Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Carnaval / Folia

Portela remonta tradições culturais e religiosas da Bahia em desfile

A Bahia invadiu a Marquês de Sapucaí em desfile da Portela e reuniu grandes nomes da música brasileira

Redação Publicado em 19/02/2012, às 23h40 - Atualizado às 23h54

Milton Gonçalves, Marisa Monte, Paulinho da Viola e Sheron Menezzes - Clayton Militão / PhotoRioNews
Milton Gonçalves, Marisa Monte, Paulinho da Viola e Sheron Menezzes - Clayton Militão / PhotoRioNews

Sem medo de misturar outras cores ao tradicional azul e branco que tanto representam sua identidade, a escola de samba Portela entrou no sambódromo Marquês de Sapucaí na noite deste domingo, 19, com um desfile que homenageia um estado brasileiro bem longe do Rio de Janeiro.

O samba Pequena Prece ao Senhor do Bonfim desfilou os encantos culturais e místicos da Bahia e montou com paleta completa as diversas nuances da terra de grandes como Jorge Amado (homenageado na noite do último sábado, 18, pela escola de samba Mocidade Alegre, em São Paulo), Gilberto Gil (69), Caetano Veloso (69) e tantos outros. Os blocos afro-descendentes, as festas de São João e o sincretismo religioso foram alguns dos destaques do desfile.

Portelense de coração, o sambista Paulinho da Viola (69) marcou presença no desfile e surgiu acompanhado da cantora e compositora Marisa Monte (44) no abre-alas da escola. Em rápida entrevista na dispersão, Paulinho da Viola falou sobre a importância da homenagem deste ano e defendeu seu caráter multicolorido.

"O desfile deste ano está lindo, ele trouxe um samba vibrante, alegre, com cara de enredo mesmo. Fiquei muito feliz. Achei ótimo que a escola entrou colorida. Você tendo o azul e branco como base, pode-se usar cores variadas que não compromete a identidade da escola", refletiu.

Com a bateria vestida de filhos de Gandhi, tradicional bloco carnavalesco baiano, a escola de samba Portela entrou na avenida sob o reinado da atriz Sheron Menezzes (28), que desfilou seu samba no pé durante uma hora de passarela e se debulhou em lágrimas ao fim do espetáculo. "Esse choro aqui é de felicidade, fiquei segurando o desfile inteiro! Sentimento de dever cumprido, sabe?", afirmou aliviada.

Quem também recebeu homenagem no desfile foi a baiana Daniela Mercury (46), que saiu como destaque do carro O Canto da Cidade, remetendo a uma de suas canções mais populares. "Estar aqui no berço do samba foi indescritível, ainda estou com sangue fervendo. Vim para o Rio fazer essa homenagem a Portela, que escolheu nos homenagear neste carnaval. Eu que fiz meu primeiro grande show na Apoteose depois de anos já me apresentando na Bahia, e foi uma experiência incrível. Esse desfile veio com o lindo papel de aproximar os Brasis", declarou ainda emocionada ao fim do desfile.

Além de celebridades como Teresa Cristina (43), que saiu no carro da velha guarda da escola; e Vanessa da Mata (36), que desfilou encarnando a cantora Clara Nunes (1942-1983), o espetáculo portelense trouxe ainda sua ala de cadeirantes toda fantasiada, incluindo os integrantes que empurram as cadeiras, que até o ano passado não entravam na avenida fantasiados.