Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / CARREIRA

Manoel Soares abre o jogo sobre carreira como escritor e entrega se deve voltar à TV

Em entrevista à CARAS Brasil, Manoel Soares falou sobre levar discussão sobre racismo de livro aos palcos com a peça Para Meu Amigo Branco

por Mariana Krunfli, sob a supervisão de Arthur Pazin

mkrunfli@caras.com.br

Publicado em 09/12/2023, às 17h51 - Atualizado em 11/12/2023, às 15h26

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Manoel Soares trilha novos caminhos profissionais - Foto: Pino Gomes
Manoel Soares trilha novos caminhos profissionais - Foto: Pino Gomes

Manoel Soares leva discussão sobre racismo de livro aos palcos com a peça Para Meu Amigo Branco, que encerra temporada neste domingo, 10, no Teatro Domingos Oliveira, no Rio de Janeiro. Em entrevista à CARAS Brasil, o apresentador falou sobre escrever o livro que inspirou o espetáculo e abriu o jogo sobre carreira, além de entregar se deve voltar à TV.

"Quando recebi o convite para transformar o livro em peça, fiquei surpreso, porque, particularmente, eu achei que não teríamos um grupo de pessoas com a coragem de levar esse questionamento para os palcos", compartilhou Manoel Soares sobre o espetáculo. 

"A peça leva o livro que eu escrevi alguns quilômetros à frente. Para Meu Amigo Branco no teatro é um cessar-fogo racial, porque o mundo não se divide entre negros e brancos, mas entre pessoas racistas e não racistas. Essa é a corajosa distinção proposta pelo espetáculo", acrescentou o jornalista sobre a produção.

Manoel Soares lançou o livro Para Meu Amigo Branco em 2022, após o nascimento de seu quinto filho, Ezequiel, para quem o livro era destinado antes de tomar novas proporções. "O meu quinto filho nasceu com a pele clara e esse foi o motivo principal para escrever este livro. A princípio, a obra seria apenas para ele com o título Para Meu Filho Branco, no intuito de passar algumas orientações para que ele não se tornasse uma pessoa opressora dentro de uma sociedade historicamente racista".

Escrito no celular do artista, o livro cresceu de público com o interesse de amigos e ganhou o título de Para Meu Amigo Branco, como contou Manoel Soares. "Não tive nem tempo de parar no computador para escrever com calma. Isso aconteceu porque sou um pai de família extremamente ativo na rotina dos meus filhos".

"A função de Para o Meu Amigo Branco não é trazer respostas para o mundo racista, mas trazer perguntas. [...] Vamos começar a criar desconfortos necessários para mover as placas tectônicas que sustentam essa energia do racismo, que é difícil de ser combatida", declarou Manoel Soares.

Influenciado por Zezé Motta, Mussum, Oscarito e Jorge Lafond, o apresentador refletiu sobre a importância da representação na mídia: "Eu sempre parto do príncipio que o corpo negro, mesmo em silêncio, está falando muita coisa".  

Leia também: Nívea Maria abre o jogo sobre participações na TV: 'Sou como qualquer pessoa'

Para Meu Amigo Branco não foi o primeiro trabalho de Manoel Soares como autor. O apresentador também escreveu A Luta de Denis, inspirado em uma experiência de sua infância, e falou sobre seguir o caminho profissional na escrita. "Vejo nos livros um meio fundamental para transformar. [...] Sempre que houver um debate relevante e uma história a ser contada, estarei pronto para escrever, pois isso representa uma das minhas paixões mais profundas".

Além do trabalho como escritor, o artista também apresenta o programa Bombou ao lado da família e marca o lançamento de sua própria marca de roupas. Apesar da ausência recente na TV, Manoel Soares explicou que sua carreira nas telinhas ainda não terminou: "Costumo dizer que eu vou aonde o público me quer, então é claro que não descarto a possibilidade de voltar para a TV, mas tudo depende do projeto e do momento". 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!