Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Luiza Brunet exalta seu amor a Lírio Parisotto

No Castelo de Caras, os apaixonados revelam seus segredos para um relacionamento feliz

CARAS Publicado em 14/10/2014, às 12h42 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Luiza Brunet e Lírio Parisotto no Castelo de Caras - CADU PILOTTO
Luiza Brunet e Lírio Parisotto no Castelo de Caras - CADU PILOTTO

Dizem que o amor deixa a pessoa mais bonita. Mas será que a regra vale para alguém como Luiza Brunet (52), uma mulher que há três décadas é referência de beleza, carisma e elegância? “Ah, acho que esse é um dos reflexos de quando estamos apaixonados, você fica bonita por dentro e por fora. Eu cheguei a pensar que nunca mais encontraria um amor na minha vida, uma relação madura com um homem maduro, alguém que soubesse avaliar o quão importante é cuidar do outro”, suspira ela. “O Lírio é tudo isso e muito mais”, acrescenta a eterna top e empresária, referindo-se ao empresário Lírio Parisotto (60).
O casal se conheceu em 2011 e assumiu o namoro em maio de 2012. Em meados deste ano, eles se afastaram por dois meses, mas durante a estada no Castelo de CARAS, em Tarrytown, ficou claro que a relação voltou para valer. “A Luiza é uma mulher desafiadora, está sempre me surpreendendo”, resume o gaúcho, apontado por revista norte-americana como um dos homens mais ricos do mundo.


– Luiza, você foi casada por 24 anos. Após a separação, teve medo de não achar outro amor?
Luiza – Sempre preservei minha intimidade. Fui casada muito tempo com o Armando Fernandez, o pai da Yasmin e do Antonio. Depois que nos separamos, passei quatro anos ‘tranquila’. Quando conheci o Lírio, queria ter a certeza de que poderia apresentá-lo aos meus filhos, que seria algo sério. Não sou namoradeira, gosto de relações estáveis. E estou muito feliz com ele.
– Como é voltar a namorar depois de tantos anos?
Luiza – Namorar com 50 e poucos anos é meio engraçado. Eu vou vê-lo em São Paulo, ele vai me ver no Rio, é uma rotina gostosa. Para mim é uma novidade, eu nunca tinha tido espaço para namorar. Nas relações em que você é mais madura há mais tranquilidade. Ao mesmo tempo, você cobra mais, porque sabe o que quer e até por isso não se arrisca tanto. Nunca fui do tipo que termina uma relação e logo já engrena outra. Eu escolho demais e acho que ter encontrado o Lírio foi um presente. Ele é uma pessoa ótima, tem um jeito de pensar parecido com o meu.
– Então, para você, os opostos não se atraem?
Luiza – Acho que para certos casais funciona, mas, se você tem as mesmas ideias, fica mais fácil. Ou então vai entrar em mil discussões e brigar o tempo todo. Quando há muitos conflitos de opinião é complicado, mas também não dá para abdicar totalmente do seu ponto de vista.
– Vocês chegaram a dar um tempo. O que fez voltar?
Luiza – Ficamos separados dois, três meses. Voltamos pelo fato de acreditar que vale a pena. Acho que brigamos mais por minha causa, eu estava passando por um momento difícil. Mulher tem uns chiliques de vez em quando, não é?
– O que admiram um no outro?
Luiza – Lírio é emotivo e sensível. Também é generoso, amável, divertido e engraçado. É um homem especial. Ele não perdeu as características da pessoa simples, do interior. Isso tudo é muito mais importante do que a coisa do poder, do dinheiro. Ele me faz feliz, porque é um homem maduro, decidido, corajoso e comprometido.
Lírio – Que ela é uma mulher bonita eu não preciso nem citar, certo? (risos) Admiro sua inteligência, seu empreendedorismo, sua espontaneidade. A Luiza é uma mulher com personalidade, determinada. Ela não ‘segura’ nada: se gostou, fala. Se não gostou fala também. É pavio curto...
– Vocês são românticos?
Luiza – Eu acredito no amor. Acho possível se apaixonar novamente. Gosto de cuidar, de me arrumar para ele, de acompanhá-lo e fazer parte da vida dele. Para mim, isso é relacionamento de verdade.
Lírio – Acredito que sou. Procuro agradá-la, acendo velas perfumadas pela casa, preparo um bom vinho, programo viagens... Mas tudo sem estresse.
– Vocês têm a trajetória profissional muito parecida: saíram do ‘nada’ e alcançaram o sucesso...
Lírio – Na vida, a gente tem ganhos e perdas, o importante é que o balanço final seja positivo! Não é nenhum segredo que nasci no interior do Rio Grande do Sul, na roça, quase fui padre, sou médico de formação, ainda na faculdade abri um pequeno negócio de eletroeletrônicos e depois fui para a indústria. A Luiza tem uma história fantástica. Ela também saiu de uma infância pobre, começou a trabalhar cedo e fez um pouco de tudo até ser descoberta pelas câmeras fotográficas. Ela é um ícone de moda e de beleza, um exemplo de vida. Ela é uma batalhadora e eu tenho a maior admiração pelo trabalho dela. Aliás, ela trabalha muito até hoje. Vive em convenções com as revendedoras de seus perfumes, por exemplo, e não para quieta.
– Lírio, você coleciona vinhos. Também gosta de cozinhar?
Lírio – Sou de família gaúcha e italiana, o primogênito de dez irmãos e minha mãe sempre se orgulhou de comprar apenas dois ingredientes: açúcar e sal. Todo o resto ela cultivava em casa. Mas dizia: ‘Filho, estude, trabalhe, progrida e alguém cuidará da sua comida!’ A Luiza cozinha muito bem, a danada não faz cerimônia na cozinha e eu não passo fome!
– Luiza, você é apontada como uma das mulheres mais elegantes do País. Qual é o seu segredo?
Luiza – Vejo como a Yasmin se veste e me dou conta de que eu era igual, mas muito mais ousada. (risos) Com o passar do tempo, é lógico, você vai se transformando. Gosto dessa coisa da mulher mais feminina, de saia, vestido, camisa bem cortada, pantalona. Não suporto ficar puxando a barra do vestido justo para baixo. Sou clássica.
– Demora para se arrumar?
Luiza – Nada, sou muito rápida! Já fui mais complicada, mas hoje sei o que me cai bem. Penso em diferentes combinações e invisto em peças de qualidade, que poderei usar daqui a uns 10 anos. Na hora de viajar, eu sou ‘coordenada’ e não passo aperto!