CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil
Atualidades / Família

Filhas de Gugu Liberato surgem com a mãe após divulgação de carta sobre o pai

Filhas gêmeas de Gugu Liberato exibem foto com a mãe e a madrinha menos de 24 horas após uma carta do passado vir à tona

por Priscilla Comoti

pcomoti_colab@caras.com.br

Publicado em 23/06/2023, às 11h52

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Filhas de Gugu Liberato, Marina e Sofia com a madrinha e a mãe - Foto: Reprodução / Instagram
Filhas de Gugu Liberato, Marina e Sofia com a madrinha e a mãe - Foto: Reprodução / Instagram

As filhas gêmeas do apresentador Gugu Liberato (1959-2019), Marina e Sofia Liberato, compartilharam uma nova foto com a mãe, Rose Miriam, na manhã desta sexta-feira, 23. A imagem mostrou as duas ao lado da mãe e também da madrinha durante um encontro especial. O que chamou a atenção é que a foto foi compartilhada menos de 24 horas após o nome de Rose Miriam virar manchete na internet.

Isso porque uma carta que ela escreveu no passado sobre Gugu Liberato vazou na internet e surpreendeu pelo conteúdo. No passado, ela escreveu a carta para Gugu sobre a intimidade dele e da família.

Filhas de Gugu Liberato, Marina e Sofia com a madrinha e a mãe

Depois do vazamento da carta, o advogado de Rose Miriam se pronunciou e confirmou a veracidade do documento, mas repudiou a divulgação do texto. Ele ainda revelou mais detalhes sobre o contexto em que a carta foi escrita. "O advogado Nelson Wilians não comenta o processo que tramita em segredo de justiça, no entanto, repudia o vazamento de um documento dos autos fora do contexto. Rose escreveu a referida carta com o coração, em desespero ao saber da traição e da bissexualidade do marido, que ela tanto amava, e porque queria também proteger os filhos. Ainda que imensamente abatida, ela encontra na fé e no seu amor por ele uma saída", disse ele. 

E completou: "A partir desse momento, porém, o casal entra em crise conjugal e Rose, a pedido de Gugu, vai morar no Rio para resguardar a família. Nesse contexto surge o malfadado contrato para criação dos filhos, que Rose Miriam assinou dopada, sob efeito de medicamentos fortíssimos; e o famigerado testamento de 2011. Nessa época Rose entrou em uma grave depressão, voltou para São Paulo e tentou o suicídio, sendo internada no Hospital Albert Einstein. E, novamente, o advogado Nelson Wilians chama atenção para a responsabilidade que Gugu tinha para com ela e seus filhos. Ele a visitava no hospital e se identificava na recepção como companheiro de Rose, conforme registros do próprio hospital. Como já dito, foi nesse período que ele fez o testamento e o contrato para que ela cuidasse dos filhos. O que reforça a tese do advogado Nelson Wilians. Ela assinou, conforme depoimento de médicos, sob efeito de medicamentos. Portanto, não estando no controle de suas funções mentais, tanto que o apresentador preferiu fazer depósitos para o sustento da família na conta do irmão dela, já que ela estava à base de remédios". 

"Passado esse período, além de ela fazer terapia, ela convenceu Gugu a também fazer terapia e obteve dele a promessa de que mudaria seu comportamento, pois na época ele manifestou esse desejo.
Com isso, a vida do casal voltou à normalidade e a família decidiu morar em Orlando (EUA), cidade que Gugu mais gostava. Primeiro eles compraram uma casa pequena. Com a adaptação à cidade, a família se mudou para uma casa maior. Foi nessa casa que Gugu se acidentou e foi socorrido por Rose", continuou. 

Por fim, a nota do advogado de Rose Miriam trouxe um trecho sobre o processo que ela abriu para tentar reconhecer sua união estável com o apresentador. "A legislação para reconhecimento de união estável é clara. A traição ou a ausência de sexo — o que não é o caso de Rose e Gugu — não são, por si só, elementos para desqualificar a união estável, senão as pessoas começam a trair só para “escapar” de eventuais responsabilidades civis. Rose e Gugu mantinham uma relação pública, notória, duradoura, contínua e com objetivo de constituir família e que também era intercalada por crises conjugais. São esses elementos que a Justiça avalia em um processo de reconhecimento de união estável. E, no caso de Rose, todos esses quesitos são amplamente possíveis de confirmação", informou.