Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Guilhermina Guinle: 'Acho que nunca fiquei 6 meses solteira'

No Castelo de CARAS, em Nova York, a atriz, no ar em 'Guerra dos Sexos', se revela segura e bem resolvida com suas convicções, como a de ser 'casamenteira'

Redação Publicado em 04/12/2012, às 11h12 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

No Castelo de CARAS, em New York, a atriz, no ar em Guerra dos Sexos, se revela segura e bem resolvida com as suas convicções, como a de ser ‘casamenteira’. - Cadu Piloto
No Castelo de CARAS, em New York, a atriz, no ar em Guerra dos Sexos, se revela segura e bem resolvida com as suas convicções, como a de ser ‘casamenteira’. - Cadu Piloto

Com ascendência em tradicional clã carioca, Guilhermina Guinle traz no DNA uma elegância que chama a atenção já no primeiro olhar. Mas o encanto da atriz vai muito além, como demonstrou em temporada no Castelo de CARAS, em New York. Dona de um discurso fi rme e coerente, revela-se ainda extremamente segura e bem resolvida. Tanto que chega aos 38 anos cheia de convicções e sem culpas, entre elas, a de que pode vir a não ter filhos. “Eu jamais tive ansiedade de ser mãe, senão já teria tido um bebê, até porque os homens com os quais fui casada queriam crianças. Desejava passar pela experiência da maternidade, deve ser única. Só acho cruel com a mulher a questão do tempo. Eu, Guilhermina, estenderia esse prazo. Enfim...”, pondera ela, que, apesar de usar aliança na mão esquerda, prefere dizer que é ‘namorada’ do advogado Leonardo Antonelli (41), irmão da atriz Giovanna Antonelli (36), com quem se relaciona há um ano e três meses.

Assumidamente casamenteira, Guilhermina já morou sob o mesmo teto com estrelas como Fábio Jr. (59) e José Wilker (67). No entanto, nunca oficializou qualquer relação. E assegura que o estado civil ‘solteira’ jamais foi um problema. “Para mim, casamento é companheirismo. Seguir pela aquela estrada da vida junto com a pessoa. É dividir as alegrias e tristezas, dormir e acordar junto”, garante a intérprete de Manoela, da novela global Guerra dos Sexos

– Após 16 anos de carreira, Manoela é o seu melhor papel?

– Essa é uma profissão longa. Para mim, sucesso não é fazer sucesso, mas sim manter-se ao longo da sua trajetória. O legal é pegar personagens cada vez mais diferentes. Este, então, já está sendo um grande trabalho. Sou o oposto da Manoela. Isso é bom. Ela tem uma relação conturbada com o marido. E talvez não seja só louca. Tem razão para sentir o ciúme...

– E você, nunca teve?

– Não. Ciúme vem de insegurança no relacionamento. Tive a sorte de ter relações verdadeiras. Todos os meus casamentos foram bacanas, longos, com pessoas que estavam apaixonadas por mim e vice-versa. Não gerava a coisa do ciúme. Sou tranquila, paz e amor. Quando estou junto, é porque está muito bom.

– O fato de nunca ter casado significa que não acredita na instituição?

– Creio totalmente, por isso estou casada desde os meus 18 anos. (risos) Acho que nunca fiquei seis meses solteira. Adoro estar com alguém. É o namoro de hoje em dia. Fiquei cinco anos com Murilo (Benício), mas cada um vivia no seu apartamento. Para mim, para casar, não precisa dividir o lar.

– A rotina faz o relacionamento esfriar?

– Ao contrário. É o que fortalece o casamento, a história de duas pessoas. Não há nada melhor no mundo do que dormir e acordar junto de quem ama. Por isso, acho legal a história que tive com pessoas interessantes em fases diferentes da vida. Cada um me completou, me fez crescer. Como acho que fui legal na vida deles.

– Como define sua atual fase?

– O amadurecimento vem com o tempo. Tento ser melhor a cada dia. Me sinto bem resolvida, mais madura. Estou em uma fase boa, tranquila, feliz.

– Você tem contato com os ex?

– Sim. Geralmente não brigo com ninguém. Vivi coisas bacanas e isso levo para o resto da vida. Tento ficar com o lado bom.

– Também é bem resolvida com a estética?

– Existem mulheres lindas mais velhas, com belezas naturais. Hoje, como tem a tecnologia, vamos usá-la ao nosso favor. Pegava muito sol com minha mãe (a decoradora Rosa May de Oliveira Sampaio), mas, aos 24 anos, após uma amiga falar que minha pele estava manchada, passei a me bronzear como uma velhinha, usando protetor solar 100 e maiô de manga comprida. (risos) Nunca fiz plástica. Tenho genética que ajuda, mas também pratico esportes desde criança, balé, natação... Atualmente, faço pilates e RPG, por causa de um problema na coluna cervical. Quero me cuidar para ficar sempre bem tratada e bonita.