Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A emoção de Luciana Mello e Ike Levy à espera de um menino

Grávida de 4 meses de um menino, cantora Luciana Mello celebra maternidade com o clã

CARAS Publicado em 04/09/2013, às 13h54 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Na casa da família, em São Paulo, Ike acaricia a barriga da amada e relata a emoção de ser pai de um menino. - Caio Guimarães
Na casa da família, em São Paulo, Ike acaricia a barriga da amada e relata a emoção de ser pai de um menino. - Caio Guimarães

Desde que descobriu que estava grávida pela segunda vez, a cantora Luciana Mello (34) tinha certeza que era um menino. A intuição de mãe se confirmou e, daqui a cerca de cinco meses, Nina (4) vai ganhar um irmãozinho. O pai, o fotógrafo Ike Levy (37), já mudou o nome do seu blog de Fotografilha para Fotografilhos. O par, feliz e emocionado com a chegada do caçula, pretende parar por aí. “Não se pode dizer nunca, mas acho que dois está bom. A gente viaja e fica um para cada um. Se sai sozinho, é um em cada mão. Tudo sob controle”, diz Lu, divertida.

A bela, entretanto, parece ter 1000 mãos se está envolvida com cuidados maternos. Ike conta que ficou boquiaberto ao se deparar com ela amamentando e cortando as unhas de Nina ao mesmo tempo. “Nasci para ser mãe. Nina tem 4 anos e só temos babá há dois. Às vezes, eu chegava de madrugada de um show e ia fazer a papinha dela. Deixava nos potinhos para o dia seguinte”, diz a cantora, que se espelha nos cuidados que a mãe, Claudine Rodrigues (60), teve com ela, com seu irmão, Jair Oliveira (38), e com o primo José Melo (40), enquanto o pai, o consagrado cantor Jair Rodrigues(74), viajava encantando plateias com sua inigualável voz.

+Luciana Mello está grávida do segundo filho

Nina herdou o talento musical da família Rodrigues.Está acostumada a ouvir MPB e clássicos internacionais. “Dia desses, ela acordou com o cabelão armado, se olhou no espelho e disse: ‘Estou a cara da Maria Bethânia’”, conta Ike. Nina pediu à mãe para conhecer Tom Jobim (1927–1994) e Vinícius de Moraes (1913–1980); cantarola Quizás, Quizás, Quizás, que está habituada a escutar na voz de Nat King Cole (1919–1965). Como muitos artistas que a pequena gosta já se foram, a pergunta sobre a morte era inevitável. “Por que adulto morre primeiro do que criança? Quando a gente morre como é que a gente vai para o céu? Voando?”, perguntou Nina à mãe. Com o pai, o questionamento infantil se referiu à gravidez: “Foi você que colocou a sementinha no umbigo da minha mãe?” Ike anota todas as perguntinhas encantadoras. Seu pai morreu quando ele tinha 10 anos, vítima de câncer no cérebro, aos 33 anos, a mesma idade que ele tinha quando Nina nasceu. “Quando soube que era menino, chorei. Pensei em tudo o que não vivi com meu pai e que vou fazer com o meu filho”, revela Ike.

Em Luciana também reina a expectativa: “Tenho cara de mãe de menino por ser muito prática. Ike gosta de carro, moto, kart... Quem sabe não vou fazer isso com meu filho? Nina adora a Kombi dele”, diz ela. Casados há cinco anos e juntos há oito, eles dividem afazeres domésticos, respeitam suas diferenças e se tratam com doçura. “Valorizamos a família. Se um cai, o outro está lá para ajudar a levantar. Quero dar exemplo para meus filhos, como tive de pai e mãe”, garante a talentosa cantora.

+'Gosto de me sentir confortável', declarou Luciana Mello sobre moda