Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Country / Entrevista

Letícia Jacintho leva conhecimento sobre o Agro brasileiro aos jovens e crianças

A partir de suas experiências com a maternidade, administradora fundou a associação De Olho no Material Escolar, que qualifica o ensino sobre o agronegócio nas escolas

CARAS Country Publicado em 29/01/2024, às 16h14 - Atualizado em 30/01/2024, às 16h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Letícia Jacintho - Foto: Arquivo Pessoal
Letícia Jacintho - Foto: Arquivo Pessoal

Ao acompanhar o processo de aprendizagem de seus três filhos ainda mais de perto durante a pandemia, a administradora Letícia Jacintho, 42 anos, percebeu que, nos livros de ensino, as informações sobre o Agro não eram baseadas em fontes seguras – por isso, muitas vezes retratavam inverdades. Nascida e crescida no meio rural, ela não perdeu tempo: ainda em 2020, fundou a associação De Olho no Material Escolar, que hoje promove a atualização do conteúdo escolar já em 16 estados do Brasil, aproximando a educação dos setores produtivos.

Letícia nasceu e cresceu em Barretos (SP), famosa pela Festa do Peão e pelas usinas e frigoríficos em seu entorno. Sua conexão com o setor a acompanhou em todas as etapas de sua vida pessoal e profissional, colocando-a na lista das 100 mulheres da Forbes Agro 2023. 

Formada em Administração, Leticia atuou por 14 anos como sócia e diretora administrativo-financeira do ZJ Investimentos, empresa do Agronegócio, com investimentos na produção de grãos e cana-de-açúcar.

O conhecimento adquirido ao longo de sua extensa trajetória profissional a levou a identificar, com facilidade, a distância entre a realidade do campo e o material escolar de seus filhos (Isabela, 13 anos, Vitória, 12 anos, e Felipe, 8 anos). “Brinco que, para mim, a vida é um MBA diário, não podemos deixar de estudar. E quanto mais aprendemos, melhor conseguimos ajudar as pessoas ao nosso redor e mudar as situações que nos desagradam no dia a dia”, afirma.

Desse princípio que surgiu a Associação De Olho no Material Escolar, que vem alcançando feitos inéditos no país. Além de promover atualização dos materiais escolares por meio da aproximação e ação com as principais editoras do Brasil e com o governo, foram criados outros projetos para apoiar a educação sobre o Agro para jovens e adolescentes. 

Primeiramente, a Agroteca - site que disponibiliza dados confiáveis, com curadoria da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ/USP), de maneira acessível, organizada e gratuita. Em paralelo, há o projeto Vivenciando a Prática, que promove visitas guiadas para alunos e professores em feiras, fazendas, agroindústrias, para que vejam com os próprios olhos o dia a dia do campo.

Para Letícia, ensinar sobre o Agro é repassar valores muito caros para a sociedade. “Se ninguém acordar às 4 da manhã, não tem leite na caixinha. Se as condições climáticas estiverem adversas, é preciso adiar os planos da colheita. E assim a natureza ensina a disciplina, a paciência e a entrega, valores importantes, que precisam ser passados para as próximas gerações", diz Letícia, que também é vice-presidente do Núcleo Feminino do Agrone (NA) e membro do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Fiesp.

Como mãe, ela percebeu que a educação dos filhos é parecida com a educação sobre o Agro. Ao invés de punir ou castigar suas crianças quando fazem algo de errado, ela prefere parabenizar aquele filho que fez o certo, e o exemplo faz com que os irmãos queiram se espelhar. Assim funciona com o ensino sobre o agronegócio. “Precisamos parar de mostrar apenas as ações negativas do Agro, que são a minoria, e partir para a educação positiva, que reforce a importância e a realidade do setor”, conclui.

Exemplo de conteúdo que Letícia disponibiliza gratuitamente por meio do projeto De Olho no Material Escolar
Exemplo de conteúdo que Letícia disponibiliza gratuitamente por meio do projeto De Olho no Material Escolar