Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / SEGREDO

Micael Borges entrega segredo de Jefinho de Fuzuê e revela canção original

Micael Borges entregou segredo para encarnar papel em Fuzuê e revelou que compôs canção original para a novela

Micael Borges vive Jefinho em Fuzuê - Foto: Fabio Rocha/Globo
Micael Borges vive Jefinho em Fuzuê - Foto: Fabio Rocha/Globo

Micael Borges (34) está no ar em Fuzuê como o personagem Jefinho, cantor sertanejo da trama. A Globo recebeu a imprensa nos bastidores da gravação da novela das sete e, com presença da CARAS Brasil, o ator entregou segredo para encarnar papel e ainda revelou que compôs canção original para ser integrada na produção.

"Compus uma música, que é meio que um piseiro. O pessoal deixou eu produzir, já produzi o instrumental. Vamos ver se a gente consegue encaixar em alguma cena, mas compus uma música meio que de Jefinho para Luna e ficou bem legal. Estou amarradão. Esse trabalho de pesquisa está sendo uma experiência muito rica, porque qualquer gênero, para mim, é muito bom, como produtor. Poder escutar novos instrumentos e novas formas de execução está sendo enriquecedor", compartilhou o ator de Fuzuê.

"O fato de eu ser músico, produtor e já cantar há algum tempo ajuda muito, mas o sertanejo é uma coisa nova, uma vertente que eu não faço parte, não escutava muito. Mas aí fui fazer um trabalho de pesquisa, fui nos sertanejos antigos, me inspirei muito no Gusttavo Lima e no Michel Teló para entrar mais nesse universo. Aos pouquinhos, estou me econtrando cada vez mais. Estou amando fazer", acrescentou Micael Borges.

Leia também: Ator de Fuzuê entrega que fracasso no teatro ajudou em estreia de novela: 'Maturidade'

O ator de Fuzuê ainda entregou que os elementos de seu figurino são essenciais para encarnar seu personagem na trama e revelou segredo da caracterização: "Acho que é 60%, 70% o figurino. O resto a gente vai construindo no interior, cada pessoa tem uma forma de trazer. Eu, por exemplo, quando coloco o figurino, vem corpo e fala. No restante, vou colocando as minhas manias, que é um perfume que tenho do Jefinho, objetos, detalhes, anéis, pulseiras, o lance do terço. Sem dúvidas, o figurino é mais da metade da construção de um personagem".