Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Robert De Niro mostra fotos da infância ao lado do pai que era gay

No documentário 'Remembering the Artist: Robert De Niro Sr.', o ganhador do Oscar relembra como foi crescer ao lado do seu pai, que era homossexual, e faz elogios: 'Ele era muito amoroso'

CARAS Digital Publicado em 09/06/2014, às 09h52 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Robert De Niro mostra fotos da infância ao lado do pai que era gay - Reprodução/ People/ HBO
Robert De Niro mostra fotos da infância ao lado do pai que era gay - Reprodução/ People/ HBO

O vencedor de dois Oscar Robert De Niro estreia nesta segunda-feira, 9, o documentário Remembering the Artist: Robert De Niro Sr., onde homenageia seu pai que era um artista plástico e morreu há mais de 20 anos. 

"Eu quero que meus filhos saibam quem o avô deles era", contou De Niro à revista People. "Não fiz o filme para ninguém, fiz para a família", disse o ator, que até hoje mantém a casa onde o pai morava e guardava suas obras. 

Os pais de De Niro se separaram quando ele tinha 2 anos de idade. O ator foi criado pela mãe e descobriu anos depois que o pai era gay. "Minha mãe meio que intimidou ele a me dizer, mas ele nunca falou 'Filho, eu quero que você saiba...'. Isso só acontece nos filmes. Ele era reservado", contou. 

O ator disse que teve uma criação diferente dos amigos. "Esportes não eram a nossa coisa. Nós gostávamos de ir ao cinema", falou. "Nós não éramos o tipo de pai e filho que jogavam baseball juntos, como você pode presumir. Mas nós tínhamos uma conexão", disse. 

De Niro explicou que, por conta do divórcio, passou mais tempo ao lado da mãe que do pai. "Ele era ausente em alguns aspectos. Mas ele era muito amoroso. Ele me adorava... assim como eu adoro meus filhos", declarou. 

Também na entrevista, De Niro revelou que acredita que seu pai sofreu muito para se aceitar. "Ter sido daquela geração, especialmente vindo de uma cidade pequena", comentou. "Queria que a gente tivesse falado mais sobre isso", completou. 

O ator explicou porque mantém as obras do pai guardadas até hoje. "Ele era um ótimo artista, um artista de verdade", resumiu.