Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / RIO CONNECTION

Nicolas Prattes desabafa sobre crise climática e faz alerta: 'Morrendo na rua'

Durante o lançamento de Rio Connection, Nicolas Prattes falou sobre os desafios de seu papel na nova série do Globoplay

por Fernanda Chaves e Marcela Almeida

fchaves_colab@editoracaras.com.br

Publicado em 22/11/2023, às 09h53 - Atualizado às 16h09

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Nicolas Prattes está no elenco de Rio Connection, nova série do Globoplay - Foto: Santiago de Andrade/Agnews
Nicolas Prattes está no elenco de Rio Connection, nova série do Globoplay - Foto: Santiago de Andrade/Agnews

Nicolas Prattes (26) desabafou sobre a crise climática e fez um alerta nesta terça-feira, 21. O ator conversou com a imprensa durante o lançamento de Rio Connection, a nova série do Globoplay, em que a CARAS Brasil esteve presente. Ele declarou que o brasileiro brinca com situações sérias, mas é preciso se preocupar. "Morrendo na rua."

Rio Connection é uma série internacional Original Globoplay em produção com a Sony Pictures Television e Floresta. A trama é ambientada nos anos 1970 e apresenta a história de três criminosos europeus que estabeleceram no Brasil um ponto estratégico do tráfico de heroína para os Estados Unidos. Os artistas se reuniram no Kinoplex Leblon Globoplay, no Rio de Janeiro, para o lançamento.

O ator falou sobre como foi seu ano e o que espera para o próximo. "Muita coisa aconteceu, em termos de trabalho para mim foi bom, mas em termos de mundo, foi um ano nada legal, né? Está tendo uma crise climática que as pessoas estão fazendo meme, que o brasileiro é isso, a gente brinca com a desgraça, mas tem galera morrendo na rua porque está calor. Eu espero que as pessoas fiquem mais conscientes para a gente ter um mundo melhor", disparou Nicolas Prattes.

Ele também contou quais foram os desafios para interpretar seu personagem na nova série do Globoplay. "Eu faço um italiano dos anos 70 que morou a vida inteira em Nova York, então tinha que falar com sotaque dos anos 70, mas pensando em português e falando em inglês com sotaque italiano. Foi uma cabeça muito matemática, eu acho que eu nunca fiz um trabalho que não tinha muito espaço para o improviso. Eu estou muito curioso. Vi algumas coisas porque a gente dublou, então eu vi as minhas cenas e eu gostei muito. Está uma série muito elegante, é uma história que acredito que a grande maioria não conheça e é interessantíssimo que ela seja contada para o grande público."