Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Laura Fernandez faz desabafo e relata assédio que sofreu na rua: ''Muito desesperador''

A modelo decidiu curtir um dia na praia e ao voltar para casa andando passou por uma situação constrangedora

CARAS Digital Publicado em 25/11/2020, às 17h54 - Atualizado às 17h58

Laura Fernandez faz desabafo e relata assédio - Reprodução/Instagram
Laura Fernandez faz desabafo e relata assédio - Reprodução/Instagram

Laura Fernandezusou suas redes sociais para fazer um desabafo. 

Através do Stories do Instagram, nesta quarta-feira, 25, a modelo relatou aos fãs que sofreu assédio na rua, após decidir curtir a manhã na praia e voltar a pé para a casa. 

"Acabei de chegar em casa, resolvi vir andando. Um quilômetro e pouquinho. Coloquei até no aplicativo para saber quanto tempo é da praia daqui da minha casa. Foram dez minutos e um quilômetro de puro desespero", disse ela no vídeo. 

A mãe de Sol de Maria, neta da cantora Preta Gil, contou que estava usando uma roupa mais curta, e muitos homens começaram a mexer com ela. "É muito difícil ser mulher, muito desesperador. Estou com essa roupa de malhar, que o top é curto, fico com a barriga de fora. Marca meu bumbum e meu corpo. Os homens se sentem no direito de ficar buzinando, de ficar parando o carro", relatou, mostrando indignação na legenda: "Até quando isso vai acontecer?"

Na gravação Laura afirmou que seu desejo era apenas poder andar de forma tranquila na rua. "Eu só estou exercendo meu direito de ir e vir, de andar. Parece que isso não cabe às mulheres. A partir do momento que você toma a decisão de andar na rua, precisa pensar na roupa que vai andar na rua, para diminuir as chances de esse assédio acontecer. O que já é triste e desesperador", lamentou. 

"Não é só sair de casa. Vocês tem noção de quanto isso é horrível? O que era para ser uma simples saída, vira um medo", ressaltou a modelo. Laura ainda confessou que experiência foi traumatizante: "Eu amei voltar andando, mas não sei quando vou voltar andando, quando vou ter coragem. Não sei quando vou ter disposição. Me sentir protegida e livre vai ser muito difícil", acrescentou. 

A modelo seguiu falando sobre o caso e mostrando o quanto ficou indignada com o que passou. "Foram dez minutos de puro terror e pura tensão, de caras buzinando. Teve um cara que parou o carro do meu lado e eu saí correndo desesperada. Vai que ele tem uma arma e me manda entrar, o que vou fazer. Eu fico desesperada, as mulheres são muito vulneráveis. Que vontade de gritar, de chorar. Eu só queria voltar andando para casa [...] Vocês tem noção do que é não ter coragem de usar uma roupa, um pedaço de pano, só para evitar ser assediada?", finalizou.