Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Ator de Supernatural sofre 6 ataques cardíacos e volta à vida

Ator da série Supernatural, Mark Sheppard choca ao revelar que quase morreu em sua casa ao sofrer 6 ataques cardíacos. Saiba o que aconteceu!

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 03/12/2023, às 15h21

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Mark Sheppard - Foto: Reprodução / Instagram
Mark Sheppard - Foto: Reprodução / Instagram

O ator Mark Sheppard, que atuou na série Supernatural, quase morreu na última sexta-feira, 1º. Ele contou que sofreu seis ataques cardíacos e precisou ser ressuscitado pela equipe médica.

Nas redes sociais, o artista mostrou uma foto no hospital e relatou o que aconteceu. Mark estava na cozinha de sua casa quando desmaiou e teve vários ataques cardíacos na sequência. A esposa dele agiu rapidamente e ligou para a emergência.

Com isso, ele foi socorrido e voltou à vida. “Vocês não vão acreditar nisso! Ontem eu estava indo para um compromisso quando desmaie na cozinha. Seis ataques cardíacos fulminantes, e fui ressuscitado quatro vezes. Aparentemente foi um bloqueio 100% na minha artéria esquerda. Se não fosse por minha esposa, pelo resgate em Mullholland e a incrível equipe médica, eu não estaria escrevendo isso. Minhas chances de sobrevivência eram praticamente nulas. Eu me sinto ótimo. Humilhado mais uma vez. Alta amanhã”, disse ele.

Apresentadora revela como foi sofrer um ataque cardíaco

Em abril deste ano, a apresentadora Anne Marjorie, que comanda o telejornal Bom Dia RN, da Inter TV – afiliada da Globo no Rio Grande do Norte -, surpreendeu seus seguidores ao relatar que sofreu um ataque cardíaco e precisou ser hospitalizada. Em um texto emocionante, ela revelou como foi sofrer o problema de saúde e o que ouviu dos médicos que a atendiam no momento. Inclusive, ela contou a sensação que teve quando seu coração estava muito acelerado.

"Um ataque cardíaco sintomático. Disse o médico ao telefone, avisando pra equipe do hospital sobre o que estava acontecendo comigo. Segunda, dia 3 de abril de 2023. Do outro lado, alguém avisou: - Não tem vaga na sala de reanimação. Outra pessoa falou: - Leva ela para um leito. A partir desse momento, a clareza do quadro. Comecei a sentir tudo entendendo o processo. A dor intensa no braço esquerdo, a respiração cada vez mais curta, dor no peito, sentimento de morte, lábios latejando, tontura, vista escura, ânsia de vômito e sobre tudo isso…A paz! Existia paz dentro de mim, essa paz vinha acompanhada de dever cumprido. Lembrei daquela frase: ““combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé” e foi assim que vi meu companheiro me vendo “ir embora”. Eu queria ter condições de dizer pra ele: “Amor, ainda bem que você sabe o quanto é amado por mim e esse amor nunca vai morrer.”", disse ela. 

E completou: "Mas não é fácil ver quem amamos partindo subitamente. Ele viu a equipe toda em cima de mim para me reanimar. Sem sucesso, mais outras tentativas. 220 batimentos por minuto. Por muito menos alguns corações param. Meu coração estava dizendo que não estava mais suportando. Talvez as dores da vida, talvez as dores que ferem alma, talvez a dor da existência. Estar viva é estar pronta pra vulnerabilidade. Depois de muitas horas, o coração começa a organizar os batimentos e a paz, aquela lá quando o médico disse: - “Ela vai sentir uma quase morte, precisamos resetar o coração dela” - essa paz continuava falando comigo. Coração resetado. Próximo passo é uma cirurgia nos próximos dias". 

Por fim, ela desabafou: "Escrevo emocionada, acho que meu coração aguenta né?! Bom, o que me manteve serena, em paz e pronta pra o que fosse, foi a certeza que fui a melhor Anne, para todas as pessoas que cruzaram minha vida. Eu não carregava dívida, carregava justiça, coragem e compaixão. E como é única a possibilidade de quase ir e pensar: Deus, obrigada por ter me colocado em lugares espinhosos e mesmo assim, ter conseguido viver o verbo amar, com todas as minhas imperfeições".