Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Big Brother / Família

BBB 24: Wanessa cita Zezé em papo sobre preconceito: "Muito cabeça aberta"

Em conversa com brothers, Wanessa relembrou o dia que seu pai foi em uma balada gay para assistir a um show seu

Redação Publicado em 12/02/2024, às 22h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Wanessa e Zezé Di Camargo - Reprodução/Globo
Wanessa e Zezé Di Camargo - Reprodução/Globo

Wanessa citou seu pai, Zezé Di Camargo, durante um papo sobre preconceito a relações homossexuais no Big Brother Brasil 24. Em conversa com Marcus Vinicius, Yasmin, Leidy Elin e Lucas no Quarto do Líder, a cantora relembrou um dia que o sertanejo foi em uma balada gay para assistir a um show seu.

"Não é comum. Eu até entendo porque vou ser sincera. Na primeira vez que vi um beijo, eu sempre fui amiga. Eu tinha uns 12 anos quando vi um beijo e fiquei olhando porque era diferente, na segunda acostumei e na terceira já...É costume. A gente precisa mostrar também para naturalizar, para trazer do lado que é natural", começou.

"Tem muito tabu ainda disso", disse Leidy. "E olha que tua essência é um meio bem, da onde você está acostumada. Eu sei disso", disparou Marcus. "Mas meus pais não são. Meu pai nunca foi. A gente vem de um meio, mas a minha mãe e meu pai contrários. São muito cabeça aberta", afirmou Wanessa.

Em seguida, a artista relembrou um dia que o sertanejo foi em uma balada gay para assistir a um show seu. "Você perdeu meu pai na The Week a primeira vez. Meu pai levou a cachorrinha. 'Pai, o que você veio fazer com a cachorrinha aqui?'. Eu estava aqui cantando e tem um camarote enorme e separou para ele. (...) Meu pai nem viu meu show, ele ficava assim", contou encenando.

Wanessa, então, contou como Zezé se sentiu: "Ele não olhava o show. Acho que foi a primeira vez. (...) Mas é bonitinho. É isso que estou falando, naturalizar. E eu: 'Pai, foi de boa?'. Ele: 'Normal, só estava me acostumando porque foi a primeira vez que vi tanta gente se beijando. Depois a gente acostuma ver'".

"Ele parece ser povão pra caramba", opinou a trancista. "E uma cabeça aberta. Nunca vi meu pai ter preconceito com ninguém na vida", declarou a cantora.