Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Tudo passa!

Glenda Kozlowski fala sobre a temida crise dos 40 anos e revela que não se enxergava como mulher

Repórter Glenda Kozlowski conta sobre as mudanças durante o período da crise dos 40 anos em entrevista no primeiro episódio do podcast 'Bel e as Feras'

CARAS Digital Publicado em 10/12/2021, às 11h05 - Atualizado às 11h17

Repórter Glenda Kozlowski fala sobre temida crise dos 40 anos - Reprodução/Instagram
Repórter Glenda Kozlowski fala sobre temida crise dos 40 anos - Reprodução/Instagram

Glenda Kozlowski (47) abriu o coração e falou sobre um período delicado que enfrentou.

A repórter, conhecida por seu trabalho no universo esportivo, participou do primeiro episódio do podcast Bel e as Feras, comandado pela jornalista Bel Mota, do SportBuzz.

Durante a entrevista, feita online por conta da pandemia de coronavírus, a empresária e ex-atleta comentou sobre a crise dos 40 anos. A temida fase é um processo que faz parte da vida da mulher, mas também pode acontecer com os homens. Com a chegada da vida adulta, o nível de contentamento da pessoa com a própria vida diminui, até atingir sua pior fase a partir dos 40 anos. Com Glenda, aconteceu um pouco mais cedo, quando estava com 39 anos. 

A empresária revelou que foi uma fase em que percebeu alterações em seu corpo e admitiu que não conseguia se enxergar como mulher. "Eu sentia uma diferença muito grande no meu metabolismo, no meu cabelo, na pele, eu senti demais assim, eu senti muito e aquilo foi um choque para mim. Eu sempre me senti muito nova, eu tenho um espírito meio novo, muito ativa, muito feliz, muito 'tá tudo certo, vamos nessa' e de repente foi a primeira vez que eu falei assim 'caramba, eu não sou mais aquela garota de 13 anos que pega onda, eu sou uma mulher' e eu não conseguia me enxergar como mulher", disse ela. 

Ela relembrou quando começou a trabalhar, ainda na adolescência, com 13 anos de idade. "Para eu começar a me enxergar como mulher, e aí eu trago até o feminino, porque eu sempre fui muito, mãe de dois meninos, muito independente, trabalho desde os meus 13 anos de idade, sou independente financeiramente desde os meus 13 anos de idade, então eu sempre tive um lado masculino muito forte, muito mais forte que o feminino", acrescentou.

Em agosto deste ano, Glenda teve covid-19 e relatou as fortes reações da doença. Na entrevista para a CARAS Digital, ela aproveitou para ressaltar a importância da vacinação. "Todo mundo tem que se vacinar. Eu fico imaginando que se eu não tivesse tomado a vacina o que seria de mim agora, eu certamente seria uma dessas pacientes que ia dar trabalho, que ia ficar internada e Deus me livre e guarde, poderia até enfrentar uma intubação. Com a vacina eu estou tendo essas reações, imagina sem", falou.

Confira: