Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS
Atualidades / Publieditorial

Conversas, Curtidas e Networking: Conheça as novas vozes do marketing de influência

Em entrevista, Flávio Santos, Gabriel Lima, Gustavo Almeida e Victor Godoy comentam sobre os bastidores dos negócios e o poder das conexões para construir negócios inovadores e relações verdadeiras que transcendem o ambiente profissional

Redação Publicado em 26/11/2021, às 11h02 - Atualizado às 11h06

Flávio Santos, Gabriel Lima, Gustavo Almeida e Victor Godoy comentam sobre os bastidores dos negócios - Divulgação
Flávio Santos, Gabriel Lima, Gustavo Almeida e Victor Godoy comentam sobre os bastidores dos negócios - Divulgação

Você deve imaginar que agências de marketing são criadas por meio de investimentos milionários e procedimentos extremamente burocráticos, certo? E se eu te dissesse que é possível criar uma a partir de um direct no Instagram? Foi assim que surgiu a MField. Uma simples mensagem em uma rede social, se transformou em uma das empresas referências em marketing de influência no país. Com narrativas criativas e uma boa rede de networking, a MField tem conquistado seu espaço no mercado inovando os métodos tradicionais de publicidade.
Para quem não é familiarizado com o termo, networking é a mesma coisa que uma rede de contatos. Já deve ter acontecido de você conhecer um amigo do seu amigo, que te apresentou outro amigo, e esse amigo te apresentou outro e, indo nesse caminho, você já conheceu todo mundo. Foi isso que aconteceu com os empresários Flávio Santos, Gabriel Lima, Gustavo Almeida e Victor Godoy, fundadores da MField.


Em conversa com os executivos, entendemos que o relacionamento e amizade com diferentes celebridades resultaram, também, em negócios e parcerias para grandes oportunidades. Os quatro queriam ser vistos como facilitadores, pessoas capazes de levarem bons trabalhos e que agregassem valor aos clientes e, então, nasceu a MField. “O grande facilitador foi frequentar ambientes que pessoas influentes também estavam, mas sempre se colocando de forma interessante e não interesseira” contou Gustavo, diretor de produtos da MField, ao ser questionado sobre a proximidade no meio de atletas, artistas e influenciadores. 


Amigos, amigos, negócios à parte
Por mais que as amizades facilitem alguns processos na hora de fechar um negócio, o cuidado em estabelecer os limites entre as relações pessoais e profissionais é necessário para manter a credibilidade do trabalho e evitar conflitos. “Podemos ser mais próximos de algumas celebridades, mas é preciso prestar atenção para não passar do ponto e pedir mais do que o combinado”, explica Gustavo.
A habilidade de manter o equilíbrio entre os dois mundos é um grande exemplo de que, ser alguém bem relacionado é um diferencial, tanto para quem já trabalha, quanto para quem quer trabalhar na área. “A entrega final é diretamente mais bem sucedida pela facilidade de comunicação, conhecimento do estilo de trabalho, agilidade para antecipar problemas e minimizar erros, e também pela leveza do job, que acaba virando uma diversão para ambas as partes”, responde Flávio, que ocupa a posição de CEO da agência. Ter bons contatos, conhecer as preferências do público e criadores de conteúdo, e saber lidar com elas por meio de abordagens personalizadas, são alguns dos principais fatores que tornam o trabalho mais especial.


O marketing de influência não é apenas números
Sabe aquela propaganda que você viu na internet onde estrelava um famoso do TikTok? É isso, marketing de influência. O conceito é esse: trazer formadores de opinião para representar ações de comunicação de marcas. Mesmo que pareça simples, ainda é uma área cheia de desafios. Para Victor Godoy, diretor artístico da MField, o amadorismo de alguns influenciadores, que não entendem a seriedade do trabalho, e a falta de visão e flexibilidade de alguns profissionais da área, são os principais obstáculos de quem lida com os criadores de conteúdo. “O trabalho vai muito além de colocar preço em um post no feed e três stories. Mostrar o valor agregado dessa relação, o potencial criativo e de inovação vai muito além de trocas de WhatsApp”, conta.
Quando se fala em influenciadores, a primeira coisa que pensamos é em seguidores. Por mais que os números sejam importantes para quem quer entrar no marketing de influência, ainda sim, não é o fator principal. Para os empresários, o crescimento de um influenciador se dá ao criar conteúdos inteligentes e criativos, mostrar verdade e agregar valores, tanto para o público, quanto para marcas e empresas. “Conteúdo é o segredo, muitos influenciadores viralizam, mas se não mantém um conteúdo de qualidade acabam sendo esquecidos”, comenta Gustavo. “Para se manter é preciso estar sempre ‘saindo da caixa’”, completa.


O futuro é dos contadores de história
Focados na metodologia de valorizar histórias, os empresários conseguiram convencer outras agências de que uma narrativa criativa ajuda a construir relações genuínas e duradouras entre marcas e criadores de conteúdo. Quando começaram a ser procurados cada vez mais para determinadas ações, passaram a entender seu propósito no mercado. “Quando as agências e anunciantes começaram a entender o poder do storytelling e o impacto orgânico que essa estratégia tem, nós começamos a ganhar espaço”, justifica Santos, explicando como eles perceberam sua relevância no setor.
É correto dizer que a essência da MField, para os fundadores, é, sem dúvidas, a sua curadoria humanizada. Do financeiro ao time de artes, toda a equipe possui habilidades na intermediação e planejamento de campanhas, o que faz a diferença na hora direcionar os novos talentos. Alinhando vivência, estudo, dados e tecnologia, o quarteto vem ditando as novas tendências do segmento, promovendo soluções inteligentes e criativas para inovar a relação entre marcas, criadores e público. “É um mercado novo e em constante mudança e evolução. É um trabalho de formiguinha, que estamos tentando colaborar para que ele se torne cada vez mais reconhecido e respeitado”, finaliza Gustavo.