Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Bia e Branca Feres falam sobre o retorno ao time de nado sincronizado

Em Itapema, irmãs gêmeas aproveitam descanso dos treinos para a Olimpíada de 2016

CARAS Publicado em 06/03/2014, às 15h00 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Bia e Branca Feres - Martin Gurfein; Beleza: G Beauté; Agradecimento: Cássia Mallmann
Bia e Branca Feres - Martin Gurfein; Beleza: G Beauté; Agradecimento: Cássia Mallmann

Belas, talentosas e muito determinadas. Assim podem ser definidas as gêmeas Bia e Branca Feres (26), musas do nado sincronizado. Após três anos longe da Seleção Brasileira, elas decidiram retornar. “Apareceram muitas ofertas de trabalho que eram irrecusáveis. Então, no final de 2010, pedimos dispensa da Seleção, não dava para conciliar uma rotina tão puxada de treinos e gravações. Optamos por sair”, lembra Bia. “Muita gente achou que por não estarmos na Seleção estávamos sem treinar e competir. Isto não aconteceu. Nunca paramos, continuamos treinando, mas com menos intensidade, com um trabalho direcionado para nós. Nesse período, participamos de várias competições brasileiras e internacionais. Fora da Seleção, fomos campeãs da US Open, em 2012, uma prova de dueto em Vegas”, conta Branca.

– Por que voltaram à Seleção?

Bia – Fomos a Londres, na Olimpíada de 2012, para trabalhar pela Adidas. Quando cheguei ao parque aquático, comecei a chorar, me emociono só de lembrar. Desde os 7 anos, nossa vida foi dentro da piscina. Agora, com uma Olimpíada ‘em casa’, tínhamos de tentar. Nosso maior sonho é conquistar a medalha.

Branca – Fico até arrepiada de lembrar. Senti que estava no lugar errado. Meu lugar é a piscina.

– Como é o ritmo de treinos?

Bia – Treinamos todos os dias das 7h às 13h30, só temos folga no domingo. É muito puxado. Estamos nos dedicando muito, cuidando do corpo e da mente.

Branca – Agora estamos com uma técnica canadense, Julie Sauvé, que tem seis medalhas olímpicas e é maravilhosa. Sempre treinávamos com uma técnica russa, o que não é compatível com a nossa cultura. O estilo canadense é mais alegre, tem mais a ver com nosso estilo. Está funcionando muito melhor.

– E os projetos para a TV

Bia – Estamos com um projeto, que vai acontecer em breve.

Branca – Mas nosso foco está na Olimpíada de 2016.

– Como cuidam do corpo?

Branca – Mudamos muitas coisas, da alimentação aos exercícios. Fora da Seleção, fizemos um trabalho individualizado, muito intenso, com o Fábio Amed, nosso personal, que fez muita diferença. Voltamos muito mais fortes do que estávamos, com muito mais resistência, o que é essencial para realizar os movimentos.

Bia – Sabemos que não temos mais 19 anos e que temos de nos cuidar, nos alimentar bem e investir nos treinos. Toda semana, a gente corre, o que nos dá um gás muito bom para a piscina e ainda afina a perna, pois não podemos ter pernas grossas.

– O que estão achando da Casa de CARAS de Itapema?

Bia – Ficamos muito felizes com o convite. A mansão é incrível, moderna e aconchegante ao mesmo tempo.

Branca – Saímos de uma concentração de três semanas de treino e vir para cá foi relaxante. A casa é muito confortável e super sofisticada. Um luxo!