Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS
CARAS Recomenda / CARAS Recomenda

"O teste vocacional quase foi minha pior sentença, mas mudei o meu destino", diz Paulo Vitor Porto

Como o empresário conseguiu sair de um caminho de incertezas para trilhar a rota do sucesso profissional

CARAS Digital Publicado em 31/07/2020, às 10h43 - Atualizado em 07/08/2020, às 14h44

"O teste vocacional quase foi minha pior sentença, mas mudei o meu destino", diz Paulo Vitor Porto - Divulgação
"O teste vocacional quase foi minha pior sentença, mas mudei o meu destino", diz Paulo Vitor Porto - Divulgação

Assim como muitos brasileiros, tive inúmeras dúvidas sobre qual carreira seguir quando estava terminando o ensino médio. Sempre admirei muito as pessoas que, desde pequenas, já sabiam exatamente o que fariam em sua vida adulta e com o que desejavam trabalhar. No entanto, eu simplesmente não tive essa clareza, assim como a maioria dos meus amigos.

Hoje, no auge dos meus 32 anos, sou sócio da PWR Gestão — que desenvolve ações no Brasil e no mundo —, e me vejo em uma posição privilegiada, podendo decidir com quais projetos quero me evolver e até mesmo escolher a remuneração pelo meu empenho. Mas, para chegar até aqui, o caminho não foi tão óbvio.

Aos 17 achei que seria dentista, pois era isso que o teste vocacional, feito na escola, indicava. Tomei essa decisão como certa até os 47 minutos do segundo tempo. Hoje em dia, vejo que levar aquele resultado como única absoluta foi a minha pior sentença, pois, apesar da carreira de dentista ser brilhante, ela simplesmente não era para mim. Eu seria um profissional infeliz.

Descobri que isso acontece com muito mais pessoas do que eu imaginava, mesmo com o apoio da família. Analisando as situações pelas quais passei, percebo que o empreendedorismo sempre esteve presente em minha vida, mas faltavam exemplos nos quais eu pudesse me espelhar. Entretanto, o tempo me trouxe experiência e conhecimentos que, se os tivesse lá atrás, teriam sido valiosos.

Para quem não sabe qual carreira seguir, indico o uso dos direcionadores de objetivo —premissas-macro que ajudam no processo de escolha. Os meus, por exemplo, eram: trabalhar em uma empresa com carreira corporativa a ser seguida; realizar algo que me trouxesse o conhecimento para ter um negócio próprio e trabalhar em uma atividade que me permitisse comercializar minhas técnicas no futuro.

Com tudo isso, hoje eu digo que é muito importante termos um mentor em nossa vida, alguém que nos mostre o melhor caminho e os erros que podem ser evitados. E o curso Escolha Seu Salário, idealizado pelo Lásaro do Carmo Jr., oferece exatamente isso. Com ele, recebo as melhores orientações de um dos maiores empresários do País, o que tem me ajudado a desenvolver ainda mais a minha carreira.

Ter o privilégio de ouvir as palavras do Lásaro, indicando o que fazer e o que não fazer para me tornar um profissional disputado no mercado, é, com certeza, uma bela oportunidade que não pude ter quando era mais jovem.

Acesse CLICANDO AQUI.