Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Atores de Carrossel escolhem suas cenas preferidas e mostram que a novela é uma escola para pais e filhos

Juliana Cazarine Publicado em 25/07/2013, às 00h01 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Saiba como as histórias de Carrossel influenciam o comportamento dos seus filhos - Lourival Ribeiro/SBT
Saiba como as histórias de Carrossel influenciam o comportamento dos seus filhos - Lourival Ribeiro/SBT

É uma tarefa quase impossível encontrar uma criança, na faixa dos 10 anos de idade, que não goste da novela Carrossel. O folhetim - que termina amanhã, 26 - é considerado um fenômeno de audiência. Fica em segundo lugar no Ibope no horário em que é exibido. As crianças que assistem à novela, obviamente, estão sujeitas à influência que as histórias exibidas exercem. Para a tranquilidade dos pais, Carrossel está cheia de bons incentivos. Mas fica o alerta: “Os pais precisam saber o que os filhos assistem para mostrar o que eles podem ou não tirar como lição”, diz Juliana Mattoso Del Vigna, psicóloga. Aqui, Juliana analisa as cenas preferidas dos atores mirins e explica a influência que cada uma delas exerce sobre os pequenos telespectadores.

+ ‘Carrossel’ chega ao fim! Confira o sucesso da novela em números

+ Novelas infantis: entenda como Carrossel influencia o seu filho

Cirilo - Jean Paulo Campos  

“Foi muito emocionante gravar a cena em que o Cirilo fica esperando a Maria Joaquina (Larissa Manoela), porque o Paulo (Lucas Santos) e Kokimoto (Matheus Ueta) mandaram um bilhete dizendo que ela ia esperá-lo na casa dela, e começa a chover. Ele fica muito triste quando encontra o pai dela, depois de tomar muita chuva, e ele diz que não foi a Maria Joaquina quem mandou o bilhete e que os amigos aprontaram mais uma com ele”, diz Jean Paulo Campos. O ator revela outro motivo para gostar da cena: “gostei muito de gravar na chuva”, brinca. Gravar pode ter sido engraçado e bastante divertido, mas a mensagem que o personagem transmitiu ao telespectadores foi bem séria. “Acho que o Cirilo ensinou que as crianças não podem ser tão ingênuas e acreditar em tudo o que dizem”, comenta o ator. Mais do que isso, a cena ajudou as crianças aprenderem o que é a decepção. “A vida não é um ‘mar de rosas’ e é preciso saber isso desde cedo. Quem assistiu pôde perceber que nem sempre as coisas acontecem como esperamos. O Cirilo teve que lidar com a decepção de ser enganado pelos amigos e de esperar a menina”, diz Juliana.

Maria Joaquina - Larissa Manoela

A Maria Joaquina não é a mais querida entre os colegas de classe da Escola Mundial. Ela despreza o Cirilo, implica com a Valéria (Maisa Silva) e tem desentendimentos com outros personagens. Mas ela não é uma vilã, pelo menos é o que diz Larissa Manoela, que interpreta a personagem. “A Maria Joaquina faz as coisas sem pensar. Quando aprontam com ela na escola, ela chega em casa e chora. Não fica pensando em como vai dar o troco”, diz. E olha que aprontam mesmo com a garota. Em uma das cenas preferidas da atriz, Paulo empurra Maria Joaquina sobre seu bolo de aniversário. Mas a personagem também é autora de muita maldade. Em sua festa de aniversário, ela estragou e jogou no chão o buquê que ganhou de Cirilo. Larissa citou as duas cenas para destacar a importância da novela com o público. “A ideia é ensinar a respeitar os amigos, a não ter preconceito. Eu mesma aprendi muito com toda a história”, comenta. Cenas como essas têm seu lado bom e ruim. “É importante que os pais acompanhem o que os filhos veem para mostrar o que podem ou não tirar como lição. Na cena do buquê, por exemplo, o Cirilo teve um gesto bonito e a Maria Joaquina, não”, diz Juliana.

Jaime Palillo - Nicholas Torres

Definitivamente, Jaime Palillo (Nicholas Torres) não é o melhor aluno da classe. E não se orgulha disso! Na cena preferida de Nicholas Torres, ao tirar uma nota baixa, Jaime fugiu de casa com medo do desgosto que poderia dar aos seus pais e da bronca que poderia tomar. Na rua, o menino sofre muito, é claro. Por isso fica muito feliz ao reencontrar o pai. “A cena mexeu bastante comigo por causa de toda a situação e acho que ensinou as crianças em casa a nunca fazerem isso”, diz Nicholas. Para a psicóloga Juliana Mattoso, “toda criança tem a expectativa de ter uma boa nota para mostrar em casa”, diz. Com medo de uma bronca, Jaime preferiu fugir a enfrentar um problema que não é um bicho de sete cabeças. “Se a criança tem dificuldade de aprender, quando chega a nota, se decepciona. O caso da criança que não vai bem na escola por preguiça é diferente. Mas tudo bem tirar uma nota baixa dentro de tais limitações. O pai tem que dizer: ‘você vai conseguir’”, diz a psicóloga.

