Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A euforia de Ana Claudia Michels e a herdeira, Iolanda

A top fala sobre os desafios de ser mãe e médica ao mesmo tempo

Tainá Goulart Publicado em 08/07/2017, às 09h52

Ana Claudia Michels e a filha Iolanda - Rogério Pallatta
Ana Claudia Michels e a filha Iolanda - Rogério Pallatta

Todas as vezes que Iolanda (10 meses) abre um sorriso gostoso, evidenciando as covinhas, Ana Claudia Michels (35) se derrete. E esse ‘ritual’ tem acontecido todos os dias, desde a chegada da primogênita, do seu casamento com o advogado Augusto de Arruda Botelho (39). “Quando ela era menor e sorria para mim, eu não conseguia me conter e chorava muito. Ver aquela menina linda, a minha filha, com saúde, era só o que eu poderia pedir a Deus e as lágrimas escorriam mesmo. Sempre quis ser mãe, realizei um sonho”, revela a top, que já posou para marcas internacionais como Givenchy, Roberto Cavalli e Louis Vuitton. No apartamento de 400m², em São Paulo, onde mora com o eleito, desde 2015, com quatro quartos e uma ampla sala de estar, Ana se joga no chão e Iolanda se diverte bastante. Porém, a mãe revela contar com a ajuda de uma babá para cuidar da herdeira, mas faz questão de ser a única pessoa a dar banho na bebê. “É uma bagunça gigante no banheiro com ela, parece até que estamos na piscina. Também faço as papinhas dela e brincamos muito, vemos vídeos juntas. No entanto, o Augusto me aconselhou a ter alguém desde o começo, pois preciso me acostumar. Assim, quando chegar a hora do meu internato da faculdade, em agosto, eu vou sair de casa e não vou ficar tão despedaçada”, diz.

Foi com mais de 30 anos que ela ingressou na universidade e não vê problemas em sua decisão, pelo contrário, só pontos positivos, como a facilidade em se concentrar, dar mais importância ao conhecimento. O único inconveniente é a ausência na vida da filha por conta da rotina atribulada do quarto ano do curso. “Não tenho medo de trabalho ou estudo, afinal, ser modelo me preparou bem para momentos intensos e exaustivos. O que me deixa aflita é não poder estar ao lado da Iolanda o tempo inteiro. A primeira vez que saí, sem que ela tivesse acordado, foi o fim, um pesadelo. Chorei como nunca, mas não posso desistir do meu sonho de ser médica. Sei que se eu não conquistar o meu diploma, serei muito infeliz”, admite ela, que está em dúvida entre as carreiras na endocrinologia e ginecologia obstetrícia. Enquanto uma nova fase na graduação não começa, Ana Claudia se diverte com a menina, que adora brincar com os brinquedos educativos e com os bichinhos de pelúcia no quarto.

Ao observá-la, a mãe ri ao comentar que não enxerga nenhuma característica física sua na pequena. “Até as unhas parecem com as do Augusto. Talvez ela tenha o meu jeito de agir, de ser determinada e saber o que quer, para deixá-la brava é fácil. Se eu a tiro do chão, começa a chorar! Não é porque sou médica que não vou deixar a menina brincar onde quiser ou ter contato com as coisas ao seu redor. Ela precisa ganhar imunidade e adoro ver quando ela coloca a mãozinha na boca”, conta. Talvez a top tenha mais sorte com a fisionomia do próximo filho. Até o fim de 2017, o casal pretende tentar engravidar novamente e ela espera que seja um menino. “Não temos domínio sobre isso, mas seria legal se fosse um filho. Sempre me imaginei como mãe de menino e estamos na torcida. Já tenho o Téo para treinar. Ele, com certeza, será um irmão mais velho incrível para os dois. Prefiro ter outra gravidez agora, para não entrar de cabeça e alma nos estudos e depois precisar parar. Nosso sonho é ter três filhos e estamos quase lá para realizálo”, torce, ao falar do enteado, de união anterior de Augusto.