Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Ivete Sangalo

A realização plena da musa

Redação Publicado em 28/12/2010, às 10h12 - Atualizado em 07/06/2012, às 23h25

No Castelo de CARAS, a 40 minutos de New York, a estrela baiana celebra as conquistas profissionais de 2010 e fala dos seus amores: o marido e o filho, de 1 ano e 2 meses. - FOTOS: CADU PILOTTO
No Castelo de CARAS, a 40 minutos de New York, a estrela baiana celebra as conquistas profissionais de 2010 e fala dos seus amores: o marido e o filho, de 1 ano e 2 meses. - FOTOS: CADU PILOTTO

Retorno aos palcos e trios elétricos, show histórico na mais importante arena americana, casamento, batizado e primeiro aniversário do filho. Para Ivete Sangalo (38), o ano de 2010 ficou marcado por grandes realizações profissionais e pessoais. Com motivos de sobra para rir à toa, a musa baiana chegou ao Castelo de CARAS, a 40 minutos de New York, irradiando alto-astral. "Acho que o ser humano tem uma necessidade de ser notado. O artista é exibido por natureza, e eu sou demais! Nada mais justo que ter um trabalho bem feito reconhecido", atesta ela. Durante a estada na secular propriedade em Tarrytown, à beira do Hudson River, a cantora recordou com emoção seu show na Big Apple, em setembro. Com lotação esgotada, a performance deu origem ao CD e DVD Multishow Ao Vivo - Ivete Sangalo no Madison Square Garden, que já ultrapassou as 300000 cópias vendidas. Casada com o nutricionista Daniel Cady (25), com quem tem seu único filho, Marcelo (1 ano e 2 meses), a estrela suspirou ao falar da cumplicidade com o amado e do amor sublime pelo rebento. - Você é uma mulher de realizações profissionais. A pessoal veio com a maternidade? - Não, acho que veio quando eu encontrei meu marido, um cara especialíssimo. Deus é muito bom comigo, Ele organizou meu barco. Ele disse: "olha, minha filha, está na hora de você organizar esse negócio, vou mandar para você um cara massa, um filho lindo..." Foi mais ou menos por aí. (risos) - O que a maternidade trouxe ou mudou em você? - Ser mãe te dá uma coragem absoluta. Por um filho você se joga de um prédio de 50 andares, vai para a frente de uma bala. Você deseja que seja com você e não com ele. Essa coragem entra também no profissional. Em contrapartida, a maternidade traz um medo de tudo, o que é terrível. É um medo particular, você sabe que é capaz de tudo, Realizada com o filho, Marcelo, fruto da união com Daniel Cady, Ivete não descarta a ideia de aumentar o clã em breve. No papel de mãe, ela se compara a uma leoa. mas tem medo de coisas bobas, como seu filho escorregar e cair. - Com uma agenda tão concorrida como você administra o tempo com seu filho? - Eu faço tudo, dou banho, comida, boto para dormir. Tem horas que ele olha pra mim e deve pensar "mamãe, chega, me dá um tempo..." (risos) O povo fala "olhe, muitas mulheres passam o dia fora trabalhando, tudo bem", mas eu não quero desgrudar dele. Se chego em casa à uma da manhã, durmo até às cinco e está ótimo! (risos) Logo que ele nasceu eu acordava a noite toda; digo que mãe é igual a peru de Natal. Apita e você pula da cama. Em casa, todo mundo tenta me passar para trás para ficar com o Marcelo. Me deixam dormir, fazem um silêncio ensurdecedor e, se estou baqueada e acordo às nove da manhã, fico desesperada. Nunca pensei em ficar p... da vida porque me deixam dormir. (risos) - Você quase não mostra o Marcelo... - Eu não quero é, deliberadamente, submeter o meu filho a uma rotina que não é nossa. Com 23 anos, fui cantar na Banda Eva porque era meu sonho. Tenho um desejo de me exibir, gosto de ser notada. Mas quando você tem um filho, faz uma análise sobre o que será favorável a ele. Pôxa, quero que tenha as escolhas dele. É óbvio que ele é filho de uma cantora e isso não vai mudar, mas quero que tenha a vidinha dele. É importante que conquiste amiguinhos, espere seu lugar na fila, saiba obedecer e respeitar o próximo. E, às vezes, quando se tem uma vida muito facilitada, você meio que perde essas referências. - Você é muito coruja? - Toda mãe é exibida. Em New York, em uma loja de decoração, eu estava pagando e o Marcelo estava no colo do Dito, meu assessor. Uma mulher virou e disse: "aquele menino é seu filho? Porque se ele estivesse sozinho eu corria para entregá-lo a você! Ele é a sua cara". Pronto, isso para uma mãe é a glória, engatei o maior papo com a mulher, contei o que ele fazia... (risos) - E o que o Marcelo faz que mais te encanta? - São pequenos movimentos, olhares, sorrisos. Sinto um amor enlouquecedor, sublime, sei lá, até sufocante. Eu digo "meu filho, me ajude, não faça isso comigo". Somos abençoados, nosso filho nasceu em uma família de pessoas de bem, podemos trabalhar, alimentá-lo da melhor maneira e educá-lo com os valores que aprendemos. - Planeja ter mais filhos? - O parto, em si, é a experiência mais surreal. A mulher descobre que é uma maquininha que pode botar vários desses para fora. Foi isso que eu pensei, eu quis engravidar de novo já na hora em que tive meu filho. Quis repetir a dose por vários motivos, para efetuar o ato e para gerar. (risos)