anfiteatro construído com bambus, com o tema, a Muralha da China, foi fácil para a decoradora Ana Maria Indio da Costa (61). "China e bambu formam uma combinação perfeita. Só tive que priorizar o que considero imprescindível aqui: a multifunção", disse Ana, que pensando nisso espalhou sofás e futons de diferentes tamanhos e alturas por todo o ambiente. Para marcar bem o tema, Ana usou dois grandes símbolos da China: as flâmulas e as sombrinhas. As primeiras, ela confeccionou em gaze transparente vermelha, criando o clima dos tem- 2007 by Gorete Colaço 2008 plos do Oriente. Já das sombrinhas a decoradora aproveitou o formato, utilizando- as como luminárias de teto. "Acho que consegui dar um 'tchan'", orgulha-se. Uma tradicional estante chinesa, de 1,80 x 1,80 m, foi centralizada na parede dos fundos e decorada com poucos objetos, para não encobrir as linhas do móvel. "Fiz uma coisa simples e despojada. Coloquei algumas marmitas chinesas, pequenos vasos e velinhas. O importante é que tudo tenha harmonia. A principal finalidade da decoração é conciliar o sonho e a fantasia com a necessidade prática de cada projeto. Esse espaço é muito usado para almoços e shows, por isso reservei lugar para que as pessoas possam sentar, mas usei poucos móveis, para não atravancar", explicou. Se jogar, relaxar e aproveitar o que há de melhor em Angra dos Reis: a natureza. Esse foi o principal objetivo da arquiteta Gorete Colaço (39), responsável pelo Deck Corcovado. Para "acomodar" o tema, o Cristo Redentor, e os próprios convidados vips, ela levantou duas estruturas confeccionadas com madeira natural, cada uma com 2 metros de largura e 6 metros de altura. "Quis fazer um verdadeiro banho de sol comunitário, onde todos pudessem aproveitar o espaço a sós ou em grupo. A idéia é curtir a vida ao ar livre o máximo de tempo possível", disse Gorete. Em cada uma das estruturas de madeira, quatro colchonetes tamanho casal forram o chão. Como em um quebracabeças, em cada colchão foi pintado um pedaço do Cristo. "Usei tons de azul e verde porque acho que são cores bem tropicais. Por isso espalhei ainda almofadas com desenhos de coqueiros, contrapondo com outras brancas", explicou a arquiteta. Para completar o visual com leveza, Gorete pendurou oito cortinas de voile branco, transparente, em cada estrutura. "Achei que assim criaria uma movimento bonito, que vai mudando de acordo com o vento. E também ficou bacana para ser admirado de perto ou de longe", concluiu. O tom acinzentado do Cristo Redentor, construído em concreto armado e revestido de pedra-sabão retirada do próprio cume do Morro do Corcovado, onde está localizada a estátua, foi o ponto de partida da arquiteta Lou Palhares (32). A cor foi desmembrada no preto e no branco, que marcam o projeto da piscina. "Gostei dessa combinação em uma área externa. Acho que ficou classudo", disse Lou. Para o clima praiano, ela cobriu as almofadas com estampas de folhas de bananeiras mixadas a outras listradas. "Não sou modernosa. Faço o estilo clássico mesmo e quis ficar dentro do que eu sou. Foi isso o que imprimi aqui", justificou Lou. As mesas, todas redondas com 1,30 m de diâmetro, ganharam pés de