Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Datas Especiais / Dia dos Namorados

A química de Adriana Birolli com o namorado Alexandre Contini

Adriana Birolli e o namorado Alexandre Contini revelam como alimentam a paixão. O casal está junto há cerca de um ano e meio

Redação Publicado em 14/06/2012, às 12h19 - Atualizado em 24/03/2020, às 14h59

Juntos há cerca de um ano e meio, os atores se abraçam na casa da atriz...
Juntos há cerca de um ano e meio, os atores se abraçam na casa da atriz...

Juntos há cerca de um ano e meio, Adriana Birolli (25) e Alexandre Contini (27) demonstram uma sintonia que parece trascender o pouco tempo denamoro. Parceiros incondicionais,  os atores se entendem facilmente, sem a necessidade de muitas palavras. “Somos muito, muito parecidos. Temos gostos idênticos para música e teatro, curtimos os mesmos programas. Nos conhecemos em 2008, através de uma amiga em comum. Primeiro ficamos amigos, e, só depois, o sentimento tornou-se mais profundo”, disse a atriz, em seu apartamento na Barra da Tijuca, Rio. Apesar de serem vizinhos de bairro, e passarem boa parte do tempo um na casa do outro, dividir o teto ainda não é um projeto imediato. “Eu moro em praticamente três lugares. Aqui, em um apartamento que também mantenho em Ipanema, uma espécie de base onde fica meu escritório, e no cantinho do Alê, bem pertinho. Mas, apesar de estarmos sempre tão juntos, ainda consideramos cedo para casar de verdade. É uma vontade muito grande, sem dúvida, porém vai ficar para o futuro. Achamos importante manter ainda essa individualidade, o que consideramos fundamental para o sucesso de qualquer relação”, justificou a atriz.

– Vocês eram amigos e se tornaram namorados. É mais fácil entrar em uma relação quando ambos já se conhecem bem, ou o fator surpresa é melhor?

Adriana – Sinceramente, não sei... É muito bom estar com alguém que eu já conhecia, e tinha afinidades. Por outro lado, também é bastante legal a coisa da descoberta, de ser surpreendida... Acho que isso traz mais diálogo, incentiva a troca de ideias e torna o relacionamento mais maduro e equilibrado.

– O que é fundamental para o amor dar certo?

Adriana – Lealdade, honestidade e parceria. Sem isso, realmente, nenhuma relação sobrevive por muito tempo.

Alexandre – Olha como somos afinados! Eu ia dizer exatamente a mesma coisa (risos).

– São ciumentos?

Adriana – Não, sou bem tranquila. Por exemplo, não nos impedimos de sair com os amigos quando o namorado não está presente. Muito pelo contrário. Tanto ele quanto eu nos apoiamos muito nas amizades e gostamos de companhia. Prezamos nossas vidas particulares. Se não for assim, travamos um ao outro. Alexandre – Apesar de ela ser mais exposta, sofrer mais assédio das pessoas, considero meu grau de ciúme na medida certa. Nada que nos traga desentendimentos.

– Quais as características que mais admiram no amado?

Adriana – Um conjunto. Alexandre tem muito caráter. O que é primordial em qualquer ser humano. Ele também é muito alegre, está sempre com um sorriso no rosto. O espírito de parceria que esse menino tem também é incomensurável. Companheiro de verdade é quem está com a gente no que for proposto ou preciso. Sempre achei isso.

Alexandre – Admiro, acima de tudo, a amiga que ela sempre foi. Também tenho orgulho da grande atriz que é, e do seu talento. Ah, e Adriana também cozinha para mim, e muito bem! Adoro a maneira como sempre me trata.

– E quais são os pratos que ela faz de sua preferência?

Alexandre – Ela faz uma comidinha caseira maravilhosa! Arroz, feijão e bife são os meus prediletos. No entanto, também manda muito bem no franguinho grelhado, nas sopas e nos doces.

–Adriana, você buscava um namorado antes do Alexandre entrar na sua vida?

– Nunca saí atrás dos relacionamentos. Acho que tudo na vida deve acontecer de forma natural. Quem busca desesperadamente o amor, só se mete em encrenca. A tendência é a ilusão e a decepção. O melhor é deixar rolar.

– Já trabalharam juntos?

Adriana – Infelizmente, ainda não tivemos tempo de concretizar nenhum projeto artístico juntos. 

Alexandre – Vontade é o que realmente não falta.

– Vocês já criaram apelidos românticos para o outro?

Adriana – Quase sempre nos chamamos de amor.

– Que tipo de programa costumam fazer quando estão juntos? 

Adriana – A gente adora sair para dançar. Ficar em casa juntinho também é bom demais. Às vezes, quando estamos de preguiça, alugamos vários filmes e fazemos uma verdadeira sessão de cinema. Nada como assistir à boas produções ao lado dele.

Alexandre – Além disso, esse condomíno em que Adriana mora é muito gostoso. Tem silêncio, paz... Parece uma espécie de refúgio. É legal ficar quieto às vezes.

– E os projetos profissionais de ambos?

Adriana – Vou reestrear o espetáculo O Manual Prático da Mulher Desesperada, no Rio, a partir de 6 de julho. A peça tem um tema bastante atual. É sobre uma menina chamada Alice, de 28 anos, que não tem um namorado. Por estar em busca de sua cara-metade, vive se mentendo em enrascadas.

– Você também está produzindo o grupo Molungo, do qual seu irmão, Carlito Birolli, faz parte. Como tem sido a experiência?

Adriana – Sou suspeita para falar disso! É um orgulho estar ao lado dele. A banda tem quatro anos e faz um som cheio de ritmos brasileiros.

– E você, Alexandre?

– Estou dirigindo o Danilo de Moura, que vai entrar em Tim Maia – Vale Tudo, O Musical, no lugar de Tiago Abravanel, que estará na novela Salve Jorge. Como ator, estreio em agosto as peças Escravas do Amor e O Casamento, de Nelson Rodrigues, no Rio.