CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil
Bem-estar e Saúde / DEPRESSÃO

Psicanalista aponta gravidade em relato de Whindersson Nunes sobre tentativa de suicídio

Em entrevista a CARAS Brasil, a terapeuta psicanalista Mariana Sellva fala sobre o caso de Whindersson Nunes com tentativa de suicídio e abuso na infância

Whindersson Nunes fez um forte desabafo sobre depressão - Divulgação
Whindersson Nunes fez um forte desabafo sobre depressão - Divulgação

O humorista e youtuber Whindersson Nunes (29) pegou os fãs e seguidores de surpresa, na noite do último domingo (2). Por meio do X (antigo Twitter), ele fez um forte desabafo sobre uma tentativa de suicídio, na qual, a arma falhou. O artista também confessou que foi vítima de abuso na infância e que nem sua mãe sabia. O caso repercutiu bastante na internet, por isso, a CARAS Brasil conversou com a terapeuta psicanalista Mariana Sellva, que aponta gravidade no relato.

Whindersson falou sobre os problemas de saúde mental que o levaram a tentar tirar a própria vida, visando ajudar a quem está na mesma situação em que ele esteve um dia. "Nem todos têm condição de ficar de psiquiatra em psiquiatra. Caso você possa, encontre alguém com um olhar de cura mesmo. Desejo muito que você curta esse mundo que, além de muita podridão, tem muita coisa massa. Se cuidem, protejam-se e cuidem de vocês, e das crianças", disse.

E continuou: “Minha mensagem pra você que, assim como eu, é um sobrevivente, é que depois que parei de pensar nas coisas daqui, e passei a pensar no outro plano, ficou mais fácil levar a vida, dinheiro não vai, casa, tênis, nada, muito menos o tempo que você perdeu em não usar seu talento para ajudar alguém”.

Algumas horas antes, o humorista anunciou que relataria o que chamou de "única tentativa de suicídio". "Ou nós vamos chegar a um grande coeficiente ou vamos ter que criar uma lei depois do dia de hoje, sobre a discussão que vai ser levantada", escreveu ele, na rede social.

Em conversa com a CARAS Brasil, Mariana deixa claro que todo ser humano é um indivíduo de expressão, porém vivemos em um momento onde estamos escolhendo o que expressar. “Cada vez mais escolhemos o que colocar no currículo, nas postagens de redes sociais, nas conversas com familiares, aquele recorte de expressão que filtramos como sendo o ideal. O que vai evitar frustrações, o que será melhor aprovado, o que vai dar um retorno rápido no sentimento mais profundo que é se sentir amado”, diz.

“Não é de hoje que artistas vêm colocando o assunto da saúde mental na frente das câmeras. Podemos citar a artista mundial Anitta, que recentemente, em uma participação no podcast PodPah, falou da sua relação com o que imagina ser o amor próprio, falou o quanto isso influencia suas escolhas e satisfação no momento”, emenda.

De acordo com a psicanalista, para vozes como a de Whindersson Nunes, temos dois pontos. “O primeiro dele, como artista, que ao escolher a sua narrativa que vai para o palco, muitas vezes vai deixar para trás do palco outros sentimentos que não serão ali vistos ou expressados. Outro ponto é como indivíduo. Todos nós temos nossas emoções e sentimentos que necessitam ser expressados. Olhando para essa metáfora, o de uma vida que se escolhe o que colocar na frente do palco e o que se escolhe colocar atrás das cortinas. Existe um preço a ser pago por emoções não expressadas”, fala.

“O números de tentativas de auto extermínio são enormes, pessoas que querem realmente tirar a própria vida e pessoas que na verdade querem calar a sua angústia e sofrimentos de alguma forma definitiva. Neste momento, entra a importância das terapias, seja criança ou adulto, o momento de se poder dizer aquilo que angustia, como possibilidade de amparo e enfrentamento do sofrimento. Quanto mais o indivíduo puder em terapia cuidar dos seus sentimentos e emoções, melhor será a forma dele se reconhecer nesses momentos de sofrimento, e assim poder achar alguma saída que não seja o suicídio”, finaliza.

Mariana Sellva - Atua como terapeuta psicanalista. Faz parte do corpo clínico da Clínica do Renascer, tem pós-graduação em teoria e prática psicanalítica. Além disso, possui um grupo terapêutico on-line e gratuito voltado para saúde mental de artistas e profissionais da cultura.

Psicanalista aponta gravidade em relato de Whindersson Nunes sobre tentativa de suicídio e abuso na infância
Mariana Sellva é terapeuta psicanalista - Arquivo Pessoal