Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Entenda os sintomas da compulsão alimentar, problema sofrido por Alice Wegmann

O psicanalista explica como reconhecer e tratar a compulsão alimentar pela ansiedade

Bruna Nastas Publicado em 08/03/2017, às 10h08

Alice Wegmann em 'A Lei do Amor' - Globo / Raquel Cunha
Alice Wegmann em 'A Lei do Amor' - Globo / Raquel Cunha

A atriz Alice Wegmann, a Marina da novela 'A Lei do Amor', revelou em entrevista acreditar ter um tipo de "problema de compulsão alimentar pela ansiedade".

Segundo o psicanalista João Nolasco, Diretor Executivo do Instituto Brasileiro de Psicanálise Clínica, Ciências Humanas e Sociais (IBRAPCHS), esse tipo de transtorno atinge 5% da população mundial e pode levar a hipertensão e até mesmo a obesidade.

"A compulsão alimentar faz com que a pessoa sinta a necessidade de comer mesmo quando não tem fome, perdendo totalmente o controle da quantidade do que está comendo e das vezes que repete o ato, embora no momento sinta prazer, após o episódio sente-se frustrado por não ter conseguido o autocontrole", explica.

De acordo com o especialista, a compulsão é uma forma do paciente fugir da realidade. "O prazer é tão significativo que não há espaço para a realidade, no entanto como a vida não pode ser prazer 100%, quando o indivíduo retorna à realidade o sofrimento é muito maior".

Os sintomas da compulsão são comer em excesso, além do que realmente sacia a fome e também comer quando não está com fome. "Os excessos trazem tristeza ou arrependimento após comer demasiadamente. É importante ressaltar que, embora a pessoa em alguns momentos esteja consciente de suas atitudes, as motivações são de fatores inconscientes".

O mais indicado para o tratamento é compreender o que gera a ansiedade e buscar um psiquiatra, psicólogo e nutricionista para ajudar. "Há outros métodos eficazes como a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), que também pode colaborar neste tratamento por meio da acupuntura, auriculoterapia e outras técnicas de relaxamento", conclui.