Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Big Brother / Lindo!

BBB21: Gilberto elogia Lucas Penteado: ''Ele se despir me fez ter coragem de me despir''

Gilberto conversa com Sarah e Juliette sobre Lucas Penteado e elogia o ator ao relembrar sua passagem pelo BBB21

CARAS Digital Publicado em 12/02/2021, às 10h13 - Atualizado às 10h13

BBB21: Gilberto relembra participação de Lucas Penteado - Reprodução/Instagram
BBB21: Gilberto relembra participação de Lucas Penteado - Reprodução/Instagram

Gilberto falou sobre Lucas Penteado no BBB21!

Em uma longa conversa com Sarah e Juliette na área externa da casa mais vigiada do Brasil, na madrugada desta sexta-feira, 12, o brother não poupou elogios ao ator ao relembrar a passagem dele pelo programa.

Juliette disse que daria a vida por Lucas fora do confinamento, mas o via como um problema na casa. "Eu faria o máximo pra proteger o Lucas de tudo. Se fosse possível me botar na frente de um negócio por ele, eu me botava".

"Mas no jogo o Lucas me deixou muito fraca de tanta empatia que ele me causava. Não é porque eu sou boazinha, não, é porque comparei ele com algumas pessoas lá de fora", acrescentou.

"O que eu admirava no Lucas era o seguinte: às vezes, eu não tinha coragem de falar algumas coisas e ele me falava das dores dele com uma sinceridade que eu ficava agoniado. Eu não aceitava. Aí, um dia pensei 'que bom que ele tem essa força para falar'. Ele falava e não escolhia, não", falou o doutorando em Economia.

"Ele se despiu em rede nacional. Ele se despir me fez ter coragem de me despir. Ele não se escondia e fez eu não ter medo. Eu olhava pra ele às vezes com o ranço que eu tinha e pensava: 'ah, que raiva. Queria ser igual a ele'. Isso era no sentido de falar na cara e olhar no olho. Ele não queria que passasse pano", continuou.

Gil ainda relatou que ficou magoado ao ver praticamente todos os participantes de unirem a Projota no plano para colocar Lucas no paredão, antes da desistência do artista.

"Ninguém no mundo tem o direito de juntar pessoas para detonar uma só. Por isso teve a atividade do cancelador, que é justamente a cultura de endemonizar uma pessoa", analisou ele.