Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Luiza Brunet vence drama pessoal: ‘Sou poderosa’

Ela revela na Ilha como está após retirar um tumor de 10 cm no útero

CARAS Publicado em 17/03/2015, às 13h03 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Luiza, que removeu ovários, útero e trompas de falópio, diz que nada abala a sua alegria de viver. - CADU PILOTTO
Luiza, que removeu ovários, útero e trompas de falópio, diz que nada abala a sua alegria de viver. - CADU PILOTTO

Com uma história vitoriosa, tanto no âmbito pessoal quanto profissional, referência de beleza no Brasil,Luiza Brunet (52) afirma na Ilha de CARAS que se sente uma mulher poderosa. E acrescenta que nem mesmo um problema sério de saúde, descoberto há três meses, foi capaz de abalar essa certeza.

A modelo e empresária revela com exclusividade que descobriu um tumor no útero e se submeteu a uma histerectomia total, a remoção dos ovários, útero e trompas de falópio. “Levei um susto quando soube do tumor. Poucos meses antes, havia feito um check-up e estava tudo bem. Tive de me submeter a uma cirurgia de emergência. Porém, não sou de ficar sofrendo em cima da cama. Cinco dias depois, fui viajar”, conta a inabalável Luiza, namorada do empresário Lirio Parisotto (61). E somente há poucos dias, quando saiu o resultado da biopsia, negativo, é que ela teve a certeza de que tudo não passou de um grande susto. “É benigno! Não preciso fazer nenhum tipo de tratamento. Estou aliviada, feliz e tranquila”, afirma, ao lado do filho, Antonio (15), da união com o ex-marido, o antiquário Armando Fernandez (63), com quem também tem a modelo Yasmin Brunet (26).

Como descobriu o tumor?
Comecei a ter um cansaço fora do comum. Fazendo academia, cheguei a desmaiar algumas vezes. Fui ao meu clínico geral e ele me pediu para fazer uma tomografia do tórax e do abdômen. Apareceu um tumor gigante. O que me surpreendeu foi o fato de eu estar hipersaudável. É um tipo de tumor que cresce rápido.

E como recebeu a notícia?
Não fico sofrendo, choramingando. A mulher pode ter um problema de saúde sério, mas precisa sair dele. Se permanecer, a queda é violenta. Não dá para ficar tendo pena de si mesma, se vitimizando, lamentando porque está doente, reclamando o tempo inteiro, perguntando por que Deus fez isso... Aconteceu porque tinha de acontecer.

Teve uma causa?
São problemas de saúde a que nós mulheres estamos vulneráveis. Por essa razão, a gente precisa estar o tempo inteiro cuidando do organismo.

Você ainda menstruava?
Já entrei na menopausa. Estava fazendo reposição hormonal, supertranquila. Tenho a libido maravilhosa, graças a Deus. Está tudo bem.

E como seus filhos reagiram?
Contei normalmente, sem dramas. Eles encararam na boa. Sou uma mulher como qualquer outra, que tem os mesmos problemas. Talvez a maneira de encará-los é que seja um pouco diferente. Resolvo e passo adiante.

Não por acaso, o seu quinto perfume chama-se Poderosa...
Sim! Esse nome simboliza uma mulher que adquiriu poderes através da carreira, da própria vida, de liderança, de conquistar beleza na maturidade, de “estar plena e absoluta, poderosa no sentido da sensualidade e da sexualidade...

De onde veio essa sua autoconfiança?
Não faço terapia. São os tropeços da vida que levei. Acho que viver é isso, um aprendizado. Não importa a idade que você tenha, 30, 40, 60 anos... Todo dia vai aprender sobre o que fere menos e o que fere mais.

E doeu não morar mais com os filhos, já que Yasmin casou e o Antonio, no último ano, teve guarda compartilhada?
Eu e Armando, agora, estamos conseguindo um pouco de paz no nosso relacionamento. A gente está pelo menos tendo um diálogo mais tranquilo. Foi bom para o Antonio ter mais a presença do pai. Mas, no começo, foi difícil não estar com meu filho em casa todos os dias. Serviu como amadurecimento para ele, aprendeu a lavar louça e a dar mais valor para a mãe. (risos) Será um cara bacana, tem uma base boa para isso.

Você convive há anos com outra doença, o vitiligo. Como vem cuidando disso?
O vitiligo não vai diminuir. Porém, não me incomoda. Sempre vivi da imagem e sempre tive vitiligo, desde criança, quando apareceu a primeira manchinha. Se fosse me desesperar, não teria sido modelo nunca. Os lugares que tenho são nas mãos, nos dois pés, nos dois joelhos e nos dois cotovelos. A maneira que eu encontrei para não sofrer com isso foi aceitar que tem 100% de não-cura. Fiz alguns tratamentos, mas me sinto bonita apesar de ter o vitiligo. Não me incomoda, de verdade. Adoro as minhas pernas, estou sempre com elas de fora. Existem doenças muito piores.

Tem uma crença?
Tem de acreditar, ter fé e pelo menos de vez em quando, lembrar de rezar.

Mas quando faz uma oração, pede ou agradece?
Agradeço! Não peço nada. Sou tão privilegiada. Saí de onde saí... Chegar aonde cheguei. Deus me deu uma estrelinha e a fiz ficar um sol com muito esforço e muito trabalho.