CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil
Big Brother / RELAÇÕES!

BBB 23: Amanda analisa sua relação com brothers do Quarto Deserto: “Aos trancos e barrancos”

A médica Amanda ponderou sobre seus relacionamentos no BBB 23 em conversa com Aline Wirley

Oscar Nucci

por Oscar Nucci

onucci@caras.com.br

Publicado em 17/03/2023, às 11h14

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Amanda conversou com Aline Wirley sobre seus próximos passos no jogo - Reprodução/Globo
Amanda conversou com Aline Wirley sobre seus próximos passos no jogo - Reprodução/Globo

Na madrugada desta sexta-feira, 17, os brothers do BBB 23 tiveram que recalcular a rota após a expulsão de dois participantes. Após isso, Amanda começou a repensar suas relações na casa.

Em conversa com Aline Wirley no Quarto Deserto, Amanda começou a analisar seus relacionamentos no BBB: “Você foi a primeira pessoa que eu vi. A Bru, a gente sempre foi aos trancos e barrancos. O Fredinho nunca me teve como prioridade. E agora, nós estamos mais juntos do que nunca, os quatro”.

Os quatro improváveis de estarem juntos. Eu e você não, porque a gente está conectada desde o primeiro dia. Mas assim, com eles são coisas que...”, pensou Amanda sobre o que restou do grupo do Quarto Deserto.

Aline se mostrou preocupada ao perceber que seus aliados estão em menor número: “Nós somos quatro e lá são seis”.

Por fim, Amanda refletiu sobre como serão os próximos capítulos do jogo: “Na minha vida nada foi  fácil, na sua também não, e a gente sabe porque está aqui e a gente não vai parar. Não vai”.

Reação!

A expulsão de MC Guimê e Antônio “Cara de Sapato” deu o que falar nas redes sociais. O semifinalista do BBB 21, Gil do Vigor se manifestou sobre o ocorrido.

Acabei de ver a expulsão dos dois participantes. E assim, muitos falaram: ‘Por que deixar para o ao vivo?’. Gente, depois de tantas edições do programa, depois de tudo que aconteceu no Big Brother, depois de tantos casos, precisava m basta nisso. Precisava ser tomada uma decisão drástica, ao vivo, na frente de todo mundo”, disse o economista.