Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Os segredos do bom humor de Thaíssa Carvalho

Recém-solteira, atriz revela sua maneira positiva de encarar a vida em viagem à Patagônia

Redação Publicado em 27/09/2010, às 16h10 - Atualizado em 07/06/2012, às 23h25

A morena relaxa na neve após esquiar na pista de Cerro Bayo, em Villa La Angostura, na Patagônia argentina. - MARTIN GURFEIN; PRODUCÃO: CLAUDIO LOBATO; AGRADECIMENTOS: JORGE BISCHOFF E MARIAZINHA
A morena relaxa na neve após esquiar na pista de Cerro Bayo, em Villa La Angostura, na Patagônia argentina. - MARTIN GURFEIN; PRODUCÃO: CLAUDIO LOBATO; AGRADECIMENTOS: JORGE BISCHOFF E MARIAZINHA

Alegre e simpática. Assim é Thaíssa Carvalho (28), que conquistou o país como a sensual empregada doméstica Cida, na novela Viver a Vida, de Manoel Carlos (77). Sempre sorridente, ela exibiu uma faceta pouco conhecida durante a 11ª Temporada CARAS/NEVE, em Villa La Angostura, na Patagônia argentina, deixando de lado a aura de mulher supersexy, embora seja dona de belas curvas. "Sou moleca. Sempre fui arteira! Não posso ver algo para brincar com alguém que eu não me aguento", diz a atriz, que ainda demonstrou ser decidida. A morena conquistou seu lugar no cenário artístico com muito empenho. Após algumas participações na Globo, Thaíssa ingressou na faculdade de Nutrição e no final do curso obteve um estágio em um dos restaurantes do Projac. "Combinei com as minhas colegas para não pegarem essa vaga, para eu poder ficar três meses lá. Assim, consegui meu papel da índia Aiiena em Alma Gêmea. Ficava sabendo dos testes", lembra ela, prestes a voltar ao vídeo como Anauã, integrante da tribo tupi na série Histórias do Brasil, da Conspiração Filmes, a ser veiculada pela TV Brasil. Solteira desde o recente fim do namoro com o empresário Ricardo Quintella (30), Thaíssa fala sobre seu momento. "Sinto-me readaptada", garante ela, que contou com a companhia do irmão Jamerson Carvalho (22) durante a viagem. - Como está se sentindo com o fim do relacionamento? - Quando um ciclo é interrompido, você precisa readaptar sua vida, sua rotina, seus planos a curto prazo. Fazer uma faxina geral, para, aos poucos, poder ganhar um novo ritmo de vida. Eu estou assim, levando a minha vida normalmente. Bem tranquila e certa de que era a melhor decisão a ser tomada. Acredito muito em destino, e quando as coisas têm de ser, elas acontecem, não necessariamente no tempo em que gostaríamos, mas na sua hora certa. Quando aceitamos isso, fica tudo bem mais fácil e simples. - Porque vocês terminaram? - Vivíamos um momento que nos distanciava de uma relação plena. Ele atravessa uma fase profissional intensa, e como não moramos perto, ficava muito difícil de conciliar. Continuamos amigos, nos respeitamos e queremos o bem um do outro. Estaremos sempre acompanhando as conquistas de cada um e nos apoiando. - Acredita já estar pronta para um novo amor? - Não acho que ficamos prontos para um novo amor. Ele simplesmente acontece, quando tem de ser e, geralmente, quando menos esperamos. Às vezes, reconhecemos de imediato, em outras, deixamos passar, mas papai do céu é sábio e nos ensina de alguma forma a reconhecê-lo e encontrá-lo. - Você se considera uma mulher bonita? - Ah, me considero sim, porque eu sou feliz comigo. Acho que a beleza não é apenas física, sem ser hipócrita, claro, mas penso que é muito mais do que isso. A gente encontra tanta menina perfeita fisicamente por aí, mas tão insatisfeita com o que tem, que não consegue deixar transparecer a própria beleza. E outras nem tão bonitas, mas bem resolvidas e que conseguem convencer a todos disso. - Você se considera uma mulher sexy? - Acho complicado afirmar isso. As pessoas enxergam a sensualidade de mil formas diferentes, né? Se depender de uma atitude sexy, um decote ou algo do tipo, definitivamente não é o meu caso. Sou muito moleca, brincalhona. Agora, tem homem que acha uma mulher bem-humorada sexy. Se for neste quesito, então, sou sensualíssima. (risos) - De onde você tira o seu bom humor? - Sempre fui muito sorridente. E é até engraçado porque como estou sempre rindo, quando fico mais séria todo mundo vem me perguntar o que é que eu tenho. Mas acredito que a vida segue melhor se for encarada desta forma. Quando você absorve essa energia, consegue seguir em frente. - O que te tira do sério? - Trânsito e fome. (risos) Aquelas pessoas que andam com o carro no meio da pista, isso me irrita de uma forma... Eu não suporto dirigir, acho que se eu tivesse muito dinheiro, a primeira coisa que faria seria contratar um motorista. Eu guio muito bem, nunca bati, mas não gosto. - Quais são seus sonhos? - Sou uma pessoa bastante simples, não quero ser milionária. Sonho viver da minha profissão, ter a tão sonhada estabilidade financeira e formar uma família como a minha. E ponto. Ter filhinhos, netinhos e bisnetinhos, mas trabalhar, sempre. Não tenho vocação para princesinha, para ficar em casa, de madame.