Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Aprenda a cuidar do cabelo durante a gravidez e saiba o que é proibido

Juliana Paes e Carolina Dieckmann pintaram o cabelo durante a gestação adotando técnicas para não prejudicar a saúde do bebê. Saiba quais substâncias são proibidas e como ficar linda no período da gravidez

Juliana Cazarine Publicado em 12/05/2014, às 18h39 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Gravidez: aprenda a cuidar do cabelo - Foto-montagem
Gravidez: aprenda a cuidar do cabelo - Foto-montagem

Grávida pode pintar o cabelo? Juliana Paes, Carolina Dieckmann e Drew Barrymore pintaram! “Não existem estudos que comprovem a total segurança ou o risco da tintura de cabelo”, afirma Mariana Lautenschlager, ginecologista. A recomendação, no entanto, é que a tintura não seja aplicada até o final do terceiro mês de gestação e não fique em contato com a raiz. “Mesmo assim, quando usar, o ideal é que o produto não tenha amônia e que a formulação tenha registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)”, sugere.

+ Alimentação balanceada e saudável garante bem-estar da gestante e do bebê

A atriz Juliana Paes, por exemplo, aderiu à técnica do ombré hair - que prevê o clareamento de mechas a partir do meio do cabelo - enquanto estava esperando Antonio. “Desta forma o couro cabeludo não absorve a tinta”, comenta a ginecologista da clínica MAE. No Instagram, a atriz escreveu: "Hoje em dia grávida pode tudo. É só usar os produtos certos!!! Cuidado, mamães!!". Carolina Dieckmann fez o oposto: na segunda gestação, de José, cobriu as mechas com a cor natural dos seus fios. “Assim a mulher evita retoques. E para manter a cor por mais tempo, também pode usar filtro solar capilar, por exemplo”, sugere a médica.

+ Grávida do 2º filho, Juliana Paes muda o visual e fica loira

Formol, glutaraldeído, amônia, iodo e chumbo são substâncias proibidas. Na hora de mudar o visual, vale a pena dar uma olhada na composição da tinta e pedir recomendação médica.

Alisamento e permanente tradicionais, que contém formol na fórmula, também estão proibidos. “Os métodos que mudam a estrutura da fibra capilar necessitam de agentes químicos agressivos, como o formol, que pode causar malformação fetal”, alerta Mariana. As alternativas para alisar ou enrolar o cabelo, portanto, são a chapinha e o secador. “Métodos físicos não representam qualquer risco a gestante ou ao bebê”, afirma.

Durante a gravidez, o cabelo muda por causa da carga hormonal, que é diferente nesse período. “O cabelo exige um cuidado diferenciado: shampoo e condicionador adequados, mudança na frequência da lavagem e hidratação”, diz a ginecologista.

+ Saiba como amenizar os enjoos da gravidez