Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

No ar em 'Sangue Bom', Rômulo Neto fala sobre a decisão de sair da Record após quatro anos: "Fui corajoso, confesso"

CARAS Publicado em 16/08/2013, às 11h43 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Rômulo Neto - Martin Gurfein
Rômulo Neto - Martin Gurfein

Incomodado com a mesmice na profissão, no ano passado o ator Rômulo Neto (26) decidiu tomar uma decisão radical: abriu mão da estabilidade financeira, de uma renovação de contrato na Record, para buscar novas oportunidades. “Fui corajoso, confesso. Se você tem vínculo com uma empresa, perde convites. Me questionava sobre isso. Fiz a minha escolha”, lembra ele, que precisou mudar o estilo de vida para se adequar à nova realidade. Rômulo deixou o seu apartamento para morar em uma casa anexa à da mãe, no Rio, comprou um carro mais simples e conteve os gastos. “Poderia ter fracassado, mas eu tenho pensamento positivo”, pondera o namorado da atriz Cleo Pires (30). E, de fato, deu tudo certo. Logo depois foi selecionado para Rock in Rio – O Musical e, em seguida, atuar na novela Sangue Bom, da Globo, como o vilão Tito. “Faria tudo de novo. Tenho certeza de que o meu pai, o ator e nadador Rômulo Arantes, morto em 2000, ficaria orgulhoso”, afirma Rômulo, que comemora o bom momento pessoal e profissional em Termas de Chillán, Chile, durante a Temporada Caras/Neve.

+ Cleo Pires e Rômulo Neto trocam beijos em tarde romântica

+ Galeria reúne atores que exibem tatuagens nas novelas. Confira!

– Não teve medo de ousar?

– Claro que sim. Saí do estado de conforto, não é fácil. Porém, gosto de desafios. Aprendi a ser assim com a família do meu pai. Segui meu instinto. Me arrisquei, mesmo. Que bom, deu certo.

– Gostaria de ter seu pai vendo isso?

– Vira e mexe penso isso. Obviamente, adoria saber se ele está feliz. Mas estou contente comigo. Me sinto vitorioso.

– Foi criticado por ter mudado radicalmente de vida?

– No primeiro momento, sim. Meus parentes acharam que eu era um louco. (risos) Minha avó, por exemplo, ficou preocupada porque sabe o quanto sou independente financeiramente. Mas depois veio o orgulho. Todos viram o sacrifício pelo qual passei.

– Em algum momento enfrentou dificuldades financeiras?

– Tinha separado uma grana que acabou bem no mês que começou o ensaio da peça. Deu tudo certo.

– Então, era um desejo voltar a trabalhar na Globo?

– Comecei como ator na emissora, em Malhação (2007), e adorei. O meu pai também atuou lá durante muito tempo. Sempre gostei daquele universo. Estrategicamente, fui para a Record. Fiquei quatro anos e meio. Mas na Globo, por mais que estivesse satisfeito na outra casa. E acabou acontecendo justamente por causa do movimento de mudança que fiz na carreira.

– Depois desses novos desafios profissionais, como anda a vida?

– Não deu para continuar no musical porque seguiu para São Paulo e tenho de gravar a novela no Rio. Mas foi incrível.Também estou reformando o meu apartamento. Por enquanto, ainda continuo morando com a minha mãe e fico na casa da Cleo...

– A beleza já o prejudicou profissionalmente?

– Não. Acho que até agora me ajudou muito. Trabalhei como modelo, viajei bastante. Acho que se eu não tivesse esse recurso estético, não teria vivido o que vivi. É claro que, como ator, há um julgamento e as pessoas exigem mais na questão da atuação. Mas eu me esforço muito em tudo o que faço, diferentemente do que fazia no passado.

– Como assim?

– Quando você é mais novo, as coisas correm um pouco mais soltas. Mas é claro que não tinha consciência disso. A maturidade, o equilíbrio emocional, isso só vem com o tempo, não tem jeito.

– Acredita que seu desempenho como ator melhorou?

– Quanto mais prática, mais maturidade, tudo fica melhor. O personagem de Sangue Bom é um exemplo disso. Veio no momento certo. Não é confortável acessar sentimentos pesados dentro de mim para incorporá-lo. A vida me preparou para fazer o Tito, já passei por muita coisa, como a morte do meu pai.

– Que planos faz após ganhar essas maturidade e sabedoria?

– O céu é o limite. É só querer e estar merecendo tudo o que acontece. Tenho muitos projetos, mas prefiro não criar expectativas. Estou ainda no começo como ator. Quero muito migrar para o cinema. Sou cinéfilo. Às vezes, é um pouco difícil entrar nesse meio, porém, com determinação, tenho certeza de que conseguirei.