Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Relacionamentos

Deborah Secco abre o jogo sobre romance com outra mulher

Deborah Secco relembra quando se relacionou com outra mulher: 'Não tem certo ou errado em gostar, em se apaixonar'

CARAS Digital Publicado em 04/06/2022, às 10h53

Deborah Secco - Foto: Reprodução / Instagram
Deborah Secco - Foto: Reprodução / Instagram

A atriz Deborah Secco (42) já contou que viveu um romance com outra mulher há alguns anos. Agora, a artista relembrou como foi ter a experiência de se relacionar com outra mulher pela primeira vez e abriu o coração.

Ela contou que precisou quebrar algumas barreiras em si e relembrou o que pensou na época. “Se eu falar que não quebrei nenhuma barreira dentro de mim, é mentira. Você escuta a vida inteira que tem que se casar com homem. É conduzida para isso. Mas foi fácil de quebrar, porque não tem certo ou errado em gostar, em se apaixonar. Se me fez bem e não fez mal a ninguém, faz sentido para mim. Mas a sociedade cria em você uma minibarreira”, disse ela em entrevista à colunista Patricia Kogut, do Jornal O Globo.

E completou: “Pensei: 'Meu Deus, e agora?'. Mas demorou três segundos. Sou livre, bem-resolvida e nunca tive preconceito. Quando aconteceu comigo, tive os primeiros segundos entendendo, indo contra o que foi ensinado. Pensei: 'Nossa, que ridículo, vou rir disso e seguir adiante'. Prefiro falar em datas para não expor. A primeira pessoa com quem fiquei talvez não fosse conhecida, mas pode ser que pessoas próximas saibam”.

A relação de Deborah Secco com o marido

Deborah Secco também falou de seu relacionamento com o marido, o ator Hugo Moura (32). Os dois são pais de Maria Flor (6). A artista relembrou o que sentiu ao lado do marido para decidir se casar com ele. “Com ele, pela primeira vez, consegui ser de verdade, honesta, me apresentando com erros e acertos, defeitos e qualidades. E talvez pela primeira vez tenha me sentido verdadeiramente amada. Porque só uma parte de mim era amada, a legal, aquela que eu apresentava para as pessoas. Eu omitia a parte errada. Hugo me ama desse jeito, com minhas imperfeições. E isso me traz uma tranquilidade, uma falta de anseio por algo mais”, contou.