CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil
Carnaval / História

Marido ou affair? Viúvo de Jorge Lafond morreu frustrado e sem herança

Empresário Marcelo Padula não teve relacionamento com Jorge Lafond reconhecido e acabou ficando sem herança

por Surenã Dias

sdias_colab@caras.com.br

Publicado em 16/02/2023, às 17h30 - Atualizado em 29/03/2023, às 10h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Companheiro de Jorge Lafond, o empresário Marcelo Padula morreu lutando pela herança do ator - Foto: Reprodução / Instagram
Companheiro de Jorge Lafond, o empresário Marcelo Padula morreu lutando pela herança do ator - Foto: Reprodução / Instagram

Apesar de ter uma carreira popular na televisão brasileira, o ator Jorge Lafond (1952-2003), também conhecido pela personagem Vera Verão, era discretíssimo quanto a sua vida pessoal. Um dos detalhes que poucos sabem é que ele mantinha um relacionamento de anos com o empresário Marcelo Padula, que após sua morte, sofreu por não ser reconhecido e acabou ficando sem herança.

Padula morreu em fevereiro de 2020, em decorrência de um infarto. Na época, ele lutava na Justiça de São Paulo para ser reconhecido como esposo de Jorge Lafond, com quem viveu por mais de 20 anos e até tinha documentos que comprovavam o casamento. 

No início, Padula começou a ser visto apenas como amigo de Jorge, mas pouco depois foi sendo apresentado como seu empresário. Ele era o responsável por cuidar da imagem do ator, agendar entrevistas e acompanhá-lo em gravações na TV. 

Leia também:Herança de Jorge Lafond, a Vera Verão, foi alvo de disputa judicial

No ano de 2003, Lafond, que estava com 50 anos, passou a sofrer com problemas de saúde e terminou falecendo devido a uma parada cardiorrespiratória. Na época, Padula estava ao seu lado e viu de perto sua partida.

LUTOU ATÉ O FIM PARA RECUPERAR HERANÇA

Mesmo sendo sabido por pessoas próximas, o relacionamento entre Jorge e Padula não foi levado em conta. Em meio a uma sociedade preconceituosa e que não aceitava o romance entre dois homens, a herança do ator, que era composta por uma casa e apólices de seguros avaliadas em R$ 800 mil, acabou nas mãos da família do artista. 

Em 2019, Padula veio a público revelar que vivia uma relação estável com Jorge e tinha documentos que poderiam comprovar seu vínculo. Em entrevista ao programa Fofocalizando, do SBT, ele revelou detalhes do processo e sobre a morte do marido. 

"Meu advogado estava mexendo numa série de papéis, e falou: ‘Marcelo, eu tenho uma novidade para te contar’.  Eu falei: ‘O que foi?’. ‘Existe uma apólice de seguro de 2002 cujo o beneficiário é você’. Eu falei, opa! ‘Só que tem uma surpresa não agradável. Essa apólice foi paga, receberam esse dinheiro indevidamente no seu lugar. Ou seja, Marcelo, você foi roubado. Meteram a mão do que é teu por direito!’. Fizeram um pacto nojento, sujo, baixo, entre a seguradora e essas pessoas e me roubaram, foi isso!", disparou.

Mas apesar dele ter chegado a ganhar a causa parcial, no final os três primos de Jorge Lafond terminaram vencendo processo. A sentença saiu apenas dois anos depois, quando a Justiça de São Paulo derrubou a decisão que reconhecia a união de Marcelo com o ator. Em sua sentença, o juiz avaliou que apesar das provas à favor do empresário, a relação entre eles não cumpria os requisitos do Código Civil que reconhecem atualmente o que seria uma união estável.