Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Bebê / Anuário

Um mundo de sabores para seu bebê

Quando chega ao  m a fase da alimentação exclusiva no peito

Redação Publicado em 11/09/2011, às 07h19 - Atualizado em 21/09/2020, às 17h14

A primeira papinha, conheça um mundo de sabores para o seu bebê - Shutterstock e Divulgação
A primeira papinha, conheça um mundo de sabores para o seu bebê - Shutterstock e Divulgação

A informação é conhecida, mas não custa repetir: o leite materno é indicado até os dois anos de idade. Até os seis meses, o ideal é manter a nutrição do bebê exclusivamente no peito. Por isso, depois que a criança atingir os seis meses de idade, continue amamentando, mas inclua na alimentação de seu filho novos alimentos. “Os nutrientes do leite, como fonte alimentar exclusiva, passam a ser insuficientes para suprir as necessidades do bebê”, afirma Magda Maria Britto dos Santos, nutricionista.

Além da idade certa do bebê, é fundamental também levar em consideração o amadurecimento do sistema imunológico e digestivo da criança para dar início à introdução alimentar na dieta.

COMO COMEÇAR
A introdução dos alimentos deve ser gradativa. Existem estudos que defendem a ideia de oferecer alimentos precocemente, pois isso reduziria a incidência de alergia no futuro. Entretanto, o que todos os especialistas sugerem são cinco etapas para o sucesso da mãe e do bebê:
1. Inicie no período da manhã, entre uma mamada e outra, o oferecimento de suco de laranja-lima;
2. Após três ou quatro dias, ofereça papinha de frutas no período da tarde;
3. No transcorrer de uma semana, organize os horários das mamadas e prepare a primeira papinha salgada, na hora do almoço. Continue com a papinha de frutas e o suco;
4. Quando o bebê já estiver acostumado com a alimentação, comece a introduzir a papinha salgada no horário do jantar, com a papinha de frutas como sobremesa;
5. Não misture grupos alimentares logo nas primeiras papinhas.

QUANTIDADE IDEAL
No que se refere à quantidade ideal, ela varia muito, mas comumente podem-se tomar os dados abaixo como referência, conforme a idade:
• De 6 a 9 meses: aproximadamente 4 colheres (de sopa)
• De 10 a 12 meses: 1 xícara (de chá) cheia
• De 1 a 3 anos: 1 prato infantil cheio

CONSISTÊNCIA
É importante lembrar que a consistência da refeição deve ser pastosa (papa) e não líquida (sopa). O processo de mastigação é fundamental para o desenvolvimento da fala. Logo no início, a mãe vai reparar no reflexo de sucção, em seguida, aos poucos, a mastigação e a deglutição são apuradas a cada novo sabor oferecido. “As ‘caretas’ que, a princípio, podem ser interpretadas como recusa do alimento, na verdade, fazem parte do treinamento da transição entre mamar e mastigar. O bebê ainda não conhece o sabor”, acrescenta Magda.

ÁGUA: QUANDO E QUANTO?
Quando a criança começa a se alimentar com papinhas, a água deve ser introduzida, distante das refeições. Sucos e chás também podem ser oferecidos sem açúcar, mas sem excessos.

ROTINAS DAS REFEIÇÕES
Ter uma rotina de horários é fundamental para uma alimentação saudável, então estabeleça seis refeições diárias com leite materno ou fórmula, sucos, papinha salgada e papinha de fruta. No início, é necessário completar o número de refeições com leite materno até chegar às seis refeições por dia, não esquecendo que alguns bebês sentem a necessidade de alimentar-se.

MEL: SIM OU NÃO?
Para crianças menores de dois anos, não é indicado, porque o mel pode causar o botulismo intestinal. Após essa idade, com os órgãos praticamente formados, não há contraindicações.

CUIDADOS NA HIGIENE DOS UTENSÍLIOS E ALIMENTOS
A escolha de vegetais e legumes, assim como das carnes, é de extrema importância, bem como sua higienização correta e preparo. Os produtos devem ter boa procedência. Prefira vegetais frescos, com coloração característica e sem apresentar partes amassadas.
Lave bem os alimentos com água corrente, limpando com o auxílio de uma escovinha própria. Depois, coloque os vegetais de molho por 30 minutos com hipoclorito de sódio. Quanto à escolha dos vegetais, os orgânicos são sempre uma boa alternativa por não conterem substâncias tóxicas, como pesticid É indicado separar uma panela para preparo exclusivo da comida do bebê, de preferência, feita de ágata, vidro ou inox. Não ofereça a sopa na mamadeira.

REAÇÕES ALÉRGICAS
Introduza um alimento por vez, repetindo por três dias consecutivos e observando qualquer reação alérgica. O uso de um alimento por vez facilita o descobrimento de alergias e/ou causas de diarreias ou ressecamento de fezes. A introdução de carnes evita anemia, por isso, comece com carne de frango, de vaca e, posteriormente, peixe, por volta dos dez meses em diante. Alergias relacionadas a alimentos tendem a aparecer até o bebê completar um ano. É interessante que a mãe respeite algumas orientações para minimizar tais ocorrências:

• Gema de ovo: pode ser introduzida com as papinhas a partir dos seis meses;
• Clara de ovo: a partir de um ano pode ser introduzida, pois antes dessa idade o bebê tem dificuldade na digestão de algumas proteínas;
• Leguminosas: feijão, lentilha e grão-debico podem ser introduzidos após um mês do início das papinhas. A partir do sétimo mês, os mesmos terão melhor aceitação.

GOSTOSO E SAUDÁVEL
Receitinhas práticas para garantir a nutrição ideal do seu bebê

A PARTIR DO 6º MÊS PAPINHA DE CENOURA
• ½ cenoura
• 2 folhas de alface
• 1 pedaço pequeno de cebola
• 1 pitada de salsinha bem picadinha
• 1 pitada de sal
• 1 colher rasa de café de óleo de girassol ou de milho
Alimentos substitutos: a cenoura pode ser substituída pela batata, mandioquinha ou abóbora para começar.

A PARTIR DO 7º MÊS PAPINHA DE BATATA OU MANDIOQUINHA
• ½ batata ou mandioquinha
• ½ unidade de beterraba pequena ou pedaço pequeno de chuchu
• 1 pedaço pequeno de cebola
• ¼ de gema de ovo ou ¼ de bife (vá aumentando gradativamente)
• ½ dente de alho
• ½ tomate sem semente
• 1 colher de sopa de caldo de feijão
• 2 folhas de espinafre
• 1 colher rasa de café de óleo de milho ou de girassol
• 1 pitada de sal
Alimentos substitutos: a batata ou a mandioquinha podem ser substituídas por uma colher de arroz cozido amassado com garfo; o caldo de feijão pode ser de ervilha ou grão-de-bico. Com oito meses, pode-se dobrar a quantidade de carne, leguminosas e arroz.

A PARTIR DO 8º MÊS PAPA DE MACARRÃO CABELINHO DE ANJO
• 100g de macarrão cabelinho de anjo
• ½ cebola
• 1 colher de café de margarina
• 1 colher de sopa de farinha de trigo
• 1 pedaço pequeno de abóbora
• 1 pedaço pequeno de frango
• 1 pitada de sal
• 2 copos de leite
• 1 colher de sopa de óleo de girassol ou milho
• Salsinha picadinha