Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Adriane Galisteu curte neve com a família e revela que quer outro filho

Prestes a estrear um programa num canal a cabo, a apresentadora disse que pretende aumentar a família: "O Vittorio está independente e quero mais um bebê para cuidar”

CARAS Digital Publicado em 29/07/2014, às 09h14 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Adriane Galisteu, Alexandre Iódice e Vittorio - Cadu Pilotto
Adriane Galisteu, Alexandre Iódice e Vittorio - Cadu Pilotto

O tempo é um forte aliado de Adriane Galisteu. Aos 41 anos, a apresentadora de TV irradia ainda mais alegria e beleza que nunca. Plena em seu papel de mulher e mãe, casada há quase quatro anos com o empresário de modaAlexandre Iodice (43), com quem tem Vittorio (3), ela reflete sobre os resultados positivos de sua trajetória pessoal e profissional, durante a temporada CARAS/Neve, na Patagônia argentina. Hospedada no mítico cinco estrelas Llao Llao Hotel & Resort, a musa curtiu férias com o marido e se encantou ao apresentar a neve para o filho. “É maravilhoso enxergar o mundo através dele. Vittorio está maravilhado com tudo e isso me faz muito feliz”, dispara ela. Realizada com a vida em família, Adriane planeja mais um filho. “Estou pronta faz tempo. O Vittorio está independente e quero mais um bebê para cuidar”, diz ela. Com diversos produtos licenciados sob sua chancela, Dri se prepara para estrear o programa Dormindo com meu Estilista, do canal a cabo Discovery Home & Health. Feliz com mais esse desafio profissional, ela sonha mesmo em voltar para a TV aberta. “Esse é o meu combustível, não sei fazer outra coisa”, ressalta.

– Adriane, que tal a viagem?
– Uma delícia. Foi uma experiência incrível para a gente que mora num País tropical. Vittorio amou o contato com a neve e eu me encantei com tudo.

– Dá orgulho ver que ele está descobrindo o mundo?
– Acho que o maior orgulho que sinto é o fato de ele ser uma criança simpática.

– Pronta para vê-lo crescer?
– Não estou nada! Não tenho essa cabeça tão boa assim. Para mim, ele é nenê. Por isso, estou louca para arrumar outro filho.

– Quem dita as regras na educação do Vittorio?
– Alê coloca ordem no barraco. Eu brinco, vou para o chão e não tenho muito limite. Vittorio me enrola. Mas ao pai, não.

– Você é mais coração mole...
– Sempre fui tão durona com tudo, mas ele consegue me transformar em um tapete. Dou bronca e o coloco de castigo, mas é que meu limite de paciência é muito maior que o do Alê.
Alexandre – Acho que tem de ter um equilíbrio. Então, como a Adriane tem um lado mais maternal e tolerante, acabei assumindo esse papel, porque acho que não pode ser tudo do jeito que nosso filho quer.

– Vocês estão juntos há seis anos. Como vai a relação?
Adriane – O relacionamento é uma grande arte, ainda mais quando se tem um filho. É difícil educar e ao mesmo tempo encontrar o nosso espaço, para que a gente namore, dê beijo na boca e tenha o nosso tempo como casal e não só de pai e mãe. A gente tem feito isso muito bem. Programamos uma viagem apenas nós dois, em agosto, para Paris. Mas sabemos que o assunto lá será o Vittorio.

– Querem envelhecer juntos?
Adriane – Claro! Brinco que ele não tão tem saída e vai me tolerar por muito tempo. A gente demorou para se encontrar. E não era nem um sonho dele e nem meu de casar e ter filho. Queria, como toda mulher, mas nunca tive urgência e nem era uma prioridade na minha vida. Cheguei até a pensar que fosse passar pela vida sem ser mãe. E ainda bem que nada foi do jeito que eu achava que seria. Então, a partir do momento que a gente se encontra e tem esse relacionamento, com a idade que a gente tem, fica bem claro que nós somos felizes juntos.
Alexandre – Brigamos um pelo outro. Estou sempre buscando o que é melhor para ela, cuidando e me preocupando. Então, é uma relação que foi naturalmente construída assim.

– Vocês têm rotinas diferentes. Como lidam com isso?
Adriane – Administramos nossas diferenças com humor e respeito. Ele acorda às 6h30 para malhar e não tem possibilidade disso acontecer comigo. Adoro malhar com ele, mas quando ele vai à tarde comigo. A vida profissional do Alê também é diferente da minha. Ele sai de casa às 7h da manhã e chega às 20h, que é o horário que geralmente saio para algum evento. Nos apoiamos e nos incentivamos. Ajudei ele a ser um pouco mais light no trabalho e na vida. Ele é extremamente organizado e me cobra para ser também.
Alexandre – Mas eu não era nada disso, era bagunceiro, mas arrumei alguém pior do que eu e tive que mudar meu jeito.

– Quais as qualidades que mais encantam um no outro?
Alexandre – Ela é uma mulher que admiro. Isso para mim é o essencial. Eu a admiro ela em todos os sentidos, a história, o jeito e a maneira como lida com tudo. Dri é uma mulher que passou por muita coisa na vida e aprendeu a lidar com isso. Beleza se torna parte do dia a dia. Então, a vejo muito além da beleza que ela tem.
Adriane – Gostamos um do outro do jeito que somos. Não fazemos esforço para nos relacionarmos bem. Não posso fazer muita propaganda dele, pois o negócio está feio. (risos)

– Sente saudades de ter um programa na TV aberta?
– É só o que falta para eu me sentir completa. Morro de saudade. Está difícil entender a minha vida sem a TV aberta. Tenho muita vontade de voltar com o É Show em qualquer emissora. Esse programa tem a minha cara.

– Está em fase mais madura?
– O único defeito da maturidade é a falta de colágeno. Se eu encanasse, já estaria cheia de botox, mas não é o meu caso. Quero é tentar envelhecer melhor, mas, quando digo ‘melhor’, falo no estado de espírito.