balaústres de cimento e tampo de mármore. Ao lado, jogo de sofás e poltronas em vime preto. Ao fundo, o Cristo pintado em uma tela de 2,40 x 1,10 m. "Foi feita em tecido vazado porque aqui venta muito. Assim, ela agüenta as intempéries", explicou a arquiteta. Já na área da piscina, Lou espalhou espreguiçadeiras e cadeiras brancas, além de pequenas estátuas do Cristo em madeira. Sofisticada, chique e elegante. Assim é a praia na visão de Patrícia Serralha (35). Paulista, ela não teve nenhum receio em decorar um dos ambientes mais idolatrados pelos cariocas em pleno Rio de Janeiro. "Priorizei o conforto. Acho que estando na praia ou em casa, todos nós queremos nos sentir confortáveis", resumiu Patrícia. Seu tema, as pirâmides de Gizé, no Egito - atração hors-concours e declarada Maravilha do Mundo de Honra -, literalmente cobriu a parede de pedras ao fundo do deck. Na frente, sofás, chaises e pufes, tudo em fibra sintética com tecido aquablock, impermeável, para suportar sol, vento e chuva. O toque final ficou por conta dos objetos decorativos. Patrícia espalhou bastante dourado, vermelho e azul sobre as mesas. "Fiz a praia da Cleópatra mesmo. Se ela viesse à Ilha, sei que adoraria tomar banho de sol aqui", explicou ela. Na cartela de cores dos tecidos, vermelho, preto e branco. A idéia partiu da própria bandeira do Egito. "Preto é uma cor muito elegante. As pessoas acham que não combina com praia, mas é bastante usado em resorts porque não fica com aspecto de sujo e é chique", disse Patrícia. "E os detalhes em dourado não poderiam faltar, né? Não consigo imaginar o Egito sem esta opulência, sem brilho nenhum. Isso aqui ficou tão egípcio que o mar este ano é quase o Nilo", concluiu ela, referindo- se ao principal rio egípcio. Para a dupla Paula Neder (45) e Alexandre Monteiro (36), o Egito não é a opulência de Cleópatra, mas o aconchego de um oásis. Assim eles pensaram o Ofurô Egípcio, que ganhou três ambientes distintos. "Fizemos uma área com o próprio ofurô, outra com muitas cadeiras e almofadas para os convidados relaxarem e uma terceira com uma mesa de 2 x 1 m porque achamos que as pessoas gostam de se reunir não apenas na hora das refeições, mas também para conversar e tomar drinques à noite", explicou Paula, que usou plantas e níveis diferentes no chão para separar os ambientes. Nas estampas, palmeiras características do norte da África impressas em tons de dourado, azul e verde, além de tecidos listrados nas almofadas. Desde os seis anos, a paisagista Adriana Fonseca (43) já sabia que queria trabalhar com plantas. "Vivia com a mão na terra, pegando galhos dos vizinhos para colocar em casa. Dizia que queria ser jardineira", contou ela. Pensando em seu tema, as pirâmides de Gizé, no Egito, Adriana descobriu um novo material, o poomex, uma espécie de concreto poroso. Com ele, construiu três pirâmides com alturas variadas, 1,30 m, 75 cm e 60 cm. "Depois cavei buracos e enxertei bromélias. Esse material permite que você faça buracos com facilidade e ainda retém água, o que é fundamental para que as plantas possam sobreviver", ensinou a paisagista. Em outro espaço, Adriana utilizou sofá de vime com tecido impermeável e