Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Tom Felton fez dieta radical para novo filme: 'Maluca'

Tom Felton conta como se sentiu ao ter que fazer dieta de apenas 500 calorias por dia para o filme 'Against The Sun'

CARAS Digital Publicado em 18/02/2015, às 11h52 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Tom Felton - Getty Images
Tom Felton - Getty Images

O ator Tom Felton sofreu durante as filmagens de seu novo longa-metragem, Against The Sun. A história conta a trama de alguns soldados da Segunda Guerra Mundial que ficam à deriva em um bote salva-vidas sem comida ou água após terem que abandonar o avião em uma missão de reconhecimento. Para que o seu personagem tivesse mais veracidade, o artista teve que emagrecer bastante e para isso seguiu uma dieta radical, em que consumia apenas 500 calorias por dia – sendo que o recomendado para um adulto é cerca de 2 mil calorias.

“Dieta maluca. Eu realmente não previ que seria tão difícil quanto foi. Eu realmente adoro comer. Então pensei: ‘Tudo bem, é só pular algumas refeições’. Mas eles dão cerca de 500 calorias por dia e você tem que comer a cada duas horas. Dão sete amêndoas ou a metade de um brócolis. Então, em alguns dias, seu metabolismo está debilitado e desesperado por qualquer coisa”, disse ele.

Tom ainda relembra de momentos marcantes desta fase em que não podia comer.

“Eles tiveram que manter o caminhão de comida longe do set. Foi ruim. Eu não sabia que as calorias também eram contadas nas bebidas. A nutricionista veio no meu quarto de hotel no segundo dia e viu latas de cerveja vazias. Eu fiquei assim: ‘O quê? Eu não comi nada’. Mas ela disse: ‘São cerca de 150 calorias por lata!’. Então, isso foi horrível. Eu não sabia que o café era basicamente só leite. Então foram 380 calorias em um dia inteiro por causa do idiota do café. Foi difícil, mas foram só três semanas”, contou.

O ator teve a companhia dos colegas de Garret Dillahunt e Jake Abel durante a dieta. “Se estivéssemos fazendo isso sozinhos, eu não acho que teríamos conseguido. Nós éramos pesados a cada manhã, um em frente ao outro, como pugilistas. E você pode ver o progresso, e se não perdeu tanto quanto no dia anterior, você fica meio mal”.