Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Grávida, Flávia Monteiro admite: "Não queria ter filho aos 50"

Com Avner, aos 8 meses de gravidez, ela festeja a primeira filha

CARAS Publicado em 07/05/2015, às 19h02 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Aos 42 anos, com o marido, a atriz fala sobre a gestação de Sophia após sofrer dois abortos espontâneos - Divulgação
Aos 42 anos, com o marido, a atriz fala sobre a gestação de Sophia após sofrer dois abortos espontâneos - Divulgação

O amor e a cumplicidade na relação de seis anos com o empresário Avner Saragossy (50) acendeu um desejo emFlávia Monteiro (42): ser mãe. “Queria ter um bebê em algum momento da vida, entrar nesse universo lúdico da maternidade. Mas nunca me bateu o tal do relógio biológico. Porém, encontrei o homem que ficou na minha vida. Aí tive certeza de que seria dele o meu filho”, afirmou a atriz, no oitavo mês de gravidez de Sophia.

Apesar de ter “encontrado” o parceiro, Flavia admite que a decisão de engravidar demorou. Como muitas mulheres hoje, sempre pôs a carreira como prioridade. Workaholic, passou os últimos tempos emendando projetos. Só ano passado, foram duas peças, Mãe de Dois e Mulheres Alteradas, a série Milagres de Jesus, a novela Vitória e a minissérie Plano Alto, as três na Record. “Chega uma hora em que não dá mais para postergar. Resolvi, então, focar na maternidade”, contou ela, que, após dois abortos espontâneos, decidiu se submeter a uma fertilização. Logo na primeira tentativa, veio Sophia. “Se tivesse 30 anos, relaxaria. Mas o tempo passa. Não queria ter filho aos 50”, justificou.

Seu marido está com 50 anos e já tem um filho, Pedro, de 18. Foi difícil convencê-lo?
Nossa parceria é muito forte, um cuida muito do outro. Profissionalmente, também, já que temos um bar juntos. E, um filho, dá uma quebrada na rotina. Os homens ficam apreensivos achando que o bebê vai atrapalhar, ou dividir a atenção. Mas quando engravidei, Avner ficou enlouquecido. Fala com a barriga. É muito carinhoso. Tudo o que ele queria era ter uma menina para fazer um casal com Pedro. Sophia já é a princesinha da casa.

Você se arrepende de não ter sido mãe antes?
Acho que quando você engravida nova, tem tanta coisa para resolver, que abdica de algo em prol de uma criança. Pode ser difícil. Eu já viajei, já curti, já me dediquei, nada mais me surpreende. Uma balada, uma festa... É outra fase. Estou mais preparada.

Chegou a temer uma terceira gestação após dois abortos?
Dá um certo medo. Por isso, nos três primeiros meses, fiquei em casa, quieta. Para uma pessoa agitada como eu, parar é difícil. Mas, por exemplo, deixei de malhar assim que soube da gestação.

E como foi a descoberta?
Achei que não estava grávida. Minhas menstruações nunca foram muito regradas. O médico me confirmou e foi uma delícia. Uma notícia incrível. Aí, começam as paranoias, a superproteção ao baby para não abortar de novo.

Você sentiu algo diferente?
No início, má digestão. Não era enjoo. Me senti um pouco mole, mas, após o terceiro mês, fiquei ótima. Meu marido até fala que não pareço grávida porque não tive nada. Graças a Deus!

E parece, não engordou...
Oito quilos, na barriga! Comecei com 45kg. E estou com 53kg, tenho 1,59m. Como de tudo, mas a alimentação é saudável. Procuro consumir todos os nutrientes que o bebê precisa. E a drenagem ajuda a não reter líquido.

Sente-se mais bonita?
Nunca tive barriga, mas agora estou achando ela linda. Essa beleza toda vem da Sophia.

Há ânimo para outro bebê?
Sabe-se lá? Vai que eu me empolgo? (risos). A família do Avner é pequena, a minha é gigante. Estou acostumada com muita gente.