Kokimoto - Matheus Ueta

Kokimoto é aquela criança que adora aprontar com os amigos e inventar brincadeiras criativas e divertidas. “A minha cena preferida é aquela em que o Kokimoto, o Paulo, o Cirilo e o Adriano (Konstantino Antonio) foram ao espaço resgatar o amigo Chulé, que tinha ido procurar a namorada Chuleia. A gente se divertiu muito”, conta Matheus. Explorar a imaginação é sempre bom para ter novas ideias, ainda mais para uma criança. “Cenas como essa mostram à criança que é bom brincar. Brincar estimula a criatividade, o convívio em sociedade e ajuda as crianças a estabelecerem regras”, comenta a psicóloga.

Daniel Zapata - Thomaz Costa

O ator Thomaz Costa, que interpreta Daniel Zapata, escolheu como cena preferida uma em que ele e Kokimoto vão à casa de Clementina (Kiane Porfírio) animar a amiga que vive presa em casa. A tia da garota não a deixava sair para brincar com os amigos. “O fato de os dois terem ido brincar com a amiga mostra para a criança que está assistindo que é importante compartilhar e ser solícito”, diz Juliana. Mas o que fez Thomaz escolher a cena não foi a mensagem, e sim a diversão. “Nessa cena, o Kokimoto explode uma bomba e a imagem tem efeitos especiais. Foi muito legal”, conta o ator. Fica aí o alerta para os pais: “A criança pode pensar que é normal jogar uma bomba ou algo do tipo em casa. E, se tentar fazer igual, pode se machucar”, alerta a psicóloga.

Bibi Smith - Victória Almeida Diniz

Bibi Smith (Victória Diniz) faz questão de manter um bom relacionamento com as colegas de classe. A cena preferida da atriz que interpreta a personagem é justamente uma em que Bibi está com as amigas...brincando, é claro! “Nós fomos à casa da Marcelina fazer cupcakes. Mas começamos uma guerra de comida e fizemos uma bagunça. Foi bem divertido gravar”, conta Victória. Mas, para as personagens, a história não terminou muito bem. “A mãe da Marcelina chegou e deu uma bronca nela”, diz a atriz. “Acho que isso ensinou às crianças de casa a nunca chamarem as amiguinhas para fazer cupcake”, continua. A psicóloga Juliana Mattoso pensa diferente. “Vendo a bronca, a criança que estava em casa pôde perceber que pode brincar, mas não pode passar dos limites. E quem estabelece esse limite é o adulto”, diz.

Paulo Guerra - Lucas Santos

Paulo Guerra (Lucas Santos) é o mais travesso da turma do Carrossel. Ele apronta com os amigos e sempre se mete em confusão. Mas é um carinha muito engraçado. “Imitei o Silvio Santos na novela três vezes e foram as minhas cenas preferidas. Eu me diverti e fiquei muito orgulhoso. Afinal, fazer isso não é para qualquer um”, diz o animado Lucas. Para ele, as crianças em casa “racharam o bico”. “É sempre bom incentivar a diversão. Imitar estimula a capacidade de observar e criar da criança”, diz a psicóloga Juliana.

Marcelina Guerra - Ana Victória Zimmermann

Marcelina Guerra (Ana Victória Zimmermann) é o oposto do irmão Paulo. É doce, delicada e amorosa. Ana Victória, que interpreta a personagem, também é. A cena preferida da atriz mirim é aquela em que as crianças de Carrossel acampam dentro da escola. “Acampamentos são bons para conhecer melhor os amigos. E lá [na novela], os personagens conheceram melhor a escolha também”, diz Ana Victória. Acampamentos supervisionados são ótimas oportunidades para dar liberdade ao filho de dormir fora de casa, e ter a certeza de que ele será bem cuidado, já que está com os professores. A cena mostrou para as crianças o quanto é bom estar com os amigos, mas também ensinou uma lição aos pais. “Se o pai nunca deixou o filho dormir fora, pode ficar mais tranquilo sabendo que ele está na escola. E logo ele vai querer vivenciar esse tipo de experiência”, diz Juliana Mattoso.

+ 'Saramandaia': a força dos remakes! Relembre 10 novelas que voltaram à TV