decorou com plantas nolina, típicas do deserto africano. Já o corredor de bambus, que liga o caramanchão ao restaurante, ganhou grandes cortinas de voile brancas. "Fazer um jardim não é difícil. É uma questão de organização e de muito amor. Para mim, por exemplo, não existe planta feia. Um jardim é como uma casa, cada coisa tem seu lugar e, no final, o que importa é a harmonia", explicou Adriana, que apesar de lamentar não ter as unhas impecavelmente arrumadas, não consegue trabalhar com luvas. Isso para poder sentir a terra. "Tem sensação melhor?", pergunta ela. OS EXPERTS DA DECORAÇÃO E OS SEUS COLABORADORES NA TEMPORADA 2008JULINHA SERRADO(CARAMANCHÃO E PÉRGULA DO CRISTO) Breton: (21) 2108-8244 Tora Brasil: (21) 3819-8001 Zanini de Zanine: (21) 8748-4088 IMI: (21) 7893-9858 Isabela Francisco: (21) 2287-3505 Rosa Kochen: (21) 8748-4088 Led Volt: (21) 2438-1727 Martins: (21) 8141-3898 Stella Tecidos: (21) 2239-4735 Tapeçaria Universal: (21) 2548-2696 Marcenaria Maracanã: (21) 2502-7046 Suvinil: 0800 117558 GORETE COLAÇO (DECK CORCOVADO) Fabiano: (21) 2742-2198 ArqLuz: (21) 2613-2589 Stella Tecidos: (21) 2239-4246 Ortobom: (21) 2107-8300 Benoît: (21) 9966-8846 Aveta: (21) 9987-3664 Iole e Luis Fernando: (21) 2234-8550 Atelier São Domingos: (21) 9816-5192 Spectra: (21) 2722-6966 FERNANDA PESSOA DE QUEIROZ(TOILETTE/SAUNA) AMSL: (21) 9102-1070 Alfaias: (21) 2529-2698 Berrante: (21) 2249-9686 Benny: (21) 8885-4297 Espaço Rústico: (21) 2771-2875 Stephane: (21) 9979-1776 Toque: (21) 2294-3847 Mucky Arteiro: (21) 7919-0825 Area: (21) 3204-0770 Tempore (21) 3223-9550 Suvinil: 0800 117558 CACO BORGES E MARLYAN KENIGSBERG (RESTAURANTE ORIENTAL) André Andrade: (21) 2492-1557 Breton Atual: (21) 2108-8244 All Light: (21) 2438-4054 Led Volt: (21) 2438-1087 ArqLuz: (21) 2613-2589 Angela Pizarro: (21) 2491-6013 Espaço Asia: (21) 2437-7085 IMI: (21) 7893-9858 Blum Haus: (21) 3325-2608 Image Presentes: (21) 2294-7272 Tempore: (21) 3223-9550 Leila Aguiar: (21) 9976-5214 Linifício Leslie: (21) 2445-3939 Stilo Asia: (21) 3326-4334 Suvinil: 0800 117558 Vista Alegre: (51) 2131-0600 LUIZ FERNANDO GRABOWSKY(LIVING CHINÊS) Tempore: (21) 3223-9550 Suvinil: 0800 117558 IMI: (21) 3325-9496 Stella Tecidos: (21) 2239-4246 Breton: (21) 2108-8244 Futon Company: (21) 2108-8252 Covering: (21) 2540-5125 Casa Julio: (21) 2431-1180 Stilo Asia: (21) 3326-0260 Almir Reis: (21) 9465-6901 GAM (Galeria de Artes e Molduras): (21) 2247-8060 Studio Grabowsky: (21) 2529-2359 Spectra: (21) 2422-3927 Nils Ericson Lighting Designer:(21) 2438-1087 ANA MARIA INDIO DA COSTA (ANFITEATRO DA MURALHA) Adriana Fonseca Paisagismo: (21) 2443-5404 Amazonia: (21) 2108-8088 AMSL: (21) 9102-0170 Anna Luiza Rothier: (21) 2108-8131 Arqluz: (21) 9956-9750 Candle Design: (21) 2513-3601 Eduardo de Almeida: (21) 9647-7233 Futon Company: (21) 2108-8251 High End: (21) 2431-8705 Linifício Leslie: (21) 2445-3939 Saccaro: (21) 2431-1556 Skylight: (21) 2570-7096 Stilo Asia: (21) 3326-4334 Vidrocor: (21) 3273-8962 LOU PALHARES (PISCINA DO REDENTOR) MAC: (21) 2437-0333 IMI: (21) 7893-9858 Kobylko Estofados: (21) 2580-0282 Fabiana Lopes da Cunha: (21) 8817-9998 Studio Alfa: (21) 3077-9000 Bernardino