Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Muito triste

Lexa sofre de doença autoimune e faz desabafo: 'As pessoas ficavam me criticando'

Lexa contou que foi diagnosticada com uma doença autoimune que ataca a tireoide

Patrícia Dias

por Patrícia Dias

pdias_colab@perfilbr.com.br

Publicado em 11/09/2023, às 21h12

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Lexa falou sobre a descoberta de doença autoimune - Divulgação TV Globo
Lexa falou sobre a descoberta de doença autoimune - Divulgação TV Globo

Lexa abriu o jogo e contou ter uma doença autoimune. Segundo a cantora, ela sofre de tireoidite de hashimoto. "Fui fazer uns exames que minha ginecologista pediu. E aí eu descobriu que eu tenho uma doença chamada tireoidite de hashimoto... A minha memória parece que é meio curta, tenho esquecimentos o tempo inteiro. Percebi algumas coisas, mas o esquecimento era o pior de todos", afirmou ao participar do "PodPeople".

As causas não são bem definidas, mas é possível que seja desencadeada por um fator genético ou ambiental (estresse, um acidente, grande cirurgia). "Quando recebi o diagnóstico, fiquei muito triste. Ninguém quer ter uma doença autoimune", desabafou Lexa.

A médica psiquiatra Ana Beatriz Barbosa explicou o diagnóstico. "O hashimoto é quando os anticorpos atacam a tireoide, que é o que dá velocidade no metabolismo. Você deve ter se sentido um pouco mais lenta, um pouco mais cansada, raciocínio que era rápido e ficou devagarzinho, dificuldade de perder peso...", disse.

Lexa aproveitou para citar as especulações que já levantaram em torno de sua aparência. "E aí as pessoas ficavam me criticando na internet: 'Ela fez harmonização facial'. Não, gente. Eu tenho uma doença autoimune", falou a funkeira.

Tireoidite de hashimoto

Ana Beatriz Barbosa descreveu alguns sintomas da doença autoimune, que acomete mais mulheres do que os homens. Sua prevalência aumenta à medida que as pessoas envelhecem.

"Você tem mais dificuldade de perder peso, qualquer coisa incha mais, retenção de líquido. É uma batalha. É uma doença que é chata, mas a probabilidade de virar um câncer é quase zero. A gente brinca no meio médico que se tiver que escolher um câncer, escolhe o de tireoide. É o mais tratável que existe. É chato, dá um pouquinho de depressão, você fica mais lenta e começar a ter mais autocrítica. Baixa um pouquinho o tesão. Pode ficar com unha mais quebradiça, queda de cabelo... Uma série de coisas que tem que regularizar. Muita mulher tem e não sabe", destacou a médica.

Lexa apontou um pouco das dificuldades que já enfrentou. "Às vezes eu estava em uma linha de raciocínio e eu esquecia, pedia para alguém me lembrar. Eu falei assim: 'agora preciso falar sobre isso pois muitas mulheres tem e não sabem. Às vezes estão em quadros depressivos", completou a artista.