Gesso e Cimento: (21) 2232-0620 Marmoraria Itaipava: (24) 2222-6272 ArqLuz: (21) 2613-2589 / 9958-9750 Skylight: (21) 2570-7096 Adriana Fonseca Paisagismo: (21) 9982-7126 Ana Luiza Rothier: (21) 8132-9550 MAURÍCIO NÓBREGA (BANGALÔ COLISEU) Addict: (21) 3644-7346 Ana Claudia Monteiro: (21) 8323-3445 Casa Julio: (21) 2431-1180 Estúdio Alfa: (21) 3077-9000 Interni: (21) 3223-9844 Linifício Leslie: (21) 2445-3939 Probel: 0800 7733899 Suvinil: 0800 117558 Spectra: (21) 2422-3927 Stella Tecidos: (21) 2239-4246 Tempore Engenharia: (21) 3223-9550 Yolanda Barreto: (21) 2754-8716 Artefacto: (21) 3844-8043 ROSELI MÜLLER (BANGALÔ PETRA) Avanti: (21) 2429-8122 A Marcenaria: (21) 2409-6888 IMI: (21) 3325-9496 Probel: 0800 7733899 Stella Tecidos: (21) 2493-7955 Duílio Sartore: (21) 2108-8144 Rosa Kochen: (21) 2494-5700 Suvinil: 0800 117558 Luciana Martins Design: (21) 2612-0434 ArqLuz: (21) 2613-2589 All Light: (21) 2438-4054 MARIANA INDIO DA COSTA WERLANG (BANGALÔ CHICHÉN ITZÁ) Probel: 0800 7733899 IMI: (21) 3325-9496 Saccaro: 0800 541-1199 ArqLuz: (21) 2613-2589 Mucky: (21) 2513-7361 Suvinil: 0800 117558 Aninha: (21) 2113-4295 Linifício Leslie: (21) 8133-6422 Stella Tecidos: (21) 2239-4246 Heloísa: (21) 7819-0825 Ana Luiza Rothier: (21) 2226-5887 Casa Julio: (21) 2429-8338 Allight: (21) 2438-4054 CADAS ABRANCHES (BANGALÔ TAJ MAHAL) Probel: 0800 7733899 Francisco Rodrigues: (33) 3355-1216 Covering: (21) 2512-5645 Vidro Real: (11) 3819-0282 Carlos Rosa: (21) 2501-6160 Fina flor: (21) 2512-9781 Secrets de Famille: (21) 2540-6539 Thereza Caiado: (21) 9982-6652 Jacare do Brasil: (11) 3081-6109 Vitor Hugo: (21) 8133-8325 Suvinil: 0800 117558 Stephane: (21) 9979-1776 Jorge: (21) 9956-0580/ 9845-8373 Fernanda Lima: (21) 8225-8166 Maneco Quinderé: (21) 2543-5136 Elle et Lui: (21) 2249-9899 Serpa Marcenaria: (27) 2293- 2491 Candle Design: (21) 2513-36010 Espaço Asia: (21) 2437-7085 Transportadora Transmisan: (21) 2407-7752 JAIRO DE SENDER(BANGALÔ MACHU PICCHU) Probel: 0800 7733899 IMI: (21) 3325-9496 MAC: (21) 2437-0333 Arte Reverte: (21) 2259-7221 Beto Roma: (21) 8124-1623 Fotosfera: (21) 2106-9888 Adriana Fonseca Paisagismo: (21) 9982-7126 Casa Júlio: (21) 2494-2500 ArqLuz: (21) 2613-2589 Led Volts: (21) 2438-8615 Linifício Leslie: (21) 8133-6422 Brazil Interiores: (21) 3411-6652 Tempore Engenharia: (21) 3223-9550 Suvinil: 0800 117558 Donna Borboleta: (21) 2493-8856 PAULA NEDER E ALEXANDRE MONTEIRO (OFURÔ EGÍPCIO) Indusparquet: (21) 2234-5740 MAC: (21) 2437-0333 Futon Company: (21) 2429-8251 Spectra: (21) 2722-6966 Bahia Bali: (21) 3325-4106 Espaço Multi: (21) 2249-7234 Ana Laet: (21) 2274-8765 Studio Alfa: (21) 3077-9000 Brazil Interiores: (21) 2497-5181 Adriana Fonseca Paisagismo: (21) 2443-5404 PATRÍCIA SERRALHA(PRAIA DAS PIRÂMIDES) Breton: (11) 3081-6197 Futton Brasil: (11) 3081-7072 Tergoprint: (11) 3822-0800 Wcsculpt Esculturas: (54) 3216-4860 ADRIANA FONSECA (PAISAGISMO DE GIZÉ) Chacára Tropical: (21) 2493-0394 João Marcio: (21) 9938-8643 ArqLuz: (21) 9958-9750 / 2613-2589 Leds Led Point: (21) 2421-9051 Spectra: (21) 3322-0451 IMI: (21) 3325-9496 Tempore: (21) 3223-9550 Ipanema Kravet: (21) 3432-8132 Velas do Mar: (21) 3365-5017